31 de jul de 2008

CD: “THE AGE OF UNDERSTATEMENT” (THE LAST SHADOW PUPPETS) – BOM DEMAIS PARA UM PROJETO PARALELO

“The Age Of Understatement” era apenas um disco que o líder do Arctic Monkeys, Alex Turner, gravou com um amigo, Miles Kane, para fazer algo um pouco diferente do que de costume. A estréia foi logo na invejável primeira colocação dos discos mais vendidos no Reino Unido durante uma semana. E, há poucos dias, saiu a seleta lista de indicados do Mercury Prize, um dos prêmios mais prestigiosos da indústria fonográfica mundial e – surpresa! – “The Age Of Understatement” não só figura na lista como é um dos favoritos a abocanhar o cobiçado troféu.

Pelo jeito, a brincadeira foi mais longe do que o esperado. E com muitos méritos, porque o primeiro álbum do The Last Shadow Puppets é bem mais interessante do que qualquer outro já lançado pela banda ‘principal’ de Alex Turner. (Ressalte-se que os dois álbuns do Arctic Monkeys também foram indicados ao Mercury Prize anteriormente, mas não levaram.)

O The Last Shadow Puppets foi formado por Turner e Miles Kane, da banda The Rascals. Ambos se conheceram quando o grupo anterior de Kane, The Little Fames, foi escalado para abrir alguns shows dos Monkeys. A química rolou e não demorou muito para Turner chamar Kane para tocar guitarra na música “505”, que fecha o segundo álbum dos Arctic Monkeys, “Favourite Worst Nightmare”. Em seguida, os dois começaram a compor e daí nasceu o projeto The Last Shadow Puppets. James Ford, do Simian Mobile Disco, uniu-se a dupla e os três foram correndo para o estúdio.

“The Age Of Understatement” foi gravado em poucos dias na França durante o mês de agosto do ano passado. James Ford tocou bateria e produziu todas as 12 faixas do álbum, que, por sua vez, foram compostas por Turner e Kane. E o resultado é surpreendente. Em rápidos 35 minutos, a banda, unida a London Metropolitan Orchestra, com seus 22 membros conduzidos pelo maestro canadense Owen Pallett, faz um som que mistura, pop, rock dos anos 60, western, clássico, spaghetti, épico e mais alguma coisa. A miscelânea resulta em uma das melhores coisas lançadas nesse ano.

A faixa-título, que abre o CD, já dá uma idéia ao ouvinte de toda essa mistura, que soa com uma solidez e uniformidade brilhantes. Essa canção também remete a três influências muito fortes que podem ser observadas nas demais faixas: o cantor Scott Walker, David Bowie nos anos 70 e, principalmente, Ennio Morricone. Aliás, “The Age Of Understatement” poderia ser, tranqüilamente, uma trilha sonora de algum western, composta pelo compositor e maestro italiano. Isto porque todas as suas faixas possuem uma ambientação típica dos filmes western que Ennio Morricone trabalhou, sempre brilhantemente, na trilha-sonora.

“Standing Next To Me”, com o seu saboroso som retrô, é outra grande atração do álbum, com os seus violinos chorando ao fundo. Outro destaque, repleto de variações melódicas, é “Separate And Ever Deadly”, que, assim como a teatral “Only The Truth” e “Black Plant”, também cairiam muito bem no filme “The Good, The Bad, The Ugly”, ou, até mesmo, em algum novo longa de Quentin Tarantino.

Alex Turner e Miles Kane também mostram talento para canções mais lentas e que, mesmo assim, musicalmente, não se afastam muito da proposta do trabalho. “The Meeting Place”, “The Chamber” e a acústica “Time Has Come Again” provam que, mesmo em momentos mais intimistas, o som do The Last Shadow Puppets pode soar grandioso como um filme no velho-oeste. Outra em que o maestro Owen Pallett mostra a fundamental importância de uma grande orquestra nesse álbum é “In My Room”, que, musicalmente, é a mais rica do álbum.

Quem não for fã dos Arctic Monkeys, provavelmente vai ter um pouco de preconceito ao colocar para rodar “The Age Of The Understatement”. Só que para curtir esse brilhante álbum, não é necessário ser fã da banda liderada por Alex Turner. Quem ouvir o álbum do The Last Shadow Puppets e não conhecer o trabalho do Arctic Monkeys, dificilmente vai resistir a conhecer a banda. Os fãs dos Monkeys vão dizer que Alex Turner é realmente um gênio ao manter dois grupos tão impactantes. Mas quem não for fã da banda principal de Turner, vai torcer mesmo é que ele esqueça um pouco os Monkeys e grave logo o segundo álbum ao lado de Miles Kane. Álbum esse, aliás, que já foi prometido pelos dois.

Abaixo, um vídeo com a apresentação ao vivo da faixa-título do álbum, no programa de Jools Holland, em abril passado.

Cotação: ****1/2

RÁPIDAS – LOLLAPALOOZA, CHARLY GARCÍA, ALICIA KEYS, PRIMAL SCREAM, SUPERTRAMP

Amanhã começa o Lollapalooza, um dos festivais mais importantes dos Estados Unidos. Durante os três dias de festival, 120 nomes da música subirão aos oito palcos montados em Chicago, para uma platéia de 75 mil pessoas por noite. Para esse ano, estão confirmados artistas como Radiohead (que fará o primeiro show de sua turnê norte-americana no festival), Rage Against the Machine, Nine Inch Nails, Kanye West, Wilco, Love And Rockets, Raconteurs e Gnarls Barkley.

