31 de mai de 2008

RÁPIDAS

Um estudo da entidade britânica ‘The Nurses’ Health Study’ comprovou que uma música de rock, com uma pesada linha de baixo, é mais propícia para causar uma briga de bar do que qualquer outro tipo de música. Segundo o estudo, as bandas que mais se enquadram nesse quesito são a australiana AC/DC e os Rolling Stones. Um grupo de pesquisadores em Glasgow monitorou a violência em oito pubs da cidade e descobriu que o rock e o hip-hop fazem com que as pessoas bebam mais, o que acarreta violência. As músicas “Highway To Hell” (do AC/DC) e “Brown Sugar” (dos Stones) foram citadas no estudo.

+++++

A cantora britânica Leona Lewis poderá participar do próximo disco de P. Diddy. O rapper norte-americano disse que, além de ser um grande fã de Leona, gostaria que a cantora gravasse com ele em seu próximo álbum. “Eu já estou pensando no meu próximo disco e definitivamente gostaria que ela trabalhasse comigo. No último, Christina Aguilera participou, mas no próximo, só quero saber de Leona Lewis”. O rapper também disse ao Mirror que Leona tem uma das melhores vozes que ele já ouviu.

+++++

Paul McCartney elegeu Radiohead e The Killers como as suas bandas favoritas atualmente. Segundo McCartney, o Radiohead é “really cool”. “Eu acho que eles são inovadores”, disse. Quando perguntado se existe algum artista que ele mantenha como inspiração, o ex-Beatle citou Bob Dylan. “Ele é um grande poeta, um cara legal. Eu gosto do que ele faz, que é sempre diferente. Ele é ele, ele é Dylan”, afirmou McCartney.

+++++

Agora é a vez de Noel Gallagher ser vítima de declarações de outros artistas. Segundo Ricky Wilson, vocalista do Kaiser Chiefs, o Oasis perdeu a sua pegada. Em entrevista ao The Sun, o vocalista do Kaiser Chiefs disse que a banda de Manchester perderam o ‘plot’ e que o Kaiser Chiefs vai tomar o lugar dela. “Eles pensam que são o Led Zeppelin. Não são. A música mudou e eu acho que nós somos a banda que a maioria das pessoas enxergam como os sucessores deles”, afirmou. Wilson ainda disse ao jornal inglês que a banda está terminando de gravar um novo álbum. “Posso dizer que é o nosso melhor trabalho”, completou.

+++++

Os fãs do My Chemical Romance protestaram hoje pelas ruas de Londres contra o Daily Mail. O jornal atacou a banda por supostamente enaltecer o suicídio. Poucas horas depois da passeata – que chegou até a redação do jornal –, o Daily Mail emitiu uma nota sobre o protesto, na qual insiste que a sua cobertura foi restrita, equilibrada e de interesse público. A nota ainda diz o seguinte: “Nossos críticos musicais admiram o trabalho da banda e cobriram a sua turnê pelo Reino Unido no ano passado. Desde que esse protesto foi anunciado, uma grande dose de desinformação tem aparecido na internet, muitas delas que confundem o leitor acerca do que o Daily Mail publicou, inclusive com comentários de leitores de sites e blogs, sobre os quais nós não temos controle, e que acabam mexendo com as emoções das pessoas”. A menor Hannah Bond, fã da banda emo, enforcou-se na segunda semana de maio. Abaixo um vídeo amador feito durante o protesto.


DUDU NOBRE MAIS UMA VEZ DESPERDIÇADO

Uma boa e uma má notícia para o fã de Dudu Nobre. A boa é que “Roda de Samba Ao Vivo” é um belo disco. A ruim é que, como o próprio título denuncia, Dudu reaparece com mais um trabalho ao vivo – e de regravações. Dos sete álbuns do sambista, este lançamento é o terceiro de regravações. Ou seja, quase metade da obra de um dos melhores compositores da nova geração do samba dispensa canções inéditas.

Antes desse, já foram lançados o “Ao Vivo” (2004) e “Os Mais Belos Sambas-Enredo De Todos os Tempos” (2007). O bom “Festa Em Meu Coração” (2005) foi o último trabalho de Dudu com canções inéditas. Para um artista como Dudu Nobre, em quatro discos, lançar apenas um álbum de inéditas chega a ser triste. Lógico que para a gravadora, é sempre mais intere$$ante lançar um trabalho ao vivo cheio de regravações, com participações de Zeca Pagodinho e Martinho da Vila do que um trabalho com faixas inéditas que ninguém conhece. Pobre do artista, que tem que se sujeitar as regras do mercado fonográfico ou correr o risco de não ter como lançar suas canções. Resta saber quem será o Radiohead brasileiro...

Mas, voltando ao disco, como já foi dito, ele é bom. Dudu Nobre prestou uma homenagem ao partido-alto e não fez feio. Muito longe disso. “Roda de Samba Ao Vivo” chega a ter os seus belos momentos, como o medley inicial que junta “Sinhá, Sinhá”, “Gamação” e “Peixeiro Granfino” – todas compostas por Candeia –, a participação de Roberta Sá (cantando cada dia melhor) na batidíssima “Quem É Ela?”, e a animação da ótima “Mini Saia”, de Gabriel Moura, Valmir Ribeiro e Carlos Moura.

Para não dizer que o disco ao vivo não tem nada de inédito, Dudu apresenta “Tinha Cachaça No Meio”, “Seu Gastão Que Vai Bancar” e “Que Mundo É Esse”, três ótimas composições de Dudu, e que dão mais certeza de como um disco de canções inéditas cairia muito bem neste momento.

Mas se “Roda de Samba” tem inéditas, tem muitas regravações também. Algumas já foram citadas acima, mas nada supera mais uma versão de “Vou Botar Teu Nome Na Macumba”, “Posso Até Me Apaixonar” e “Tempo de Don Don”. Ainda que esta última tenha a participação do autor Nei Lopes nos vocais, ela é mais que dispensável. Zeca Pagodinho (em “Velho Ditado”), Martinho da Vila (“Chora, Viola, Chora”) e Almir Guineto (“Viola de Maçaranduba” e “Mocotó Com Pimenta”) são os outros três artistas que certamente vão ajudar Dudu e a gravadora Universal a venderem mais discos.

O show, que teve direção musical de Rildo Hora – uma garantia de excelentes arranjos – e foi gravado no Espaço Universal Up (na própria gravadora), no Rio de Janeiro, terá lançamento em DVD também, provavelmente no mês que vem.

Cotação: ***1/2

30 de mai de 2008

RÁPIDAS

Após colocar no mercado uma coletânea com os seus maiores sucessos, o cantor Morrissey anunciou que lançará o seu nono álbum solo em setembro. O disco vai se chamar “Years of Refusal” e sucederá o ótimo “Ringleader Of The Tormentors”, de 2006. O novo trabalho foi gravado por Jeremy Finn (que já trabalhou com Green Day, Blink 182 e The Offspring) e terá 12 faixas. Juntamente com o disco de inéditas, Morrissey vai relançar “Southpaw Grammar” (1995), em versão especial com três novas faixas.

+++++

O cantor Elvis Costello fez um show surpresa na noite de ontem, em Los Angeles. O espetáculo, que teve 28 canções no roteiro, aconteceu no El Rey Theatre, pequena casa de shows da cidade. Poucas horas antes, Costello havia feito a abertura do concerto da banda The Police, no Hollywood Bowl. No roteiro, os principais sucessos do compositor inglês, como “(I Don't Want To Go To) Chelsea”. Uma versão de “Mystery Train”, que fez sucesso na voz de Elvis Presley, também constou do set-list.

+++++

Carl Barat, ex-The Libertines e atual líder do Dirty Preety Things disse que a sua antiga banda poderia voltar a se reunir apenas para gravar um álbum. Segundo ele, em entrevista ao Independent, esta seria a única razão para que ele se juntasse novamente a Pete Doherty. “Desde que eu comecei o trabalho no Dirty Pretty Things, vi que a reunião com Doherty não seria algo tão complicado. Prezo muito a nossa amizade, mas gostaria de dar um tempo. Muitos amigos me dizem que só devemos nos reunir se for para gravar um disco novo. Eu concordo. Se fosse de outra forma, seria apenas para ganhar dinheiro fácil”, completou Barat, não sem antes mencionar que ainda tem uma tatuagem do The Libertines no braço.

+++++

Em entrevista concedida hoje ao Guardian, Gene Simmons, do Kiss, afirmou que a banda tem mais dinheiro do que alguns países pequenos. Estima-se que Simmons tenha mais de 100 milhões de dólares em sua conta bancária. O baixista diz que a banda “tem muito orgulho” disso. “É um privilégio fazer o que nós fazemos e ainda ganhar a vida dessa maneira. Margaret Thatcher já dizia que não ter dinheiro é a origem de todos os males”, completou. Ontem, a banda teve um encontro na Suécia com Condoleezza Rice, secretária de Estado dos Estados Unidos. Rice disse que foi pessoalmente convidada para conversar com a banda após um jantar com um ministro sueco. “Foi muito divertido encontrar o Kiss e Gene Simmons”, disse. A secretária ainda disse que “Rock and Roll All Nite” é a sua canção predileta do Kiss.

+++++

Finalmente foi revelado o nome do artista que fará um show em Liverpool com Paul McCartney e Kaiser Chiefs. Dave Grohl, do Foo Fighters, vai tocar como ex-Beatle no próximo domingo no estádio Anfield. O concerto faz parte das comemorações pela escolha de Liverpool como capital da cultura européia, em 2008. Ainda não se sabe qual música a dupla vai interpretar.

+++++

Chris Martin, líder do Coldplay, afirmou que a sua banda está tentando misturar Radiohead e Westlife para criar o “som perfeito”. A revelação ocorreu em uma entrevista ao The Sun, quando disse que freqüentemente tem sonhos com outras bandas. “Eu sonhei com o Radiohead nesta noite, e com o Westlife na anterior. Essa é a mistura perfeita do que estamos tentando fazer musicalmente”, disse Martin.

+++++

Depois de esgotar os ingressos de sua turnê, o New Kids On The Block marcou o lançamento de seu novo disco de inéditas para o dia 08 de setembro. O primeiro single, “Summertime”, já foi executado pela banda no programa ‘Today’, da NBC, em 16 de maio (vídeo abaixo). Em entrevista à Billboard, o vocalista Donnie Wahlberg disse que a prioridade da banda é fazer um grande álbum. “Nós queremos trabalhar com os melhores e fazermos um grande time. Assim, faremos um álbum especial”, completou.

U2 ANUNCIA DETALHES DAS VERSÕES ESPECIAIS DE “OCTOBER” E “WAR”

Após anunciar os detalhes do relançamento de “Boy”, agora é a vez da banda irlandesa U2 mostrar o que os fãs vão escutar nas versões especiais de “October” e “War”. Assim, como em “Boy”, haverá três formatos diferentes à venda: uma com o CD simples remasterizado, outra com um CD bônus de raridades (incluindo lados B, faixas ao vivo, e outras inéditas), e mais uma em vinil, com todas as faixas do disco original. Os encartes virão recheados com fotos inéditas, letras e notas do guitarrista The Edge.