+++++

O músico argentino Charly García foi internado em uma clínica em Buenos Aires. Não é a primeira vez que o argentino retorna ao Sanatório Güemes. Desta vez, o diagnóstico foi uma febre aguda.

+++++

A cantora Alicia Keys realizou um concerto em Jacarta, que foi alvo de protesto de organizações anti-tabagistas, devido ao patrocínio da Philip Morris. A companhia de fumo aceitou retirar o seu material promocional que cercava o local do evento.

+++++

O Primal Scream vai ser a principal atração do Rock N’ Roll Riot Tour, promovido pela New Musical Express. O primeiro show será no dia 20 de novembro, em Oxford, na Inglaterra. A turnê tem 16 datas agendadas e termina em Glasgow, cidade-natal da banda, no dia 13 de dezembro.

+++++

Roger Hodgson, ex-vocalista do Supertramp, diz que “não é o melhor momento” para a volta da banda. O vocalista deixou o super-grupo em 1983. O Supertramp seguiu sem o seu principal integrante e lançou o seu último álbum em 2002 (“Slow Motion”). Em 1988, a banda participou da primeira edição do finado festival Hollywood Rock. Hogson admitiu que volta e meia é sondado por gravadoras querendo saber da possibilidade de retorno da banda. O cantor se apresenta no São Paulo Moto Festival dia 6 de setembro. Abaixo, um vídeo de “The Logical Song” filmado no último show de Roger Hodgson com o Supertramp.

THE COSMOS ROCKS CHEGA ÀS LOJAS EM 14 DE OUTUBRO

A banda Queen + Paul Rodgers anunciou a data de lançamento de seu primeiro álbum de estúdio. O CD será lançado no dia 14 de outubro, e já tem duas canções confirmadas: “Say It’s Not True” (uma canção antiga do Queen, e que já foi lançada digitalmente) e a inédita “C-lebrity”. O disco também terá um cover de uma canção. Provavelmente será “Runaway”, de Del Shannon, que fez grande sucesso e chegou ao topo da parada norte-americana de singles em 1961. Será a primeira vez na história que o Queen (Freddie Mercury incluso) gravará uma versão de estúdio de uma música de outro artista.

O último álbum de canções inéditas do Queen foi “Made In Heaven”, com sobras de estúdio, lançado três anos após a morte de Mercury.

Abaixo, um vídeo de “Runaway”, na versão original de Del Shannon.

INÉDITAS DO ANTHRAX VAZAM NA INTERNET

Três canções absolutamente inéditas da banda foram parar na rede mundial de computadores hoje. “Fight ‘Em Til You Can’t”, “Revolution Screams” e “Vampryes” foram gravadas durante uma apresentação da banda em Chigado em maio passado. Todas elas contam com o novo vocalista da banda, Dan Nelson.

As músicas estão logo aí abaixo.

“Fight ‘Em Til You Can’t”


“Revolution Screams”

“Vampryes”

NE-YO FAZ PARCERIA COM NEW KIDS ON THE BLOCK

Nem Marilyn Manson, nem Chis Martin. Após falar que gostaria de trabalhar com um dos dois artistas, Ne-Yo anunciou hoje a sua nova parceria. Com o New Kids On The Block, Ne-Yo gravou uma canção chamada “Single”. A música estará disponível no iTunes a partir do dia 12 de agosto, e fará parte do álbum do NKOTB, que chegará às lojas no dia 02 de setembro.

Ne-Yo também gravou um jingle para os chicletes Big Red, muito conhecidos nos Estados Unidos. Apesar da vocação do cantor norte-americano para alcançar os primeiros lugares da parada norte-americana de singles, dificilmente o jingle de 30 segundo vai chegar ao Hot 100.

PANIC AT THE DISCO E DASHBOARD CONFESSIONAL PARTICIPAM DE PRIMEIRO FESTIVAL ‘ROCK BAND’

Dos consoles de video-game diretamente para o palco. Terá início em 05 de outubro uma turnê das bandas Panic At The Disco e Dashboard Confessional para promover a segundo edição de um dos jogos mais vendidos do mundo. Durante as apresentações, os expectadores terão a chance de mostrar suas habilidades no Rock Band, em cima do palco.

O primeiro show será em San Diego, e a turnê, que terminará em Houston, no dia 14 de novembro, já tem 30 datas marcadas.

Os gamemaníacos poderão fazer o download das apresentações diretamente para o jogo ‘Rock Band 2’, que chega às lojas em setembro.

Na turnê, o Panic At The Disco vai mostrar as canções que fazer parte de seu último álbum, “Pretty. Odd”, que já vendeu 323 mil cópias somente nos Estados Unidos. Já o Dashboard Confessional apresentará músicas de seu próximo álbum, com previsão de lançamento ainda para esse ano.

Maiores detalhes do evento podem ser vistos aqui.

FOALS ANUNCIAM DETALHES DE SEGUNDO ÁLBUM

A banda de Oxford, no momento, está em turnê pelo Oriente, mas o líder Yannis Philippakis disse que o segundo álbum será mais ansioso e otimista do que o seu antecessor “Antidotes”. Em um texto publicado no blog da banda, Philippakis escreveu que o novo trabalho “soará como o sonho de uma águia morrendo”. O texto foi escrito logo após a apresentação do grupo no festival Fuji Rock, que aconteceu no fim de semana passado, no Japão.

Entre um show e outro da turnê, a banda encontra tempo para compor novas canções e entrar em estúdio. Os integrantes da banda instituíram uma ‘greve de corte de cabelo’ até o final da gravação do novo trabalho. Ou seja, enquanto o disco não estiver pronto, nenhum dos membros do Foals poderá visitar um barbeiro.

MÚSICA DO THE KOOKS É OBJETO DE CONTROVÉRSIA NAS OLIMPÍADAS DE PEQUIM

O nome da banda britânica foi parar no noticiário esportivo de hoje. Isso porque, a equipe olímpica britânica de vela teve que mudar o nome da embarcação que possuía o nome de uma canção do The Kooks. A organização dos Jogos Olímpicos de Pequim considerou o nome “Jackie Big Tits” [em português: ‘Os Grandes Seios de Jackie’] inapropriado.

A dupla britânica Ben Rhodes e Stevie Morrison tem a tradição de nomear suas embarcações com nomes ligados a música. Alguns de seus barcos anteriores chamavam-se “Britney” e “Sally Cinnamon”. Morrison justifica os nomes sob o argumento de que “aparentemente, nunca é a mesma coisa se o barco possui apenas um número”.

Depois das ponderações dos agentes oficiais das Olimpíadas de Pequim, a dupla rebatizou a embarcação de “Little Miss Pipedream”, nome de uma canção do The Wombats.

Sobre a homenagem, Matthew Murray, líder dos Wombats, disse ao The Sun: “Essa honra é lendária para nós. Vamos torcer para que a equipe britânica de vela ganhe com o ‘Little Miss Pipedream’, com algum vento marsupial atrás dela”.

Abaixo, um vídeo com a canção “Jackie Big Tits”, gravado ao vivo no festival Pinkpop do ano passado.

LOS ANGELES INSTITUI O “DIA MOTLEY CRÜE”

A banda Motley Crüe, que lançou há pouco o álbum “Saints of Los Angeles”, foi homenageada pelo prefeito da cidade californiana, com a instituição do “Motley Crüe Saints of Los Angeles Day”. A partir de hoje, todo o dia 31 de julho será o “Dia Motley Crüe”, na cidade de Los Angeles.

A banda estará presente em uma cerimônia no Guitar Centre da cidade logo mais. No evento, a banda também vai anunciar alguma surpresa para seus fãs.

AKON DIZ QUE PODERIA SE APOSENTAR APÓS GRAVAÇÃO COM MICHAEL JACKSON

O rapper norte-americano ainda não tem planos de se aposentar, mas disse que, se tivesse que fazê-lo agora, estaria satisfeito. “Eu poderia me aposentar agora que já trabalhei com Michael Jackson”, disse. Akon recentemente gravou com Michael Jackson a canção “Hold My Hand”, que estará presente em seu próximo álbum, “Acquitted”.

Em entrevista a MTV, Akon disse que trabalhar com Jackson foi “um sonho que se transformou em realidade”. “Eu tinha uma lista com todas as pessoas com as quais eu gostaria de trabalhar. Mike estava no topo. Eu sempre dizia: ‘Bem, se um dia eu conseguir, será o sinal de que eu posso me aposentar’”, disse o rapper.

“Mas eu cheguei ao Mike dez anos antes do que eu esperava. Então eu decidi não me aposentar mais”, completou.

Na entrevista, Akon também confirmou que Michael Jackson participará do videoclipe de “Hold My Hand”, que ainda será filmado.

R.E.M. COLOCA SHOW COMPLETO NA REDE E ANUNCIA ESPETÁCULO NO MÉXICO

No início da semana, o R.E.M., em parceria com a Virgin Radio colocou no ar o áudio do show completo da banda na cidade de Dresden, Alemanha, no último dia 15.

O show, que tem excelente qualidade de áudio, pode ser ouvido aqui.

O roteiro completo da apresentação foi o seguinte:
1) “These Days”
2) “Horse To Water”
3) “Second Guessing”
4) “What's the Frequency, Kenneth?”
5) “Disturbance At The Heron House”
6) “Man-Sized Wreath”
7) “Ignoreland”
8) “7 Chinese Bros.”
9) “The Great Beyond”
10) “Accelerate”
11) “Walk Unafraid”
12) “Houston”
13) “Electrolite”
14) “Imitation Of Life”
15) “Little America”
16) “The One I Love”
17) “I’ve Been High”
18) “Let Me In”
19) “Living Well Is the Best Revenge”
20) “Bad Day”
21) “I’m Gonna DJ”
22) “Orange Crush”
23) “Supernatural Superserious”
24) “Losing My Religion”
25) “Hollow Man”
26) “Country Feedback”
27) “Man On The Moon”


+++++

O R.E.M. também anunciou ontem que vai levar a sua “Accelerate Tour” até a Cidade do México, no dia 18 de novembro. A data não estava anteriormente marcada e é um prenúncio de que a banda norte-americana vai estender a turnê, que está fazendo imenso sucesso. O site oficial do grupo diz que este será o último show da turnê, mas que “não ficaria surpreso se algumas datas adicionais forem anunciadas em breve”.

É hora dos brasileiros cruzarem os dedos!