O CD bônus de “October” impressiona pela quantidade de faixas ao vivo pescadas nos shows iniciais da banda. Já o bônus de “War” decepciona pelas suas quatro (?!?) versões remixadas de “New Year’s Day” e três de “Two Hearts Beat As One”. Ficou a impressão de que a banda não tinha muito o que colocar nesse CD. Em compensação, haverá uma música absolutamente inédita do U2: “Angels Too Tied To The Ground”.

As faixas de “October” são as seguintes:
1) “Gloria”
2) “I Fall Down”
3) “I Threw A Brick Through A Window”
4) “Rejoice”
5) “Fire”
6) “Tomorrow”
7) “October”
8) “With A Shout”
9) “Stranger In A Strange Land”
10) “Scarlet”
11) “Is That All”

Já o CD bônus trará as seguintes canções:
1) “Gloria” (Live at Hammersmith Palais, London)
2) “I Fall Down” (Live at Hammersmith Palais, London)
3) “I Threw A Brick Through A Window” (Live at Hammersmith Palais, London)
4) “Fire” (Live at Hammersmith Palais, London)
5) “October” (Live at Hammersmith Palais, London)
6) “With A Shout” (Richard Skinner BBC Session)
7) “Scarlet” (Richard Skinner BBC Session)
8) “I Threw A Brick Through A Window” (Richard Skinner BBC Session) 9) “A Celebration”
10) “J. Swallo”
11) “Trash, Trampoline And The Party Girl”
12) “I Will Follow” (Live at Paradise Theatre, Boston)
13) “The Ocean” (Live at Paradise Theatre, Boston)
14) “The Cry/Electric Co.” (Live at Paradise Theatre, Boston)
15) “11 O’Clock Tick Tock” (Live at Paradise Theatre, Boston)
16) “I Will Follow” (Live From Hattem, Netherlands)
17) “Tomorrow” (Bono & Adam Clayton, Common Ground Remix)



O set-list de “War” segue abaixo:
1) “Sunday Bloody Sunday”
2) “Seconds”
3) “New Year’s Day”
4) “Like A Song…”
5) “Drowning Man”
6) “The Refugee”
7) “Two Hearts Beat As One”
8) “Red Light”
9) “Surrender”
10) “‘40’”

E o CD-bônus:
1) “Endless Deep”
2) “Angels Too Tied To The Ground” (Previously Unreleased Track)
3) “New Year’s Day” (7” single edit)
4) “New Year’s Day” (USA Remix)
5) “New Year’s Day” (Ferry Corsten Extended Vocal Mix)
6) “New Year’s Day” (Ferry Corsten Vocal Radio Mix)
7) “Two Hearts Beat As One” (Long Mix)
8) “Two Hearts Beat As One” (USA Remix)
9) “Two Hearts Beat As One” (Club Version)
10) “Treasure” (Whatever Happened to Pete The Chop)

Abaixo, um vídeo de “Sunday Bloody Sunday” ao vivo no Red Rocks. Essa canção está presente no VHS “Under a Blood Red Sky” que registrou um show da turnê “War”. Espera-se que, em breve, seja lançado em DVD.


29 de mai de 2008

RÁPIDAS

A dupla Daft Punk encontra-se em estúdio gravando músicas para um novo álbum. “No momento, os garotos estão em Paris e eu mal posso esperar para ouvir o material”, disse o ex-empresário da banda, Pedro Winter. O disco ainda não tem previsão de lançamento, e o seu título também é desconhecido. O último lançamento do Daft Punk foi o álbum “Human After All”, de 2005.

+++++

O rapper 50 Cent estará a frente de um novo ‘reality show’ que foi inspirado em sua trajetória de ex-morador de rua, informou a MTV. O programa, que ainda não tem título, contará com 16 concorrentes que participarão de desafios empresariais. A cada semana, 50 Cent eliminará um participante, e o ganhador da competição vai faturar uma bolsa de estudos em um programa empresarial. 50 Cent não é o primeiro rapper contratado pela MTV para apresentar programas nesse verão. P. Diddy e T.I. também estarão na grade da emissora musical.

+++++

O Muse começou a trabalhar em seu quinto álbum, o sucessor de “Black Holes And Revelations”, lançado em 2006. O trio disse que tirou férias após a turnê mundial, mas que já retornou ao trabalho. “Nós estamos começando a escrever as letras para um novo álbum. É um longo caminho e estamos apenas começando”, afirmou o baterista Dom Howard. O formato do álbum também não está decidido: “É impossível dizer o que será lançado. Podem ser álbuns, mas também podem ser alguns singles, ou também uma sinfonia de 50 minutos de duração”, brincou Howard.

+++++

Finalmente foram revelados os preços para cadastro no site “Mission Metallica”. Há três diferentes opções de preço. A mais cara custará 125 dólares e dará direito, além do acesso irrestrito ao conteúdo do site, a várias MP3s, CDs e uma coleção de cinco vinis. A mais barata fica por 25 dólares, e o fã terá direito a receber o MP3 do novo CD à meia-noite do dia do lançamento. Através do site, os internautas poderão assistir imagens da banda em estúdio, bem como ouvir músicas do Metallica. Os fãs que não quiserem pagar pelo serviço terão acesso limitado ao material.

+++++

A banda Razorlight apresentou uma canção inédita durante um show na noite de ontem em Londres. O nome da música não foi revelado. Além da música inédita, o grupo ainda tocou mais três canções do disco lançado em 2006 – e que leva o mesmo nome da banda –, no show promovido pelo baterista Andy Burrows. As canções antigas – “Before I Fall To Pieces”, “In The Morning” e “America” – foram bastante aplaudidas pelo público.

+++++

A cantora Leona Lewis é a artista britânica mais vista na história do ‘YouTube’. Um vídeo promocional do primeiro single de Lewis, “Bleeding Love” foi acessado mais de 55 milhões de vezes, desde o mês de outubro, quando entrou no ar. Rihanna e Timbaland são outros dois artistas que estão entre os dez mais do ‘YouTube’ britânico.

+++++

Em Londres, o cantor Pete Doherty fez um show na madrugada de hoje com a cantora e compositora Coco, filha de Sting. Apenas dez pessoas testemunharam a apresentação que ocorreu na casa Jazz After Dark. O vocalista do Babyshambles tocou guitarra e bateria durante o show e disse sobre a sua nova parceira: “Esta é a sensacional Coco. Ela é uma das razões para este país ser tão bom. Tem apenas 17 anos e é uma grande artista”. As composições de Coco estão na sua página no MySpace. Abaixo, um vídeo da apresentação desta madrugada.


28 de mai de 2008

RÁPIDAS

O Gorillaz, banda virtual idealizada por Damon Albarn e Jamie Hewlett, será a responsável pela trilha sonora da cobertura da BBC das Olimpíadas de Pequim, que acontecerão entre os dias 08 e 24 de agosto. Imagens animadas dos “integrantes” da banda baseadas no folclore chinês também serão usadas pela BBC. A seqüência de animação e música terá a duração de dois minutos, mas a emissora vai editar outras menores para a sua transmissão.

+++++

Os membros originais do Simple Minds vão trabalhar juntos novamente pela primeira vez em 27 anos. No mês que vem, eles entrarão em estúdio para a gravação de um novo álbum. Brian McGee, Derek Forbes, Mick McNeil, Jim Kerr e Charlie Burchill já fizeram o esboço de pelo menos duas canções. “Claro que estou excitado com a perspectiva de trabalhar com os outros integrantes originais da banda mais uma vez. Eu sempre acreditei que um dia teríamos a oportunidade de fazer isso. Temos muito a viver, mas também temos a intenção de nos divertir na tentativa de gravar esse disco”, afirmou o vocalista Jim Kerr.

+++++

O fundador do Van Halen, baixista Michael Anthony, formou uma super-banda, composta pelo vocalista Sammy Hagar (que também cantou no Van Halen), o guitarrista Joe Satriani e o baterista Chad Smith, que aproveita o recesso do Red Hot Chili Peppers. A banda, que vai se chamar Chickenfoot, entra em estúdio em junho para gravar um álbum. Já existem algumas canções compostas. “Nós escrevemos oito, nove músicas. Quando as pessoas ouvem, parece o Led Zeppelin. É tão bom quanto eles. Eu sei que é uma afirmação ousada, mas nós podemos rivalizar com eles”, disse Hagar.

+++++

A banda The Fratellis apresentou oito novas músicas durante um show intimista ontem em Londres. A apresentação serviu para comemorar o lançamento do novo single da banda, “Mistress Mabel”. O nome do disco será “Here We Stand” que tem, entre suas faixas, “Heady Tale” e “Shameless”, ambas muito aplaudidas no show de ontem. Durante a apresentação, o vocalista Jon Fratelli brincou: “É estranho nós tocarmos novas canções antes do lamacento do álbum”. Músicas do primeiro disco, “Costello Music”, como “Chelsea Dagger” e “Flathead” também fizeram parte do roteiro.

+++++

A cantora Duffy apoiou a escolha de Jay-Z para fechar o festival de Glastonbury, no dia 28 de junho. Ela disse que não entende o porquê da escolha do rapper ter sido tão criticada por Noel Gallagher, guitarrista do Oasis. Em entrevista ao site do festival, Duffy disse que, dentre todos os shows do evento, a apresentação de Jay-Z é a que mais lhe traz ansiedade. “Eu acho que ele é um grande músico. Fiquei intrigada com as críticas que recebeu. Não penso que a sua apresentação seja um problema. Eu já vi um show dele e posso afirmar que foi um dos melhores a que já assisti”, disse.

+++++

A banda 3 Doors Down alcançou o primeiro lugar da parada da Billboard nessa semana. O seu álbum, cujo título é o mesmo nome da banda, vendeu 154 mil cópias nos Estados Unidos em sua primeira semana de vendas. Para a semana que vem, a expectativa é a de que o novo disco de Usher, lançado hoje, chegue ao topo da parada norte-americana. “Here I Stand” vendeu 146 mil cópias apenas no seu primeiro dia de vendas.

SEX PISTOLS E U2 EM DOIS GRANDES LANÇAMENTOS

Será lançado no dia 30 de junho, na Inglaterra, o DVD “There’ll Always Be An England”, que traz o registro dos shows que o Sex Pistols fez no ano passado na Brixton Academy, em Londres. O filme, dirigido por Julien Temple, apresenta 16 canções e extras, como “O Guia do Sex Pistols em Londres”.

“O vídeo é sobre a eletricidade única que ocorre entre a banda e seu público. A união da platéia com os Pistols não se compara com a de nenhuma outra banda, e os show em Brixton, no ano passado apresentaram a banda para uma nova geração, assim como para aqueles que acompanham o Sex Pistols desde o início”, afirmou a diretora.