SHOW DO BUTTHOLE SURFERS TERMINA EM CAOS

O último show da turnê norte-americana dos Butthole Surfers terminou em um verdadeiro caos na noite de anteontem, no Webster Hall, em Nova York. Tudo começou com um desentendimento entre o vocalista da banda, Gibby Haynes, e o técnico de som.

Já no final da apresentação, Haynes gesticulou para o técnico de som dizendo que o som em seu monitor não estava alto o suficiente. Após, o vocalista teria mostrado o dedo médio para o técnico, que, em seguida, repetiu o gesto para Haynes. Nesse momento, o vocalista correu em direção ao técnico e a briga começou.

A segurança da casa teve que intervir e arrastou o vocalista para fora do palco. A banda ainda tocou mais uma canção, com o guitarrista Paul Leary fazendo os vocais de “The Shah Sleeps In Lee Harvey’s Grave”.

Apesar de toda a confusão, ninguém foi preso.

Um trechinho do show (não da confusão) está logo aí abaixo.

TRAVIS ANUNCIA TURNÊ PELO REINO UNIDO

Uma das bandas britânicas mais queridas pelo público finalmente está de volta. Após anunciar um novo álbum, “Ode To J Smith”, agora é a vez de o Travis agendar 12 apresentações pelo Reino Unido para comemorar o lançamento do disco.

O primeiro concerto será na cidade escocesa de Inverness, no dia 22 de setembro. Após, a banda passará por Edimburgo, Liverpool, Newcastle, entre outras, até desembocar em Londres, para o derradeiro show, no dia 08 de outubro.

O novo álbum da banda escocesa será lançado oficialmente no dia 29 de setembro, e será precedido pelo single “Something Anything”, que chega às lojas duas semanas antes.

30 de jul de 2008

CD: “UMA NOITE... NOEL ROSA” (VÁRIOS ARTISTAS) – SEM ARRISCAR, NOEL GANHA UM TRIBUTO APENAS BUROCRÁTICO

Sem muito alarde, no ano passado comemorou-se 70 anos da morte de Noel Rosa, compositor que dispensa maiores comentários. A efeméride passou praticamente despercebida, mas no apagar das luzes de 2007, alguns dos melhores artistas de nossa música prestaram um tributo ao poeta da Vila. E é exatamente esse show que é imortalizado agora no CD “Uma Noite... Noel Rosa”, lançado pelo selo MP,B Discos, com distribuição da Universal Music. O DVD chega às lojas dentro de algumas semanas.

“Uma Noite... Noel Rosa” é aquele tipo de projeto que não tem erro. As composições de Noel são algumas das mais emblemáticas da Música Popular Brasileira. E juntando um time de bons intérpretes, a coisa não tem como sair dos trilhos. Assim, a MP,B já tinha uma canastra na mão ao juntar as canções eternas de Noel a cantores como Zeca Pagodinho, Ney Matogrosso e Roberta Sá. Mas fato é que, em muitas vezes, o disco soa um pouco burocrático e frio. Parece que os produtores ficaram com receio de fazer algo que fugisse um pouco da normalidade.

Por exemplo, em 1992, o saudoso produtor Almir Chediak lançou o songbook de Noel Rosa – um dos melhores do gênero, diga-se de passagem. Naquele álbum-tributo, João Bosco gravou “Gago Apaixonado”. Adivinha qual canção João Bosco gravou para “Uma Noite... Noel Rosa”? Exatamente a mesma. No songbook de Chediak, João Nogueira gravou, com a costumeira maestria, “Conversa de Botequim”. Em “Uma Noite... Noel Rosa”, seu filho, Diogo Nogueira, com um timbre muito parecido ao do pai, gravou a mesma canção. Ney Matogrosso, em seu antológico disco “À Flor Da Pele” (em parceria com o violonista Raphael Rabello) gravou “Último Desejo” e “Três Apitos”. Exatamente as duas canções foram repetidas em “Uma Noite... Noel Rosa”.

Essa sensação de ‘déjà vu’ não tira o brilho do projeto dirigido por João Mário Linhares e Ricardo Moreira, mas é inegável que o ouvinte, após uma rápida escutada no CD, vai pensar que algo poderia ser realmente melhor.

O grande destaque do disco é a cantora Roberta Sá. Com o seu estilo brejeiro, as canções de Noel Rosa caem como uma luva à sua agradável voz. A sua versão para “Pela Décima Vez” é o grande momento do show, superando em muito a impostada interpretação de Bethânia no songbook lançado há 16 anos. Roberta Sá também brilha em “O X Do Problema” e “Silêncio de Um Minuto”, sempre acompanhada pela ótima banda Anjos Da Lua, que participou de todas as canções do show.

Zé Renato é outro que se sai bem no clássico “Com Que Roupa” e, melhor ainda, na pouco conhecida “Rapaz Folgado”. Já Rodrigo Maranhão, apesar de grande compositor, não tem voz para segurar um “Feitiço Da Vila”, que já foi imortalizada por tantos monstros de nossa música. O mesmo acontece em “Pra Que Mentir?”, que acaba se transformando no pior momento do álbum. Já em “Palpite Infeliz”, Zé Renato faz um dueto com Maranhão e acaba segurando a onda.

Ney Matogrosso, apesar de não arriscar em canções diferentes do repertório de Noel, faz de “Três Apitos” outro grande momento de “Uma Noite... Noel Rosa”. Diferentemente da gravação feita no “À Flor Da Pele”, aqui Ney optou por algo mais leve e simples, que fica ainda mais bonito com a ótima intervenção do acordeonista Marcelo Caldi. A gravação ganhou muito com um arranjo que ficou mais próximo do universo de Noel Rosa – mais popular e menos clássico.

O encerramento com “Adeus / O Orvalho Vem Caindo / Até Amanhã” é outra bola dentro. Nessas canções, os instrumentistas dos Anjos Da Lua soltam a voz e, com muita descontração, misturando samba com choro, finalizam o projeto de modo muito interessante.

Completando o álbum, além de João Bosco, Zeca Pagodinho também gravou uma faixa em estúdio. “Fita Amarela” é uma bela música de Noel e que ganha muito com a característica interpretação ‘malandra’ do sambista carioca. O único senão é que a participação de Zeca Pagodinho vai dar mais munição para os críticos que vêm dizendo – não sem razão – que o sambista está se transformando em arroz de festa, com tantas participações em projetos coletivos desse gênero.

Cotação: ***1/2

RÁPIDAS – CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL, MILEY CYRUS, OS PARALAMAS DO SUCESSO, ALCEU VALENÇA, AC/DC

Serão relançados no dia 30 de setembro, os seis primeiros álbuns do Creedence Clearwater Revival. Todos eles foram remasterizados digitalmente e tiveram faixas bônus incluídas. Os seis discos que ganharão a versão luxuosa serão “Creedence Clearwater Revival”, “Bayou Country”, “Green River”, “Willy & The Poor Boys”, “Cosmo’s Factory” e “Pendulum”. Todos eles foram gravados entre 1968 e 1970.

+++++

Miley Cyrus, com o seu álbum “Breakout”, alcançou o primeiro lugar da parada da Billboard. Foram vendidas 371 mil cópias do disco na sua primeira semana de lançamento. “Breakout” só perde para “E=MC2”, de Mariah Carey, como o álbum mais vendido na primeira semana de lançamento. “Breakout” é o terceiro disco de Cyrus. O primeiro foi a trilha-sonora do filme “Hannah Montana”, de 2006.

+++++

Na próxima 3ª feira, Os Paralamas do Sucesso e Alceu Valença se encontram no palco do Canecão, no Rio de Janeiro, para uma dobradinha no projeto “Loucos Por Música”. Os preços variam de R$ 20,00 a R$ 150,00 e a renda será doada para a SOSINTRA e para a ECCO, instituições sem fins lucrativos criadas por profissionais defensores da melhoria assistencial aos usuários de serviços de saúde mental. A banda Sistema Nervoso Alterado faz o show de abertura, às 20h30.

+++++

A Rolling Stone noticiou que, de acordo com uma fonte próxima ao AC/DC, o primeiro show da turnê da banda australiana será no final de outubro para coincidir com as comemorações de Halloween, na cidade de Chicago. Segundo a mesma fonte, o novo single da banda será “Rock & Roll Train”, e deve chegar às rádios em 28 de agosto.

TV ON THE RADIO REVELA CANÇÕES DO NOVO ÁLBUM

A banda TV On The Radio anunciou hoje as datas de sua turnê pela América do Norte e também os nomes das faixas de seu novo disco.

O sucessor de “Return To Cookie Mountain”, lançado em 2006, vai se chamar “Dear Science,” e chegará às lojas européias no dia 22 de setembro. Os norte-americanos ainda terão que esperar um dia para comprar o novo CD.

As onze faixas serão as seguintes:
1) “Halfway Home”
2) “Crying”
3) “Dancing Choose”
4) “Stork & Owl”
5) “Golden Age”
6) “Family Tree”
7) “Red Dress”
8) “Love Dog”
9) “Shout Me Out”
10) “DLZ”
11) “Lover's Day”


Já a turnê da banda começará em Portland no dia 05 de setembro. Vinte e seis apresentações já foram agendadas até o dia 08 de novembro, quando será o último show da turnê, em San Diego, Califórnia.

JAY-Z FALA SOBRE NOVO ÁLBUM E NÃO GARANTE TIMBALAND NA PRODUÇÃO

Jay-Z falou sobre o seu novo disco, que ainda não começou a ser gravado, durante uma entrevista à Rolling Stone nos bastidores do Pemberton Festival, que aconteceu no Canadá no fim de semana passado. Ele aproveitou para falar sobre as declarações de Timbaland que, há duas semanas, disse que produziria o seu novo álbum.

“Você sabe, eu adoro o Timbaland, ele é como um irmão para mim, mas até que a música esteja pronta, é prematuro falar qualquer coisa. Eu sou uma pessoa que trabalha com música. Se o Timbaland fizer dez grandes canções, ele produzirá o álbum. Se Kanye West fizer dez grandes canções, ele produzirá o álbum. Se ele fizer três, eu pegarei três. Eu deixo a música ditar a direção”, disse Jay-Z, dando a entender que não escolheu ainda quem produzirá o seu novo trabalho.

GRAVAÇÕES INÉDITAS DOS BEATLES SÃO DESCOBERTAS

Uma fita com faixas que nunca foram lançadas comercialmente pelos Beatles foi encontrada no sótão de uma casa em Liverpool. A fita, que não é posta para rodar desde os anos 60, foi encontrada por um homem que estava fazendo uma faxina na residência de seu pai.

A gravação tem 30 minutos de duração e inclui versões alternativas de sucessos dos Beatles, como “I Feel Fine” e “I’m a Loser”. Durante a gravação de “I’ll Follow The Sun” é possível ouvir os quatro integrantes da banda explodirem em uma enorme gargalhada.