A partir de junho, a banda inicia uma série de shows na Inglaterra. Após, será a vez do resto da Europa e do Japão.

As canções que aparecem no DVD são as seguintes:
1) “Pretty Vacant”
2) “Seventeen”
3) “No Feelings”
4) “New York”
5) “Did You No Wrong”
6) “Liar”
7) “Beside The Seaside”
8) “Holidays In The Sun”
9) “Submission”
10) “(I'm not your) Stepping Stone”
11) “No Fun”
12) “Problems”
13) “God Save The Queen”
14) “EMI”
15) “Bodies”
16) “Anarchy In The UK”


Previsto para ser relançado em julho, “Boy”, o primeiro álbum da banda irlandesa U2, teve os seus detalhes revelados hoje. Serão postas a venda três versões diferentes: uma com o CD simples remasterizado, outra com um CD bônus de raridades (incluindo lados B, faixas ao vivo, e outras inéditas), e mais uma em vinil, com todas as faixas do disco original. Um libreto com fotos inéditas, letras e notas do guitarrista The Edge fará parte das três edições.

Para os fãs da banda, o filé mignon mesmo são as canções absolutamente inéditas até hoje, como “Speed of Life”, “Saturday Night” e “Cartoon World”.

“Boy” foi lançado originalmente em 1980 e teve como seu maior sucesso “I Will Follow”, canção executada pelo U2 até hoje em seus shows. “October” (1981) e “War” (1983) também serão relançados em versões de luxo no mês de julho, e os detalhes estão aqui.

As faixas de “Boy” são as seguintes:
1) “I Will Follow”
2) “Twilight”
3) “An Cat Dubh”
4) “Into The Heart”
5) “Out Of Control”
6) “Stories For Boys”
7) “The Ocean”
8) “A Day Without Me”
9) “Another Time, Another Place”
10) “The Electric Co.”
11) “Shadows And Tall Trees”


Já o CD bônus trará as seguintes canções:
1) “I Will Follow” (Previously Unreleased Mix)
2) “11 O'Clock Tick Tock”
3) “Touch”
4) “Speed Of Life” (Previously Unreleased Track)
5) “Saturday Night” (Previously Unreleased Track)
6) “Things To Make And Do”
7) “Out Of Control”
8) “Boy-Girl”
9) “Stories For Boys”
10) “Another Day”
11) “Twilight”
12) “Boy-Girl” (Live at The Marquee, London)
13) “11 O'Clock Tick Tock” (Live at The Marquee, London - Previously Unreleased Version)
14) “Cartoon World” (Live at The National Stadium, Dublin - Previously Unreleased Track)


Abaixo, um vídeo de “Out Of Control”, filmado em 1981, na cidade de Belfast, na Irlanda.

27 de mai de 2008

RÁPIDAS

David Gilmour, ex-vocalista e guitarrista do Pink Floyd acenou com a possibilidade de uma futura reunião da banda para um show. Ele disse que os demais membros da banda “jamais disseram não para essa hipótese”. Contudo, as chances de retorno em um futuro próximo são remotas, segundo Gilmour. Na mesma entrevista, concedida à BBC, o vocalista expressou o seu apoio à cantora Amy Winehouse. “Na minha opinião, ela é uma das mais fantásticas espécies de faísca musical que apareceu nos últimos anos. Simplesmente maravilhosa, e, com certeza, estará conosco por um longo tempo”, finalizou Gilmour.

+++++

A banda Velvet Revolver, que estava considerando a opção de um concurso em ‘reality show’ para a escolha de seu novo vocalista, dispensou a idéia e está preparando um anúncio de como será o recrutamento do novo vocalista. “Nós vamos apresentar algo dentro de duas semanas, e acho que vai surpreender a todos”, afirmou o baterista Matt Sorum à Rolling Stone. Alguns produtores de ‘reality shows’ tentaram convencer a banda a aderir a essa forma de concurso, mas Sorum afirmou que “essa não seria a maneira correta para a escolha do vocalista”. Scott Weiland não é mais o vocalista do Velvet Revolver desde o mês passado.

+++++

Mais um título foi concedido para a coleção de Paul McCartney. O ex-beatle recebeu ontem, o título de Doutor Honorário de Música, da Universidade de Yale. Quando da concessão do título, a Universidade afirmou que “ninguém se compara ao lendário compositor”.

+++++

Brian May e Roger Taylor, membros do Queen, finalizaram a gravação de “Holy Man”, uma inacabada canção de Dennis Wilson, ex-membro dos Beach Boys. Em entrevista ao Daily Express, May disse: “Era uma canção que Dennis começou a escrever pouco antes de sua morte, e acabou não terminando. O piano é muito bonito e o sentimento espiritual é maravilhoso. A faixa completa, além de ter soado como um poema para mim, parecia estar mergulhada no espírito desse homem misterioso, o Beach Boy que surfava”. Dennis Wilson morreu em 1983, e era o único integrante dos Beach Boys que realmente surfava.

+++++

Como já era esperado, os ingressos para os shows da turnê de Madonna, “Sticky & Sweet”, estão vendendo rapidamente. Na Europa, a alta demanda pelos bilhetes já fizeram com que a cantora marcasse um segundo show no ‘Stade de France’ para o dia 20 de setembro. O concerto em Zurique já teve os seus 70 mil ingressos vendidos. Em Vancouver, no Canadá, os 50 mil bilhetes colocados à venda esgotaram-se em apenas 29 minutos. Nos Estados Unidos a situação não é diferente: os três shows no Madison Square Garden, em Nova York, já estão esgotados, bem como o show do dia 26 de outubro em Chicago.

+++++

Para comemorar os 41 anos do lançamento de seu primeiro álbum, a banda norte-americana The Doors está preparando um documentário que conta a sua história completa. O ex-tecladista da banda e diretor do filme, Ray Manzarek, afirmou à Billboard: “Eu vi as primeiras cenas ontem e está ficando realmente bom. Mas não será lançado antes dos próximos seis meses”. O músico ainda afirmou que o vídeo terá muitas cenas raras, e retratará “a história verdadeira do The Doors”. Enquanto o filme não é lançado, os fãs podem se contentar com as gravações ao vivo que a banda vem lançando constantemente. A última delas foi “Live in Pittsburgh – 1970”, com o registro de um show da última turnê norte-americana da banda.

+++++

Foram desmentidos os boatos de que o Led Zeppelin faria quatro apresentações na cidade de Toronto, em Agosto. Duas pessoas ligadas à banda afirmaram à Billboard que não há a mínima possibilidade de os shows acontecerem em Toronto nesse ano. Entretanto, nada foi falado acerca de apresentações em outros lugares.

+++++

Já está disponível para download em seu site oficial o primeiro single do próximo álbum do Sigur Rós. O quinto disco da banda, que se chamará “Meo Suo Í Eyrum Vio Spilum Endalaust” chegará às lojas norte-americanas no dia 24 de junho.

THE KOOKS NÃO MANTÉM A PEGADA E DECEPCIONA EM “KONK”

Muita gente foi pega de surpresa quando “Konk”, álbum do The Kooks alcançou o primeiro lugar na parada inglesa. Mas a banda, que à época podia ser considerada ‘indie’ já está na estrada desde 2005, e em 2006, lançou o seu primeiro álbum, “Inside In / Inside Out”, que chegou ao segundo posto da mesma parada inglesa.


Desse primeiro disco até “Konk”, lançado recentemente no Brasil, muita coisa mudou. E, infelizmente, para pior. De “Inside In / Inside Out”, pouca coisa sobrou. A banda ‘indie’ com um som mais cru se transformou em uma banda com a sonoridade pop mais descartável possível. De quebra, as letras falando sempre de garotas, amor e sexo ficaram bem piores.

Tudo bem que isso até ajude a banda a fazer mais sucesso – como, de fato, está ajudando –, mas é inegável que o nível caiu. Com esse som, provavelmente a banda vai continuar lotando os seus shows, participando de festivais (como o de Glastonbury, no ano passado, quando se apresentou no palco principal) e abrindo para grandes bandas, como já o fizeram recentemente para os Rolling Stones.

Até que com um pouco de boa vontade, ainda dá para encontrar coisas boas em “Konk”. O disco, que foi gravado em seis semanas, tem lá os seus bons momentos, como a introdução lenta de “See The Sun” e a faixa “Down To The Market”, que lembra um pouco mais a sonoridade de “Inside In / Inside Out”. “Mr. Maker”, com a sua levada folk ao violão é uma outra boa canção do quarteto de Brighton. A balada “Shine On”, segundo single do álbum, também desce bem.

Mas o que predomina mesmo são as canções pop juvenis descartáveis, como “Always Where I Need To Be”, primeiro single de “Konk” e a boba “Do You Wanna”. Lá pelo final, ainda tem a lenta “Tick Of Time” e a faixa escondida “All Over Town”, levadas apenas ao violão. Dá a impressão que, neste momento, o The Kooks está pedindo para ser levado a sério. Tarde demais...

Abaixo, um vídeo do primeiro single de “Konk”, “Always Where I Need To Be”, durante apresentação no festival de Glastonbury, no ano passado.

Cotação: **

26 de mai de 2008

MY CHEMICAL ROMANCE OFERECE PÊSAMES À FAMÍLIA DE GAROTA SUICIDA

Após ter sido alvo de duras críticas de jornais ingleses, especialmente o Daily Mail, no sentido de que a sua música tenha sido responsável pelo suicídio de Hannah Bond, menina inglesa de 13 anos, a banda My Chemical Romance prestou as suas condolências à família da menor. Quando soube do suicídio, o coronel Roger Sykes sugeriu que o suicídio da menor estava diretamente ligado à sua obsessão pela música emo, além de ter afirmado que considera o estilo musical ‘perturbador’.

Através de nota em seu site oficial, a banda prestou os seus sentimentos à família e afirmou que são contra o suicídio.

A mensagem é a seguinte: “Recentemente nós tivemos conhecimento do suicídio e a trágica perda de Hannah Bond. Gostaríamos de mandar as nossas condolências à família durante esse período de luto. Nossos corações e pensamentos estão com eles. O My Chemical Romance é e sempre será contra a violência e contra o suicídio. Como banda, sempre tivemos isso entre os nossos objetivos, de forma que prestamos conforto, apoio e alívio para os nossos fãs. A mensagem e o tema de nosso álbum “The Black Parade” é a esperança e a coragem. Nossas letras falam sobre o encontro da força para manter a vida, apesar da dor e de seus momentos difíceis. A última faixa de nosso disco fala o seguinte: “Eu não tenho medo de continuar vivo” – um sentimento que traduz a posição da banda com relação aos momentos difíceis que todos nós nos deparamos como seres humanos. Se você ou qualquer outra pessoa têm sentimentos de depressão ou suicídio, nós pedimos que encontrem o seu caminho e sua voz para lidar com esses sentimentos de maneira positiva.”

A mensagem foi postada pela banda uma semana antes dos fãs da banda saírem em passeata protestando contra os meios de comunicação que vêm falando que a banda é a a responsável pelo suicídio da menor. A passeata, que acontecerá próximo sábado, terá início no Hyde Park e percorrerá as ruas de Londres até chegar ao prédio da redação do Daily Mail. Os organizadores esperam mais de mil fãs para a passeata.

Admiradores da banda emo estão postando dezenas de vídeos no ‘youtube’ clamando por uma maciça presença. Um vídeo desses está logo aí abaixo.

RÁPIDAS

A banda inglesa The Ting Tings alçou o topo da parada britânica de discos com o seu álbum de estréia, “We Started Nothing”. O duo formado por Katie White e Jules de Martino bateram Neil Diamond, que se encontrava na primeira posição com o seu disco “Home Before Dark”. Por sua vez, surpreeendentemente, o grupo de monges austríacos The Cistercian Monks of Stift Heiligenkreuz chegou à nona posição da parada, com o disco “Chant – Music For Paradise”. Toda a arrecadação desse álbum vai ser revertida para um fundo de custeamento de educação de monges no Vietnã.

+++++

A cantora Amy Winehouse anunciou que voltou a trabalhar no tema principal da trilha sonora do próximo filme de James Bond. Em entrevista ao jornal The Mirror, Winehouse disse que já escreveu a canção e gravou uma versão demo da mesma, cabendo ao produtor Mick Ronson finalizar a gravação. Alguns boatos também dão conta de que a cantora Beyonce poderá vir a ser a responsável pelo tema principal de “Quantum of Solace”, próximo filme do agente secreto 007.

+++++

Caberá a Leona Lewis o show de encerramento dos Jogos Olímpicos de Pequim. O jogador de futebol David Beckham será um dos mestres-de-cerimônia. A festa de encerramento dos Jogos de Pequim também é considerada a abertura oficial das Olimpíadas de Londres, que ocorrerá em 2012, daí a escolha das duas celebridades inglesas. No mês passado, Leona Lewis tornou-se a primeira artista inglesa desde 1990, a colocar, ao mesmo tempo um disco e um single no topo da parada da Billboard. A marca anterior cabia ao cantor Phil Collins.

+++++

Ainda exibido em algumas poucas salas de cinema no Brasil, “Shine a Light”, o concerto-documentário de Martin Scorsese sobre os Rolling Stones já tem data para sair em DVD. O disco chegará às lojas brasileiras em 29 de julho, e não se sabe ainda se terá algum extra. Antes disso, algums lojas especializadas vão receber a versão importada de “Shine a Light” em pendrive. No entanto, assim como no CD lançado no mês passado, apenas o áudio da apresentação estará disponível nesse formato.

+++++

O cantor, compositor e multi-instrumentista norte-americano Lenny Kravitz comemora 44 anos hoje. Após alguns problemas de saúde, Kravitz já está em turnê mundial promovendo o seu último trabalho, “It Is Time For a Love Revolution”. Os shows que ele faria no Brasil, e tiveram que ser cancelados, ainda não foram remarcados.Abaixo, o vídeo de “Are You Gonna Go My Way”, ao vivo no show da praia de Copacabana, em 2005.

25 de mai de 2008

O DVD FICOU PEQUENO PARA “INCLASSIFICÁVEIS”

“Antigamente, eu tinha um desejo sexual pela platéia. Eu queria trepar com aquela gente toda”. Essas são as duas primeiras frases que Ney pronuncia no documentário que faz parte do DVD “Inclassificáveis”. Apesar de falar logo em seguida, que hoje não tem mais a mesma sensação, o público que teve a oportunidade de assistir ao show que originou o DVD provavelmente ainda acredita nesse desejo sexual de Ney.

O show “Inclassificáveis, um dos mais grandiosos da carreira de Ney é tipo aqueles filmes que só têm graça de serem assistidos no cinema. E essa conclusão ganha mais força após uma rápida olhada no DVD. Certamente não foi culpa do diretor João Jardim. Passar para o vídeo o que se passa no palco do show “Inclassificáveis” é uma tarefa ingrata. E, para completar, o Canecão, apesar de ser a casa de espetáculos mais importante do Brasil, não ajuda muito devido ao seu baixo pé-direito.

O DVD contém o show completo que passou pelo Canecão em janeiro e vem circulando o Brasil, com shows absolutamente lotados. E talvez os versos de “Mal Necessário” sintetizem o show. “Sou um homem, sou um bicho / Sou uma mulher / ... / Sou o novo, sou o antigo / Sou o que não tem tempo / Sou o que sempre esteve vivo”. A verdade é que nesse show, Ney retorna às suas origens. E, de quebra, faz o show mais roqueiro de sua carreira.

Acompanhado por uma banda jovem e impecável, com destaque para o baixista Carlinhos Noronha, o guitarrista Júnior Meirelles e o tecladista e diretor musical Emilio Carrera (que acompanhou Ney nos tempos de Secos & Molhados), Ney Matogrosso apresenta um show coeso e com um roteiro que cai muito bem. Tudo bem que faltaram antigos sucessos. As únicas três exceções foram a já citada “Mal Necessário”, “Por Que a Gente é Assim” (um ótimo momento em que Ney desce do palco para cantar junto ao público) e o apoteótico final com “Pro Dia Nascer Feliz”.

Entretanto, apesar da ausência de velhos sucessos – não houve concessão nem para a fase dos Secos & Molhados –, Ney apresenta um repertório hermético e eficiente, alternando coisas mais conhecidas como “O Tempo Não Pára” (o “tapa na cara” de Cazuza e que foi a primeira do show) e “Simples Desejo” (que já fez muito sucesso na voz de Luciana Mello), com outras mais recentes, que fazem parte de seu novo álbum de estúdio, cujo título dá nome ao show.

Aliás, no bis do show, Ney mostra a sua fina sensibilidade com o “contraste” das letras complementares de “Simples Desejo” (“Hoje eu só quero que o dia termine bem”) e de “Pro Dia Nascer Feliz” (“Pro dia nascer feliz / Essa é a vida que eu quis”). Depois de um show com tantos socos no estômago (de “O Tempo Não Pára” à cada vez mais atual “Divino Maravilhoso”, passando por uma versão pesadíssima de “Ode Aos Ratos”, de Chico Buarque), o bis, com duas músicas de letras tão esperançosas, chega a ser alvissareiro.

Das canções do álbum de estúdio, destacam-se a balada “Um Pouco de Calor” (Dan Nakagawa), “Fraterno” (Pedro Luís) e “Lema” (Carlos Rennó / Lokua Kanza), cujos versos “Envelhecer / Certamente com a mente sã / Me renovando / Dia a dia, a cada manhã” são perfeitos para definir essa fase atual de Ney.

Apesar de o DVD definitivamente não ser o meio mais eficiente para uma apreciação completa de “Inclassificáveis”, ele registra todos os detalhes que fazem desse show um dos melhores de 2008, como os belos cenários de Milton Cunha, o deslumbrante figurino de Ocimar Versolatto e a eficiente e agressiva – no bom sentido da palavra – iluminação do próprio Ney e de Juarez Farinon.

Nos extras, um documentário mostrando os bastidores do espetáculo, além de entrevistas com os compositores das canções de “Inclassificáveis” e com os profissionais envolvidos.

Cotação: ****

24 de mai de 2008

R.E.M. ESTRÉIA TURNÊ NO CANADÁ PRIVILEGIANDO VELHAS CANÇÕES

O R.E.M. realizou ontem, na cidade de Vancouver o primeiro show da turnê “Accelerate” (foto acima). Além de executar o novo disco praticamente na íntegra, a banda pescou várias canções de seu início de carreira e que havia muito tempo estavam esquecidas, como “Gardening At Night”, “Second Guessing”, “Disturbance At The Heron House” e “Time After Time”. Alguns sucessos também estiveram presentes no roteiro, como “Losing My Religion”, “What’s The Frequency, Kenneth?” e “Man On The Moon”, que encerrou a apresentação.

O design do palco chama a atenção, com vários telões ao fundo, mostrando imagens da banda no palco. Durante a apresentação, o vocalista Michael Stipe pediu a opinião do público acerca do setlist. Antes da apresentação de Stipe, Mills e Buck, as bandas Modest Mouse e The National fizeram curtos shows, que foram bastante elogiados pela crítica.

O jornal Vancouver Sun fez uma elogiosa resenha da apresentação. O seu título – “R.E.M. retorna ao que sabe fazer de melhor: rock – já mostra que a apresentação seguiu o espírito de “Accelerate”, ou seja, bem puxado para canções mais cruas e pesadas, deixando as baladas para trás. (Houve algumas exceções, como “Country Feedback”, a canção predileta de Stipe, e “Electrolite”.)

A crítica ainda diz que “o grupo rejuvenescido trouxe a Vancouver uma maravilhosa noite de música”. Comparando com as turnês anteriores, o crítico Amy O'Brian foi enfático: “esqueça a pintura azul no rosto de Stipe e as confusas baladas da década da experimentação. O R.E.M. provou na noite de sexta no Deer Lake Park que eles estão de volta aos seus rocks rápidos. A alta energia do show mostra que a banda está rejuvenescida e reavivada por conta de seu último álbum, ‘Accelerate’”.

Sobre Michael Stipe especificamente, o crítico afirmou: “Stipe tem uma presença magnética, e se moveu pelo palco dançando com a sua maneira desinibida. A voz não mudou com relação ao seu início de carreira. Está clara, precisa e distinta, seja em bonitas baladas como ‘Houston’, seja na urgência do rock ‘Living Well Is the Best Revenge’”.
Abaixo, seguem o roteiro completo do espetáculo e um vídeo amador com um trecho de “Hollow Man”.

Roteiro:
1. Living Well's the Best Revenge
2. What's The Frequency, Kenneth?
3. Ignoreland
4. Second Guessing
5. Gardening At Night
6. Man Sized Wreath
7. Disturbance At The Heron House
8. Hollow Man
9. Accelerate
10. West of the Fields
11. Houston
12. Electrolite
13. Losing My Religion
14. Time After Time
15. Let Me In
16. The One I Love
17. Country Feedback
18. Bad Day
19. Walk Unafraid
20. Supernatural Superserious
21. Sweetness Follows
22. Get Up
23. I'm Gonna DJ
24. Man on The Moon



RÁPIDAS

Está previsto para julho, o lançamento de “Melodia”, novo álbum do The Vines. A data certa ainda não está confirmada, nem para os Estados Unidos, nem para a Inglaterra. O álbum, gravado em Los Angeles, foi produzido por Rob Schnapf, também responsável pela produção dos dois anteriores: “Highly Evolved” (2002) e “'Winning Days” (2004). Entre as faixas do novo álbum estão “Get Out”, “He’s a Rocker” e “A Girl I Know”.