O blog Wogew, especializado em Beatles, afirmou que o material foi gravado para o programa de televisão da BBC, “Top Gear”, em 1964.

A fita será leiloada nesse mês e deve ser arrematada por até 12 mil libras (equivalente a 37,2 mil reais).

NOVO DISCO DO OASIS SAI EM OUTUBRO



A banda inglesa anunciou hoje que o seu novo álbum, “Dig Out Your Soul”, chega às lojas de todo mundo no dia 06 de outubro. Nos Estados Unidos, porém, o lançamento será um dia depois.

Hoje também, a banda postou em seu canal no Youtube, o videoclipe do primeiro single do CD, “The Shock Of The Lightning” (acima). O single será lançado no dia 29 de setembro.

RAY DAVIES PREPARA MUSICAL INSPIRADO NOS ANOS 50

O ex-líder do The Kinks finalizou a gravação de um novo disco temático chamado “Come Dancing”, que conta a história de uma pessoa que nasce em Londres e cresce no período do pós-guerra. Davies compôs 20 novas canções para a produção que vai chegar aos palcos londrinos ainda esse ano.

O foco de “Come Dancing” é a cidade de Londres nos anos 50, um tempo que o rock e o pop ainda não haviam tomado conta da cena musical. Davies inspirou-se em suas irmãs – que, quando eram jovens nos anos 50, saíam para as boates toda noite de sábado – para montar título do musical. “Come Dancing” também é o nome de uma canção de sua ex-banda, The Kinks.

Davies estava planejando a elaboração desse musical por mais de uma década. No ano 2000, ele disse à Rolling Stone: “‘Come Dancing’ é um musical com muitos atores e atrizes. É sobre as minhas irmãs e como elas viviam durante o período do pós-guerra”.

O musical será dirigido por Kerry Michael, que recentemente assumiu a produção da peça “The Harder They Come”.

“Come Dancing” estréia no Theatre Royal Stratford East, em Londres, no dia 13 de setembro.

UMA TARDE DO RADIOHEAD COM O ARCADE FIRE EM MONTREAL

O baixista do Radiohead, Colin Greenwood (foto acima), revelou que o Arcade Fire apresentou a cidade de Montreal a ele e aos seus colegas de Radiohead na última vez que se apresentaram lá. Em entrevista ao The Montreal Gazette, Greenwood explicou que as duas bandas saíram para se divertir após os dois shows que o Radiohead fez na cidade-natal do Arcade Fire em junho de 2006.

“Realmente foi muito divertido. Eles nos levaram para um lado da cidade [Mile End], aonde eles vivem. Comemos baguete e tomamos café nas escadas da igreja. Foi muito legal. Fomos a um bar e vimos um jogo da Copa do Mundo de futebol”, disse Greenwood.

“Eles assistiram aos nossos dois shows na cidade. Eles [os integrantes do Arcade Fire] nos pegaram e nos levaram até o parque para ver um jogo. Aí, nós subimos até o alto de uma montanha e vimos a cidade inteira de Montreal com eles. Nós conversamos com Regine e Win [Butler, ambos integrantes do Arcade] sobre as nossas turnês. Foi muito divertido”.

O Radiohead volta a se apresentar em Montreal no próximo dia 06 de agosto.

+++++

O tão falado vídeo que o Radiohead gravou sem câmeras, já está disponível para download gratuito, em alta resolução, no site oficial do grupo. As imagens do videoclipe foram capturadas somente através de luzes e laser.

Para quem (ainda) não viu o vídeo e também não tiver interesse em baixá-lo, segue abaixo:

THE CORAL FAZ RARA APRESENTAÇÃO ACÚSTICA

A banda The Coral realizou ontem um show acústico no Coliseum Theatre, em Londres. Durante a apresentação, a banda recebeu como convidado especial o ex-produtor Ian Broundie (líder do Lightning Seeds), que tocou guitarra de doze cordas nas canções “Goodbye” e “Pass It On”.

No repertório do show, canções de todas as fases da carreira do conjunto, que, no momento, promove o lançamento da coletânea “Singles Collection”. Canções mais recentes da banda também estiveram presentes no roteiro, como “Being Somebody Else”, “Green Is The Colour” e “Rovin In The Jewel” (vídeo abaixo).

O The Coral também mostrou duas versões para canções de outros compositores: “Everybody’s Talkin’”, de Fred Neil e que ficou imortalizada na voz de Harry Nilsson, e “Bye Bye Love”, do The Everly Brothers. Com relação a esta última, o vocalista James Skelly admitiu que “foi uma das primeiras músicas que aprendemos a tocar juntos”. “Bye Bye Love” encerrou a apresentação.

O roteiro completo da apresentação foi o seguinte:
1) “Spanish Main”
2) “Who’s Gonna Find Me”
3) “Jacqueline”
4) “Simon Diamond”
5) “Shadows Fall”
6) “Goodbye”
7) “Pass It On”
8) “Liezah”
9) “Green Is The Colour”
10) “In The Morning”
11) “Bill McCai”
12) “Fireflies”
13) “Being Somebody Else”
14) “Don’t Think You're The First”
15) “Put The Sun Back”
16) “Rovin In The Jewel”
17) “Everybody’s Talkin’”
18) “Dreaming Of You”
19) “Careless Hands”
20) “Calendars And Clocks”
21) “Bye Bye Love”



+++++

Em entrevista a BBC, James Skelly falou sobre o The Arctic Monkeys, cujos membros costumam dizer que o The Coral foi uma de suas principais influências. Segundo o vocalista, servir como inspiração para as novas bandas é o principal motivo de o The Coral fazer música até hoje.