+++++

Alanis Morissette fez um show na noite de noite de ontem em Nova York. Na apresentação, que contou com oito canções em seu roteiro, a cantora canadense acompanhou-se de uma banda formada por cinco músicos. Entre antigos sucessos, todos executados em versões acústicas, como “You Learn”e “Thank You”, Alanis cantou três faixas de seu próximo álbum, “Flavors of Entanglement”, incluindo a balada composta ao piano, “Not As We”.

+++++

O guitarrista Eric Clapton participou de duas canções que serão lançadas no próximo disco de Salomon Burke. Clapton escreveu a faixa-título do álbum, “Like A Fire”, bem como compôs, juntamente com Burke, a canção “Thank You”. O disco sairá na Inglaterra no próximo dia 16 e também terá a participação especial de Ben Harper. Em entrevista para a revista inglesa Uncut sobre o álbum, Salomon Burke afirmou: “Eu estou nessa jornada, e a jornada é a música. Eu quero dar tudo o que eu puder para o maior número de pessoas, pelo tempo que for possível”.

+++++

A primeira-dama da França, Carla Bruni, terminou de gravar o seu novo álbum. “Comme Si De Rien N'Etait” (que significa “Como se nada tivesse acontecido”). O álbum da esposa de Nicolas Sarkozy, terá 14 faixas, uma delas intitulada “My Junk”, que vem causando polêmica na França, por fazer referência a drogas. Os royalties da venda do disco serão doados para instituições de caridade.

+++++

Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden, demonstrou a sua intolerância com as drogas. Em um show na noite de quarta-feira, em San Antonio, Texas, ele deu uma bronca em um fã que acendeu um cigarro de maconha durante o show. Dickinson chamou a sua atenção na frente de todo o público presente: “Você poderia, por favor, jogar essa merda fora? Meus pulmões estão tentando trabalhar, amigo”, pediu o vocalista. O vídeo está logo aí embaixo.


23 de mai de 2008

À PROCURA DA GRAVAÇÃO AO VIVO PERFEITA

O fato de o Rush ter lançado o sétimo disco ao vivo de sua carreira não foi o suficiente para os fãs esnobarem – que o diga a parada da Billboard, tendo em vista que o CD duplo ao vivo “Snakes & Arrows Live” estreou no top 50. É fato que este lançamento está aquém dos clássicos “Exit... Stage Left (1981) e “Live In Rio” (2003), mas “Snakes & Arrows Live” tem as suas qualidades.

Gravado ao vivo na Ahoy Arena de Roterdã, na Holanda – “Isso não é esquisito?”, questiona o encarte do CD –, talvez o áudio deste trabalho seja o mais perfeito dos discos ao vivo do trio canadense. O mago Francois Lamoureux, como sempre, fez um excelente trabalho. O som é límpido, e nem parece uma gravação ao vivo, bem diferente do “Live In Rio”. Mas isso também se explica pelo fato de a platéia holandesa, além de ser menos numerosa, não ser tão animada quanto a brasileira. Tudo bem que o emocionante acompanhamento do público em “YYZ” no show do Rio, não está presente nessa gravação na Holanda, contudo, para os puristas esse ao vivo acertou por ter ficado no meio termo entre a frieza da platéia alemã de “R30” (2005) e a animação dos cariocas.

Em “Snakes & Arrows Live”, a banda canadense apresenta um belo roteiro, privilegiando, praticamente, todos os discos lançados na carreira. Assim, grande sucessos como a já citada “YYZ” (a última do roteiro), “Tom Sawyer”, “Limelight” (a primeira) e “The Spirit Of Radio” estão todos presentes. Outras surpresas, que não chegaram a fazer muito sucesso, também comparecem, como “Circumstances” (do disco “Hemispheres”, de 1978) e “Witch Hunt”, que foi pesacada de “Moving Pictures”, lançado em 1981.

Já do último trabalho de estúdio, “Snakes & Arrows”, a banda tocou nove faixas, entre elas, “Spindrift”, “Workin’ Them Angels”, “The Main Monkey Bisiness” e a balada instrumental “Hope”. Na execução dessas canções, o Rush deixa a peteca cair um pouco, mostrando que seu último trabalho de estúdio realmente não foi dos melhores.

Esse contratempo não tira do ouvinte o deleite de apreciar mais um belo registro ao vivo dessa banda que, fácil, tem entre seus integrantes alguns dos maiores instrumentistas do mundo.
Está para ser lançado o DVD com o registro desse mesmo show. A data para chegar às lojas (estrangeiras, claro) ainda é incerta, mas, ao que tudo indica, sai até o final do ano. No Brasil, nem o CD foi lançado, e nem se sabe se o mesmo chegará às lojas.

Ah, e mesmo não sendo necessário dizer, Neil Peart, como sempre, quebra tudo...

Cotação: ****

RÁPIDAS

O cantor Mika revelou à Billboard que já está compondo canções para o seu segundo álbum. “Depois do processo de criação do primeiro disco, as novas canções já estão vindo à minha cabeça, o que é confortante”, afirmou o compositor libanês em entrevista durante o prêmio Ivor Novello – Mika ganhou o troféu de compositor do ano. Segundo o artista, três canções já estão prontas, mas o disco ainda não tem título nem data de lançamento definidos.

+++++

A banda Oasis acredita que o Coldplay tenha copiado a sua idéia para que “Viva La Vida” seja o álbum mais rapidamente vendido da história. A banda de Chris Martin antecipou o lançamento do disco na Inglaterra, de 16 de junho (segunda-feira) para o dia 12 anterior (quinta-feira). Oficialmente, na Inglaterra, os discos chegam às lojas na segunda-feira. O fato de o lançamento se dar na quinta-feira significa que as vendas iniciais poderão ser mais rápidas, por causa da proximidade do fim de semana. Em 1997, o Oasis lançou “Be Here Now” numa quinta-feira e vendeu 700 mil cópias em apenas três dias, sendo considerado, até hoje, o disco mais vendido rapidamente em todos os tempos.

+++++

O baterista Andy Burrows, do Razorlight, revelou, em entrevista à rádio norte-americana Xfm, alguns detalhes do próximo álbum da banda. “Nós estávamos fazendo a pré-produção do disco nos últimos meses e vamos começar a gravar em uma semana. Espero que seja lançado neste outono [do hemisfério Norte]”, disse. Com relação à sonoridade do terceiro disco do Razorlight, Burrows afirmou que “está soando bastante épico para mim, nesse momento; é mega, ele soa grandioso”. O baterista também está lançando o seu trabalho solo, “The Colour Of My Dreams”, na semana que vem.

+++++

Jim James, vocalista do My Morning Jacket, fez uma apresentação solo na noite de ontem, em que mostrou canções do novo disco de sua banda. Apenas Jim James e o guitarrista Carl Broemel participaram do show, que foi realizado na Capela de St. James, no centro de Londres. Entre as canções apresentadas de “Evil Urges”, próximo disco da banda, estavam no roteiro: “Sec Walkin’”, '”Librarian”, “I'm Amazed” e “Smokin’ From Shootin'”. Antigas canções, como “What A Wonderful Man”, também foram executadas. Durante a apresentação, Jim James soltou um comentário curioso: “Eu sempre sinto a presença de Deus quando estou na igreja, mesmo que eu não acredite ou saiba o que Ele representa”.

+++++

A banda Primal Scream vai lançar o seu novo trabalho, “Beautiful Future”, no dia 21 de julho, na Europa. Antecedendo o disco, no dia 14, sai o single “Can't Go Back”. O vocalista Lovefoxxx, da banda brasileira Cansei de Ser Sexy, fará uma participação especial na faixa “I Love To Hurt (You Love To Be Hurt)”. Coincidentemente, o Cansei de Ser Sexy lançará o seu novo disco no mesmo dia.

+++++

A cantora soul Alicia Keys afirmou à Rolling Stone que gostaria de trabalhar com o White Stripes. “Eles são muito crus e secos. Apenas bateria e guitarra. É simples, mas eu adoro isso”, disse a cantora. Desde o seu dueto com Keith Urban no ‘Live Earth’, Alicia Keys vem explorando outros estilos musicais, escutando, inclusive, bandas como Queens of the Stone Age, Linkin Park e Coldplay. Segundo a cantora, ela gostaria de trabalhar com todas essas bandas, mas o White Stripes está no topo de sua lista. “Eu penso que a combinação desse estilo com o meu pode resultar em algo muito interessante, misturando rock e soul, o blues e a emoção”, finalizou.

+++++

Um show exclusivo da cantora Madonna foi leiloado pelo valor de 350 mil euros. O arremate ocorreu na noite de ontem, em Cannes, e o dinheiro irá para uma associação que cuida de aidéticos. A popstar vai cantar duas músicas no backstage, durante um dos shows de sua turnê “Sticky & Sweet”, para o arrematante e um acompanhante.

22 de mai de 2008

RÁPIDAS

Alex James, baixista do Blur disse que ficaria ‘supreso’ se a banda nunca mais voltasse a se reunir novamente. Havia uma expectativa de um encontro da banda em 2007 para gravar um novo disco, o que acabou não acontecendo. O último álbum da banda foi “Think Tank”, lançado em 2003. “Nós estamos muito ocupados, mas será surpreendente se a reunião nunca acontecer”, disse James à rede BBC.

+++++

A banda Smashing Pumpkins vai comemorar o seu aniversário de 20 anos com uma série de shows especiais. Em nota no site oficial, a banda afirmou: “Para comemorar os 20 anos da banda, o Smashing Pumpkins vai realizar shows em algumas cidades dos Estados Unidos em agosto e setembro”. As datas ainda não estão confirmadas, mas a banda prometeu visitar lugares que ficaram de fora da última turnê.

+++++

A cantora Alanis Morissette gravou músicas em “homenagem” ao seu ex-namorado em seu próximo disco. A cantora canadense revelou que o seu próximo trabalho “Flavors of Entanglement” foi inspirado no término de sua relação com o ator Ryan Reynolds. A letra de “Straightjacket”, uma das novas canções, diz mais ou menos o seguinte: “Eu não sei quem você é / Falando comigo com tanto desrespeito”. Já em “Underneath”, Alanis canta: “Veja a gente quebrando nossos laços nessa cozinha / Veja a gente mobilizando nossas defesa / Veja a gente entrando em guerra em nosso quarto de dormir”. Alanis e Ryan foram noivos entre 2004 e 2007. Apesar da separação, a cantora disse ao Guardian que hoje é uma artista melhor. Ryan Reynolds vai se casar com a atriz Scarlett Johansson neste ano.

+++++

A banda inglesa de rock alternativo Happy Mondays está gravando um novo disco, que deve ser lançado no início de 2009. “As canções estão soando bem. Nós temos algumas músicas que ficaram de fora do nosso último lançamento [“Uncle Dysfunktional”, de 2007], por isso pensamos que vale a pena gravar mais um álbum”, disse o vocalista Shaun Ryder à Billboard. Este será o sexto disco da banda em 20 anos de existência, e o segundo após o retorno em 2007, quando a banda reatou os laços depois de 15 anos de separação. A banda inglesa participará de diversos festivais durante o verão europeu, começando pelo Synch Festival, em Atenas, no dia 13 de junho.

+++++

O álbum “In Rainbows”, do Radiohead, ganhou o prêmio de disco do ano no Prêmio Ivor Novello, um dos mais importantes da música. “Man On The Roof”, de Stephen Fretwell e “Thirst For Romance”, de Simon Aldred foram os concorrentes diretos do álbum do Radiohead. “In Rainbows” foi lançado em outubro do ano passado pela internet. Na ocasião, o fã decidia quanto deveria pagar pelo download do arquivo.

+++++

Martin Scorsese não vai dirigir o filme sobre a vida de Bob Marley. O cineasta não pôde aceitar o convite porque está com a agenda cheia. Jonathan Demme, diretor de “Heart Of Gold”, documentário-show de Neil Young, vai substituir Scorsese. O filme está previsto para estrear no dia 06 de fevereiro de 2010, data em que Bob Marley comemoraria 65 anos de idade. Martin Scorsese já dirigiu um documentário de Bob Dylan (“No Direction Home”), bem como “Shine a Light”, registro de um show dos Rolling Stones em Nova York.

+++++

A lendária banda inglesa The Who será homenageada em um show em Los Angeles no dia 12 de julho. O espetáculo, idealizado pelo canal VH1, terá as participações especiais de Pearl Jam, Foo Fighters e Flaming Lips. Esta será a terceira edição do “Rock Honors”, evento anual que homenageia algum expoente do rock. A banda homenageada também fará uma apresentação no evento.

+++++

E para não mudar de assunto, o The Who vai lançar uma versão animada de “Wire & Glass”, a mini-ópera-rock, que está presente no último álbum de estúdio da banda, “Endless Wire”, lançado em 2006. Ainda não há previsão de estréia.

+++++

Hoje, Morrissey comemora 49 anos. E para homenagear o fundador do The Smiths, uma das bandas mais importantes de todos os tempos, um vídeo de “Suedehead”, gravado ao vivo no programa Jools Holland.



PRESTES A LANÇAR DVD GRAVADO EM ROMA, GENESIS FALA SOBRE O SEU FUTURO

A banda inglesa Genesis se prepara para o lançamento do DVD “When In Rome”, que traz o concerto completo realizado no Circo Massimo para mais de meio milhão de pessoas. O DVD triplo ainda contém um documentário sobre a turnê – “Come Rain Or Come Shine” –, com duas horas de duração, que a retrata do seu início ao final. O vídeo tem previsão de chegar aqui no Brasil na primeira semana de junho. Nos Estados Unidos, sairá no dia 10 de junho, com venda exclusiva nas lojas Wal-Mart.
A banda também está estudando a possibilidade de lançar registros de shows antigos em seu site. Mas já está confirmado que sai ainda esse ano a terceira caixa com os discos antigos do Genesis remasterizados. O box vai trazer os álbuns do início de carreira da banda inglesa, de “Trespass” (1970) até “The Lamb Lies Down On Broadway” (1974). Todos os CDs virão com um DVD bônus com imagens da época.
Phil Collins, Tony Banks e Mike Rutheford concederam uma entrevista à Rolling Stone, cuja íntegra você lê abaixo.

A turnê foi um imenso sucesso, mas existia algo dentro de você que dizia que as coisas não poderiam correr bem pelo fato de vocês não estarem muito presentes na mídia?
Tony Banks: Nós estávamos com muito medo disso. Quando tivemos a idéia da turnê sabíamos que na Europa ia ser bom, mas não tínhamos noção do formato, se os shows seriam em teatros ou algo do tipo. Finalmente o nosso ‘promoter’ disse que poderíamos fazer uma turnê em grandes estádios. Ele estava muito confiante e fez algumas pesquisas de que isso poderia ser o caminho. Colocamos os ingressos a venda e eles foram vendidos muito rapidamente.

No documentário que consta no DVD, você ensaiaram “In Too Deep”, mas decidiram não executá-la nos shows. Existem outras canções que vocês ensaiaram mas não entraram no show?
Phil Collins: Nós tentamos várias, mas tínhamos que ver como o ritmo do show ia funcionar. Uma vez que a turnê não era muito grande, quando você encontra esse ritmo certo, é normal que você acabe abrindo mão de algumas coisas. Apesar de termos ensaiado outras canções, inclusive tivemos a intenção de tocar “In Too Deep” na perna norte-americana, nós decidimos continuar o mesmo roteiro da Europa, já que ele estava funcionando tão bem.

Por que vocês não levaram a turnê para a América do Sul ou para o Japão?
Phil Collins: Seria legal a gente fazer a América do Sul e o Japão ao invés de Europa e Estados Unidos [risos]. Foi algo pessoal mesmo. Eu tentei travar um pouco a coisa simplesmente porque, sem entrar em maiores detalhes, eu tenho duas crianças e não queria ficar longe delas. Na Europa era mais fácil porque eles podiam me visitar a cada duas semanas.

Por que vocês escolheram o show de Roma para o DVD?
Tony Banks: Foi um show realmente muito especial para nós. O concerto foi gratuito no Circo Massimo, que é um local internacionalmente conhecido, com meio milhão de pessoas assistindo. O tempo estava maravilhoso, sem claridade. Nós decidimos assim porque foi um show único na turnê. Algumas das tomadas dos vídeos, quando você vê o horizonte de Roma, é fantástico. Querendo ou não, toda a cidade de Roma ouviu o show, porque estávamos bem no meio da cidade.

Eu li alguns anos atrás que quando vocês conversaram com Peter Gabriel acerca da possibilidade de uma turnê que teria uma espécie de telão projetando imagens computadorizadas de vocês mais jovens. A tecnologia iria imitar todos os movimentos corporais e as expressões faciais quando vocês executassem “The Lamb Lies Down On Broadway”. Vocês poderiam falar mais sobre o conceito dessa provável turnê de reunião?
Mike Rutherford: Nós tivemos um encontro há quatro anos e veio essa idéia de fazer uma versão do “The Lamb Lies Down On Broadway”, com o Peter Gabriel e o Steve Hackett. Somente alguns shows. “The Lamb…” é um álbum muito visual e como poderíamos fazer muita coisa com esses telões, a gente pensou em algo muito especial. A dúvida era, a partir do momento em que “The Lamb…” é sobre um rapaz porto-riquenho e Peter Gabriel é um senhor inglês, seria difícil fazer essa montagem. Uma idéia que tivemos foi tentar trabalhar com a tecnologia, em que os movimentos de Gabriel no palco seriam sincronizados no telão, com um rosto mais jovem.
Tony Banks: Não me recordo desses detalhes todos. Nós estávamos abertos à idéia mesmo antes de iniciarmos nossa última turnê. É algo que, quem sabe, poderia acontecer sim. Se Peter Gabriel tivesse realmente vontade de fazer, certamente conversaríamos sobre isso. Ele é um homem muito ocupado, ultimamente. Ele esteve entre os cem principais ‘Homens do Ano’ da revista ‘Time’. Ele tem várias outras coisas para fazer no momento. Um espetáculo do “The Lamb Lies Down On Broadway”, 35 anos depois, certamente não é uma de suas prioridades.

Quais seriam as chances reais de uma turnê com Peter Gabriel e Steve Hackett acontecer nos próximos cinco ou dez anos?
Tony Banks: Acho que teria uns 23,5% de chances de ela acontecer.
Mike Rutherford: Eu não tenho idéia. Minha linha é “nunca diga nunca”.
Phil Collins: Considerando que há quatro anos tivemos essa conversa e desde então, ele não lançou álbum algum e nem saiu em turnê, eu penso que os dez anos seriam o tempo mínimo em termos reais. Eu não penso que faremos isso nos próximos dez anos. Se fizermos, estaremos todos em cima do palco, com os rostos de jovens porto-riquenhos [risos].

Existe alguma possibilidade de vocês três comporem músicas inéditas novamente?
Mike Rutherford: Não há nada planejado. Nunca digo nunca. Nós discutimos a idéia e gostamos do nosso processo de composição. É muito excitante o jeito que o Genesis escreve suas canções, começando sem música alguma, apenas fazendo ‘jams’. Um álbum é uma estrada que você pega e não pode parar. Quem sabe?

Existe a possibilidade de novos shows do Genesis, com vocês três?
Mike Rutherford: Nunca digo nunca, mas não há nada planejado.

Eu estava entrevistando Braan Dailer, da banda de metal Mastodon e ele me disse que o Genesis era a sua banda predileta e que Phil Collins era uma de suas maiores influências, além de sempre se inspirar na bateria de “The Lamb…” para as canções do Mastodon. Você conhece essa banda?
Phil Collins: Não, mas vou me informar. Existem pessoas em várias bandas que você jamais vai dizer que eles têm o Gensis como influência. Isto porque eles cresceram ouvindo a gente e acabam se envolvendo com outro tipo de música quando ficam mais velhos, mas as influências originais, de qualquer forma, estarão lá, o que é muito legal. Eu vou ouvir esse grupo.

Phil, eu li que Akon e Pharrell Williams gostariam de trabalhar contigo. Você está aberto para essa idéia?
Phil Collins: Sim, estou ciente disso. Se eu fizer algo, obviamente gostaria de tê-los envolvidos, ao menos para ver o que acontece. Mas, atualmente, não estou fazendo nada. Eu detesto começar a ‘rolar uma bola’ e não ter ninguém para pegá-la. Eu fico lisonjeado que eles tenha expressado esse interesse publicamente, arriscando suas carreiras [risos]. Tudo é possível e certamente vou pensar nisso, se eu pensar em gravar algo.

Vocês podem nos dizer quais os planos para o futuro?
Mike Rutherford: Não tenho muita coisa planejada neste momento. Eu trabalhei com o ‘Mike and the Mechanics’ durante muito tempo. Mas não há realmente nada planejado.
Tony Banks: Quatro anos atrás eu gravei um disco orquestral com a Filarmônica de Londres. Eu realmente gostei muito disso. E recentemente, eu me encontrei escrevendo coisas nessa área novamente. É o que quero fazer: um outro trabalho orquestral. Eu aprendi muito sobre isso ultimamente.

Phil, existe a possibilidade de um novo disco solo?
Phil Collins: Não em um futuro previsível. No momento estou envolvido em construção de modelos de estradas para as crianças. Ou para mim… Estou construindo um modelo de estrada no porão de minha casa. Parece-me que é uma obsessão. Realmente não existe um único quarto para música no momento, em minha casa. Tenho certeza que quando as estradas já estiverem quase prontas, eu irei para o meu pequeno estúdio. Eu tenho uma ou duas coisas terminadas e uma ou duas coisas que estão sendo cozinhadas, mas nada que ainda possa ser considerado um álbum.

Eu li que você está colecionando artefatos do “Alamo”. Qual é a coisa mais legal que você possui nessa coleção?
Phil Collins: Eu tenho todos os tipos de coisas. Tenho rifles, balas de canhão. Eu adquiri um machado outro dia, e alguns documentos. Agora estou fazendo algumas coisas, não eu propriamente… Correndo atrás de outros materiais. É uma coisa da minha infância que eu posso fazer na minha vida adulta porque tenho dinheiro para isso. É tudo muito caro.