“Acho que somos uma grande banda, mas se alguém diz isso e gosta realmente de você, então isso é legal. É por isso que fazemos música até hoje”, afirmou Skelly.

EXPOSIÇÃO RELEMBRA MÚSICOS QUE MORRERAM AOS 27

Vinte e sete parece ser um número cabalístico para a história da música. Vários de seus ícones morreram com essa idade, entre eles, apenas para citar os mais famosos, Kurt Cobain, Jimi Hendrix e Jim Morrison.

A exposição “Forever 27”, que acontece em Londres a partir do mês de setembro, faz uma homenagem a todos esses artistas e a outros que também se foram aos 27, como Janis Joplin e Brian Jones. Na mostra, o fã poderá ver fotografias raras, como a primeira de Brian Jones ao lado dos Rolling Stones.

Sam Talbot, curador da exposição, disse: “Nós sentimos que o ‘clube dos 27’ continua a ter relevância. As atenções permanecem fortes para esses cinco músicos. Através das fotografias de alguns dos maiores rockeiros do século passado, essa exposição oferece uma oportunidade para examinar de que forma eles foram afetados”.

Abaixo, segue uma lista com nomes de 20 grandes músicos que partiram dessa para melhor aos 27 anos de idade:
1) Kurt Cobain (Nirvana)
2) Jimi Hendrix
3) Brian Jones (The Rolling Stones)
4) Janis Joplin
5) Jim Morrison (The Doors)
6) Robert Johnson
7) Dave Alexander (The Stooges)
8) Jesse Belvin
9) Dennes Dale Boon (Minutemen)
10) Pete de Freitas (Echo & The Bunnymen)
11) Peter Ham (Badfinger)
12) Les Harvey
13) Alan Wilson (Canned Heat)
14) Ron ‘Pigpen’ McKernan (Grateful Dead)
15) Chris Bell (Big Star)
16) Bryan Ottoson (American Head Charge)
17) Mia Zapata (The Gits)
18) Sean Patrick McGabe (Ink and Dagger)
19) Kristen Pfaff (Janitor Joe e Hole)
20) Gary Thain (Uriah Heep)

PETE DOHERTY LAMENTA SITUAÇÃO DE AMY WINEHOUSE

O líder do Babyshambles disse estar desolado com os problemas de sua amiga, Amy Winehouse. Em entrevista à revista Loaded, Doherty disse sentir muito pela amiga. “Ela está sozinha por um ano por causa da prisão de seu marido. É uma vida solitária e ela está rodeada por jornais. Eu realmente sinto muito, muito por ela”, disse o cantor.

Winehouse foi diagnosticada com enfisema pulmonar no mês passado após ter desmaiado em sua casa, em Londres.

Doherty também aproveitou para falar sobre a sua batalha pessoal contra as drogas, ao mesmo tempo que negou ser um mau exemplo para seus fãs. “Eu não posso entender porque as pessoas me chamam de má-influência. Eu sempre encontro várias crianças que estudam música. Eu perco todo o tempo que posso com elas. Eu ouço as fitas demo delas e sempre dou força”, afirmou.

“Ninguém nunca me perguntou o telefone de um traficante de drogas. É música, música, música. Essa é a minha influência.”, completou o cantor e compositor.

THE KILLERS APRESENTAM INÉDITAS EM SHOW INTIMISTA

Como já era esperado, a banda The Killers tocou músicas que provavelmente farão parte de seu próximo álbum durante um show na noite de ontem em Nova York. Vestidos com o figurino de seu último disco, “Sam’s Town” (2006), os integrantes da banda fizeram um show voltado apenas para membros de fã-clubes. No repertório, além das inéditas, alguns velhos sucessos e canções que estavam fora do roteiro de seus shows havia tempos.

O novo álbum do The Killers será lançado em novembro. O disco, que ainda não tem título definido, foi produzido por Stuart Price (ou Jacques Lu Cont, como também é conhecido).

No mês que vem, a banda vai se apresentar nos festivais ingleses de Reading e Leeds, ao lado de outros grupos, como Metallica e Rage Against The Machine.

Abaixo, os vídeos de duas canções inéditas: “Neon Tiger” e “Spaceman”.



29 de jul de 2008

DVD: “LIVE IN GLASGOW” (NEW ORDER) – UM DVD COM SABOR DE DESPEDIDA

Recentemente o New Order lançou no exterior o DVD que cobre a turnê de seu último álbum, “Waiting For The Sirens’ Call”. Talvez tenha sido também a turnê de despedida da banda, que ainda não definiu se acabou mesmo – o baixista Peter Hook diz que sim, enquanto os demais integrantes negam. Essas diferenças estão bem nítidas nas rápidas entrevistas que entremeiam as canções do DVD. Enquanto o vocalista Bernard Summer adora os estúdios e gosta mais de turnês curtas, o baixista diz preferir os palcos, principalmente se as turnês forem bem longas. Summer diz preferir as canções dançantes, enquanto Hook gosta das mais puxadas para o rock. E por aí vai...