21 de mai de 2008

RÁPIDAS

A cantora Tina Turner disse que a sua colega Beyoncé nunca será “rock n’ roll”. Nas palavras de Tina, a ex-vocalista do Destiny’s Child é “elegante demais para ser rock n’ roll”. “Diana Ross a influenciou, eu a influenciei. O que eu gosto nela, é que tem ciência para onde está indo. Ela fez o seu dever de casa e decidiu ser ‘elegante’. Ela não é ‘rock n’ roll’, ela é totalmente elegante. Você não pode fazer mímica se o ‘rock n’ roll’ não vem de dentro. A postura, os movimentos, tudo isso tem que sair de dentro”, afirmou Tina Turner. As duas cantoras se apresentaram juntas no Grammy Awards desse ano.

+++++

A emissora de televisão musical ‘Much Music’, do Canadá, disse que o Led Zeppelin vai fazer quatro apresentações no Toronto Skydome, no mês de agosto. Segundo a mesma emissora, não há possibilidade de shows do Led Zeppelin, nesse ano, nos Estados Unidos. Nenhum dos membros da banda se pronunciou oficialmente sobre a informação. No momento, Robert Plant está em turnê com a cantora Alison Krauss.

+++++

Chris Martin, em entrevista à Rolling Stone, deu algumas dicas sobre o que os fãs podem esperar da próxima turnê do Coldplay, que começará no dia 29/06, na Filadélfia. Martin disse que haverá um set acústico nos shows, e promete surpresas na parte visual do espetáculo. Segundo Martin, “a única regra é não voar”. Perguntado sobre o repertório dos shows, Martin respondeu sarcasticamente: “Vamos fazer um set de nove horas de duração e fornecer colchões para as pessoas dormirem. Vamos tocar todo o nosso catálogo, bem como o de Bruce Springsteen.”. Depois, falando seriamente, Martin deu a entender que os maiores sucessos do Coldplay farão parte do set-list: “Não, nós não somos idiotas. Nós não vamos tocar apenas ‘lados B’”.

+++++

A dupla inglesa Pet Shop Boys negou que tivesse se oferecido para trabalhar com Amy Winehouse na trilha Sonora do próximo filme de James Bond, ‘Quantum Of Solace’. Hoje, o jornal sensacionalista inglês ‘The Sun’ publicou que Neil Tennant teria dito que o Pet Shop Boys havia preparado uma seleção de canções para Amy participar.

+++++

E por falar em Amy Winehouse, foi confirmada a sua participação no festival Glastonbury para a noite do dia 28 de junho. Amy pisará no Pyramid Stage, palco nobre do evento, antes do rapper Jay-Z, que fechará a noite de sábado.

+++++

A banda Death Cab For Cutie alcançou o topo da para de discos da Billboard, com “Narrow Stairs”. O álbum vendeu 144 mil cópias na primeira semana de seu lançamento. O disco anterior da banda, “Plans”, chegou ao quarto lugar da parada norte-americana. O Death Cab For Cutie começará a sua turnê americana no sábado, dia 24, em Oregon.

+++++

A US Magazine noticiou que Steven Tyler, vocalista do Aerosmith, está internado em um centro de reabilitação para dependentes químicos, na Califórnia. O cantor lutou contra as drogas no final dos anos 70 e início dos 80, e estava aparentemente limpo desde 1986. O Aerosmith, atualmente, está promovendo o lançamento do video-game ‘Guitar Hero: Aerosmith’, que será o primeiro da série a se dedicar exclusivamente a uma única banda.

+++++

A banda inglesa The Kooks realizou um show surpresa na noite de ontem em Los Angeles. Apenas 69 pessoas testemunharam o concerto, e tiveram a chance de ouvir, em primeira mão, a música inédita que, segundo o vocalista Luke Pritchard, será intitulada “Shelter”. A letra da canção ainda estava inacabada, segundo o vocalista. O show foi realizado apenas com violões e sem microfones. Abaixo, um trechinho da canção “She Move’s In Her Own Way”, registrada durante o pocket show da banda inglesa.


PARA OS INICIANTES EM WHITESNAKE


Na onda das recentes apresentações que o Whitesnake fez no país, a gravadora Som Livre colocou nas lojas a coletânea “Collection”, que reúne 17 sucessos da banda britânica de hard rock. A maior parte das canções do disco vem dos anos 80, fase de maior sucesso comercial da banda, que, inclusive fez shows no Brasil em 1985, durante o Rock In Rio.

“Collection” já havia sido lançado em 2003, com as mesmas 17 faixas, mas sob o título “Best Of”. Como ocorre em toda coletânea, especialmente quando não há uma única faixa inédita, a tendência é que a mesma sirva de apresentação da banda para o ouvinte que não a conhece direito. No caso desta coletânea, a história não é diferente, e para quem não tem nada do Whitesnake, “Collection” é uma excelente pedida.

Os grandes sucessos estão todos lá. De “Fool For Your Loving”, do álbum “Ready ‘n’ Willing”, lançado em 1980, até “Too Many Tears”, de “Into The Light”, de 2000, passando pela esquecida “Here I Go Again”, gravada originalmente em 1982, no disco “Saints And Sinners”, “Collection” fornece um bom panorama do trabalho de um dos maiores grupos de hard rock do mundo.

As baladas que sempre foram uma constante no Whitesnake (de modo que ela ganhasse o título de ‘banda farofa’) também estão representadas na coletânea, com “Is This Love” – que fez parte do disco “Whitesnake” (1987) e tomou conta das rádios do Brasil por conta de sua inclusão na trilha sonora da novela “Brega & Chique” – e “The Deeper The Love”, do disco “Slip Of The Tongue”, lançado em 1989 e que teve Steve Vai como guitarrista da banda.

As músicas mais pesadas também dão as caras em “Collection”, que são os casos do mega-hit “Love Ain’t No Stranger” e de “Guilty Of Love”. Ambas as faixas são de “Slide It In”, disco mais conhecido da banda, e lançado em 1984.

Enfim, “Collection” é dispensável para o fã do Whitesnake que já tem todos os seus álbuns de estúdio. Para esse tipo de fã, a boa pedida é o novo trabalho da banda “Good To Be Bad”, lançado no mês passado e que estreou no ‘top ten’ da parada da Billboard. Contudo, para quem deseja ter uma visão panorâmica do trabalho da banda britânica, “Collection” é uma excelente inicialização. Não só do Whitesnake, mas do próprio hard rock.

Cotação: ***1/2

20 de mai de 2008

THE B-52’S GARANTE A FESTA COM “FUNPLEX”

Foram 16 anos sem lançar um disco de canções inéditas. Mas a espera valeu a pena. “Funplex”, novo trabalho do The B-52’s já pode ser considerado tranqüilamente um dos melhores discos de música pop internacional lançado em 2008.

O som datado da ‘new wave’ do início dos anos 80 se renovou de maneira surpreendente neste disco. E a mistura de rock e punk com a própria ‘new wave’, que o B-52’s sempre fez de maneira inteligente no final dos anos 70 e início dos 80, está latente neste final desta primeira década do terceiro milênio. Só que agora com uma sonorização moderna que, pode-se dizer, está bem à frente de nosso tempo. E isso sem contar com aquelas letras longas e divertidíssimas que sempre caracterizaram as suas músicas. Como bem disse o vocalista Fred Schenider, “‘Funplex’ soa como nós, renovados. É B-52’s hoje, ou 15 anos a partir de agora”.

A banda de Geórgia – conterrânea do R.E.M. – atravessou um período não muito agradável nos últimos anos. Após a morte do guitarrista Rick Wilson (irmão da vocalista Cindy Wilson) em 1985, a banda lançou apenas mais um disco de inéditas. “Good Stuff” foi gravado em 1992, sem a presença de Cindy, e deixou muito a desejar. A impressão que passou foi a de que a banda chegara realmente ao seu fim. Mas, após um hiato de 16 anos – o B-52’s lançou apenas duas canções inéditas, e bem fracas, neste período, na coletânea “Time Capsule: Songs For a Future Generation” (1998) – “Funplex” é uma das maiores surpresas da música pop nos últimos anos.

Nele, o quarteto formado pelos vocalistas Fred Schneider, Kate Pierson e Cindy Wilson e o guitarrista e arranjador Keith Strickland, faz jus ao título de “the world’s greatest party band”. Para comprovar isso, basta ouvir a deliciosa e pulsante “Hot Corner” e a excelente “Too Much To Think About”, com aqueles vocais cômicos de Schneider, que são uma das marcas registradas do grupo de Geórgia.

“Funplex” teve a produção de Steve Osborne, o mesmo responsável pelo renascimento artístico do New Order, com o ótimo disco “Get Ready” (1992). Parece que tirar artistas praticamente do limbo e colocar sob os mais luminosos holofotes é uma especialidade de Osborne. E, assim como no disco do New Order, o produtor soube imprimir à sonoridade tradicional do B-52’s a modernidade, com batidas eletrônicas modernas e afins. Ou seja, não poderia ser melhor: quem é fã das antigas do B-52’s vai apreciar esse trabalho do mesmo modo que a pessoa que está conhecendo a banda agora.

Em suma, “Funplex” é diversão garantida. Pode apostar no escuro. Faixas como “Pump”, “Ultraviolet”, “Dancing Now” e “Love In The Year 3000” são capazes de garantir qualquer festa madrugada adentro.

Cotação: *****

RÁPIDAS

Anthony Kiedis, vocalista do Red Hot Chili Peppers, anunciou que a banda encontra-se, no momento, em recesso. Em entrevista à Rolling Stone, Kiedis disse que o Red Hot resolveu parar pelo período mínimo de um ano. “Nós levamos muito tempo para gravar ‘Stadium Arcadium’ porque nós escrevemos muitas canções e após, ficamos muito ligados a elas e decidimos que seria um disco duplo. Foi uma grande experiência, mas que nos marcou para sempre. Nós todos estávamos emocional e mentalmente cansados. Cabeças mais frias prevaleceram e debatemos no final da turnê no sentido de que não faríamos nada, durante um ano, ligado ao Red Hot, somente iríamos viver, respirar, comer e aprender coisas novas”, afirmou o vocalista da banda californiana à Rolling Stone.

+++++

O guitarrista Slash vai se juntar ao rapper B Real, da banda Cypress Hill para um show na primeira edição do Sunset Strip Music Festival. O evento vai acontecer entre os dias 26 e 28 de junho em tradicionais casas de espetáculos de Los Angeles, como o Roxy, Whisky A-Go-Go e House of Blues. Na noite do dia 27, ainda haverá uma mesa redonda com presença do apresentador da CNN, Larry King, que debaterá com artistas e executivos da indústria do disco.

+++++

Os fãs da banda emo My Chemical Romance estão organizando uma passeata para o dia 31 de maio, em Londres, para protestar “contra os meios de comunicação que vêm denegrindo a imagem da banda”. Os jornais ingleses, recentemente, noticiaram que uma menina de 13 anos teria se suicidado por causa das canções do conjunto. São esperados três mil fãs para a passeata.

+++++

A cantora Janet Jackson anunciou que vai realizar uma turnê, que começará no dia 07 de setembro, no Canadá. A turnê ‘Rock With U’ será a primeira da cantora em sete anos, e todos os seus shows acontecerão em ginásios. Maiores detalhes serão anunciados em breve, mas, por enquanto, estão confirmados shows em Nova York e Washington DC. Janet Jackson lançou nesse ano, o álbum “Discipline”, que chegou ao primeiro posto da parada da Billboard.

+++++

Mel B, da banda Spice Girls, vai lançar o seu terceiro álbum solo. A cantora decidiu retornar à carreira musical após o sucesso da recente turnê das Spice Girls. Segundo Mel, que está trabalhando com os produtores JR Rotem e Scott Storch, já foram gravadas sete canções para o novo trabalho. Anteriormente, Mel lançou dois discos solo: “Hot” (2000) e “L.A. State of Mind” (2005). Ainda não há data de lançamento confirmada para o novo trabalho, cujo título ainda não está definido.

+++++

A cantora e atriz Miley Cyrus, sucesso no Disney Channel como Hannah Montana, encontra-se em estúdio finalizando o seu novo trabalho. Em “Breakout”, com previsão de lançamento para 22 de julho, Cyrus, pela primeira vez, abandona o apelido ‘Hannah Montana’ e coloca o seu próprio nome na capa do álbum. O primeiro single, “7 Things”, já vem fazendo sucesso nas rádios norte-americanas.

+++++

O Coldplay lançou uma segunda versão de videoclipe para o seu novo single “Violet Hill”. O satírico vídeo, dirigido por Mat Whitecross, intercala cenas de explosões com imagens de George Bush dançando e Tony Blair tocando guitarra. Outros ex-líderes políticos, como Fidel Castro e Saddam Hussein também fazem parte do videoclipe, que pode ser visto abaixo.

19 de mai de 2008

RÁPIDAS

O ex-líder do The Beach Boys, Brian Wilson, vai lançar no dia 01º de setembro, o álbum “That Lucky Old Sun”. O último trabalho lançado por Wilson foi “Smile”, em 2004. O novo CD é documental, tendo como pano de fundo a infância de Brian Wilson na Califórnia. O álbum terá 11 faixas, quatro delas com a colaboração de Van Dyke Parks, que já havia trabalhado com Wilson, em “Smile”.

+++++

O conjunto inglês Oasis confirmou que o próximo álbum da banda chegará às lojas em setembro. O disco ainda não tem título definido. A banda já havia virado notícia há duas semanas pelo fato de três canções inéditas terem vazado na internet. “I Wanna Live A Dream (In My Record Machine)”, “Nothin’ On Me” e “Stop The Clocks” provavelmente estarão presentes no novo álbum dos ingleses.

+++++

O compositor inglês Peter Gabriel anunciou um projeto de venda de música on-line, que se chamará ‘Music Club’. Peter Gabriel vai fornecer o seu estúdio gratuitamente para novas bandas e, após, disponibilizar, por um mês as sessões de gravação para os usuários cadastrados fazerem o download. Um álbum será oferecido, a cada mês, para os usuários do ‘Music Club’. O preço pelo serviço ainda não foi anunciado.

+++++

O Primal Scream vai se unir à lendária banda punk MC5 para um show no Meltdown Festival, que acontecerá no Royal Festival Hall, em Londres, no dia 24 de junho. Cada banda fará uma apresentação completa sozinha para depois, tocarem juntas. O Primal Scream prometeu executar canções do disco “Beautiful Future”, que será lançado no final de julho.

+++++

O compositor Elton John receberá um cachê de 5,2 milhões de libras para um show de uma hora. O concerto privado foi contratado por uma empresária russa. O valor do cachê talvez seja o maior já pago para uma performance de um cantor.

+++++

A banda inglesa Duran Duran criou uma série de podcasts exclusiva que vai revelar aos fãs os bastidores da gravação de seu último disco, “Red Carpet Massacre”. Os podcasts estarão disponíveis na página principal do “MSN Music”. Os demais podcasts serão disponibilizados durante o mês de maio, em uma média de quatro por dia.

+++++

P. Diddy disse que Kanye West mudou a sua vida. O rapper afirmou que o fato de ter assistido a um concerto de West o ajudou a redescobrir o seu amor pelo hip-hop. “O show mudou a minha vida. Eu não vou mentir. Eu fiquei muito impressionado e inspirado. Foi muito bonito, cara. E eu senti amor pelo hip-hop novamente. Eu gostaria de lhe agradecer, Kanye, por ter me dado esse presente”, afirmou P. Diddy, em seu vídeo diário postado no site youtube. Abaixo, o vídeo que está no youtube.

18 de mai de 2008

“INCLASSIFICÁVEIS” FICA MENOR EM DVD

O show “Inclassificáveis, um dos mais grandiosos da carreira de Ney é tipo aqueles filmes que só têm graça de serem assistidos no cinema. E essa conclusão ganha mais força após uma rápida olhada no DVD. Certamente não foi culpa do diretor João Jardim. Passar para o vídeo o que aconteceu no palco do show “Inclassificáveis” é uma tarefa ingrata.
A crítica completa, você lê no SRZD.

PEARL JAM AO VIVO EM SETE DOSES

Se tem uma banda que merece ir para o Guiness por conta de registros ao vivo lançados no mercado, sem dúvida, esta é o Pearl Jam. Até que existe uma boa justificativa para essa enxurrada de CDs ao vivo: a banda de Seattle nunca faz um show idêntico ao outro. Pelo visto, ela deve ter todas as canções compostas durante a carreira ensaiadas e, na hora do show, decide o que vai tocar. E isso sem contar com as ótimas versões para clássicos do The Who, Neil Young, Ramones e outros.

O novo ao vivo do Pearl Jam, "Live At The Gorge", que chegou ao mercado nacional recentemente, é uma caixa com sete CDs que englobam três shows diferentes realizados no belo The Gorge Ampitheater, na cidade de George.

O primeiro show (CD triplo) talvez seja o mais interessante. Gravado em 2005, ele não tem as canções do álbum de estúdio “Pearl Jam” (2006), que – diga-se de passagem – está bem longe dos melhores trabalhos da banda de Seattle. Esse show é bem parecido com o que a banda apresentou no Brasil no mesmo ano de 2005. O repertório é composto por grandes sucessos da banda, como “Alive”, “Daughter”, “Black” e “Betterman”. As surpresas ficam com a abertura (“I Believe In Miracles”, do Ramones) e o encerramento (“Baba O’Riley”, do The Who). Outras canções que não costumam aparecer muito nos roteiros de show do Pearl Jam também estiveram presentes, como “State Of Love And Trust” e “Dissident”.

Os outros dois shows (cada um ocupando um CD duplo) fizeram parte da turnê de divulgação do álbum de estúdio lançado dois meses antes (“Pearl Jam”), e várias canções dele aparecem nesses shows, como “Life Wasted”, “Army Reserve” e “World Wide Suicide”. O bacana é que, apesar de os shows terem sido realizados em dois dias seguidos, praticamente nenhuma das canções se repete. E os sucessos acabam se revezando nos dois shows, como “Even Flow”, “Last Kiss”, “Do The Evolution” e “Jeremy”. Na seara dos covers, o Pearl Jam arrisca a já famosa versão de “Rockin’ In The Free World” (Neil Young) e a rara “Little Wing” (Jimi Hendrix).

Agora, no mês de junho, o Pearl Jam faz uma mini-turnê pelos Estados Unidos antes de finalizar o seu novo disco de estúdio, que está sendo produzido por Brendan O’Brien. Não há previsão de lançamento do novo material. De repente, antes, ainda sai mais algum ao vivo por aí.

Cotação: ****

17 de mai de 2008

RÁPIDAS

Amy Winehouse foi convidada para realizar um show na Rússia, em junho. O evento marcaria a inauguração de uma galeria de arte em um antigo prédio de Moscou. O convite partiu de Daria ‘Dasha’ Zhukova, namorada do bilionário Roman Abramovich, presidente do time de futebol inglês Chelsea, que, por sua vez, é o dono da galeria. O valor do cachê não foi revelado. Outros bilionários russos já contraram artistas para fazer shows privados, Em 2006, George Michael recebeu 1,7 milhão de libras, e os Rolling Stones, 4,4 milhões.

+++++

A banda Duran Duran está furiosa com o Deutsche Bank. O banco convidou o grupo musical para um show privado, mas teve que cancelar devido aos recentes problemas que tomaram conta da economia mundial. O cachê que a banda deixou de receber estava estimado em meio milhão de libras. O Duran Duran alega que teve que reorganizar a turnê mundial toda, apenas para participar desse evento.

+++++

O líder do R.E.M., Michael Stipe, disse que é muito difícil ouvir canções do Nirvana, após a morte de Kurt Cobain. Em entrevista à revista Death + Taxes, Stipe afirmou que o suicídio de Cobain ocorreu quando ele estava em sua plenitude artística. “Estava tudo escrito, estava tudo muito bem e era óbvio para onde ele estava indo, e então isso acabou não ocorrendo. Eu ainda tenho problemas, não consigo escutar um álbum inteiro do Nirvana”, afirmou Stipe.

+++++

Mais um nome foi confirmado para o show de comemoração de 90 anos do líder sul-africano Nelson Mandela, que acontecerá no mês que vem, em Londres. Elton John confirmou participação hoje e fará dueto com um artista de nome ainda não revelado. Boatos dão conta de que o acompanhante de Elton John será a cantora Duffy ou o rapper Eminem.

+++++

Segundo reportagem do jornal inglês The Sun, o cantor David Bowie concordou com a realização de um musical baseado nos seus maiores sucessos. O diretor Peter Schaufuss tem planos de estrear o musical na Dinamarca, durante o outono do Hemisfério Norte. Não será a primeira vez que um musical terá no repertório canções de um artista do universo pop. “We Will Rock”, com músicas do Queen, e “Mamma Mia”, do Abba, fizeram muito sucesso em Londres e Nova York.

+++++

Será lançado na semana que vem o novo trabalho de Marcos Valle. Gravado durante quatro noites no Cinematèque Jam Club, no Rio de Janeiro, Valle registrou encontros com Marcelo Camelo (“Cara Valente” e “Samba de Verão”), Kassin +2 (“Estrelar” e “O Cafona”), Fino Coletivo (“Dragão” e “Boa Hora”) e os DJs Plínio Profeta e Nado Leal (“Mentira” e “Batucada”). Marcos Valle também apresenta números solo, como “Jet Samba” e “Garra”. O DVD também chegará ao mercado, mais ainda não tem data confirmada.