Nesse “Live In Glasgow” é possível notar toda essa diferença – que acaba se transformando em desânimo – em cima do palco. Apesar do repertório muito bom, com sucessos como “Bizarre Love Triangle” (vídeo abaixo), “Perfect Kiss”, “Temptation”, “Blue Monday” e “Regret”, percebe-se que há algo errado no show, o que transforma esse DVD no mais burocrático do New Order.

Além dos sucessos que sempre estão presentes nos shows da banda inglesa, “Live In Glasgow” traz canções do disco que ora estava sendo lançado, como “Turn”, “Who’s Joe” e “Krafty”, além de, claro, clássicos do Joy Division (embrião do New Order). Nesse caso, entraram “These Days” (que Bernard Summer diz raramente tocar em shows), “Transmission”, “Shadowplay” e “Love Will Tear Us Apart” (estas três são as músicas de encerramento do show).

“Live In Glasgow” é o tipo de DVD que poderia ser recomendado somente para os mais aficionados ou para quem não conseguisse encontrar os DVDs anteriores (“316” e “511 – Finsbury Park”), que são bem superiores. Mas existe um porém forte nesse caso.

Além do show filmado em Glasgow, existe um disco bônus com nada menos do que 21 músicas registradas em diversos locais. E é aí que a brincadeira começa. Por exemplo, imagina o New Order executando “Procession”, nos primórdios do festival de Glastonbury? Pois é, está no DVD. Ou então uma versão sensacional de “Ultraviolence” registrada em Roma no ano de 1982. Também tem no DVD! E não pára por aí. Outras raridades, como “Dream Attack”, “The Village”, “Everything’s Gone Green”, também fazem parte do segundo disco desse “Live In Glasgow. Tudo filmado entre os anos de 1981 e 1989, com a inclusão de duas canções (“Run Wild” e “She’s Lost Control”) registradas no festival Wireless, no Hyde Park, em 2006. Realmente, é para fã nenhum botar defeito, apesar de a qualidade de imagem e áudio oscilar muito.

Dessa forma, “Live In Glasgow”, por conta de seu DVD retrospectivo, torna-se item obrigatório para qualquer fã do New Order. Pena que o show em Glasgow propriamente dito esteja mais para um réquiem. Ou seja, um show recente e meia-bomba acompanhado por outras apresentações históricas da banda... É, acho que esse DVD cheira a despedida mesmo... Infelizmente.

Cotação: **1/2 (para o show em Glasgow) e ****1/2 (para o DVD de raridades)


RÁPIDAS – OASIS, THE POLICE, ELVIS COSTELLO, GEORGE MICHAEL, PETE SEEGER, BABYSHAMBLES

Curiosidade para os fãs do Oasis: o Grand Pier de Weston-Super-Mare, em Somerset, que ficou eternizado na capa do single “Roll With It” (acima), foi completamente destruído por um incêndio na manhã de ontem. As causas do desastre são desconhecidas.

+++++

A banda The Police vai fazer a sua despedida da televisão, em um dos episódios do programa que Elvis Costello está gravando para o Sundance Channel, dos Estados Unidos. Em “Spectacle: Elvis Costello With...”, a banda de Sting, Andy Summers e Stewart Copeland vai participar de um bate-papo e tocar algumas canções ao vivo. Ainda não há previsão de data para o programa ir ao ar. Outros artistas, como Smokey Robinson, Tony Bennett, Lou Reed, e Elton John também participarão de episódios da série de Costello, que terá 13 programas, cada um com 60 minutos de duração.

+++++

O porta-voz de George Michael anunciou hoje que o cantor inglês não vai se juntar a Andrew Ridgely para ressuscitar o Whan! em seus shows de despedida em Londres. “Nós não sabemos de nada acerca dessa situação”, disse o porta-voz do cantor ao Mirror. Ontem, surgiram boatos de que a dupla relembraria sucessos antigos nos dois últimos shows da carreira de George Michael.

+++++

A lenda do folk Pete Seeger vai lançar o seu primeiro álbum em cinco anos. “At 89”, que faz menção a idade do cantor e compositor, terá 32 faixas e chega às lojas no dia 30 de setembro. De acordo com o porta-voz de Seeger, o repertório é formado por canções inéditas, além de regravações de canções antigas que não foram gravadas anteriormente.

+++++

Uma nova música do Babyshambles vazou na Internet hoje. “Arcady” já era conhecida, em versão acústica, através de várias demos de Pete Doherty. Mas o baterista da banda, Adam Fickey, colocou em sua página no Myspace uma versão da mesma música, com a banda completa. Provavelmente tal versão foi gravada em 2005, durante as sessões do primeiro álbum da banda, “Down In Albion”, que foi produzido por Mick Jones (ex-The Clash) e pelo guitarrista Patrick Walden. A canção está disponível aqui. Atenção que o título da canção está grafado como “sshhh”.

TOM MORELLO LANÇA NOVO ÁLBUM SOLO

O guitarrista do Rage Against The Machine anunciou que vai lançar o segundo disco de seu projeto paralelo, The Nightwatchman. O nome do álbum será “The Fabled City” e terá 11 faixas com letras políticas e melodias calcadas no folk. O disco, que foi gravado em apenas oito dias, foi produzido por Brendan O’Brien.

Diferentemente do disco anterior, “One Man Revolution” (2007), Morello e O’Brien criaram arranjos mais ecléticos. “Definitivamente ele soa mais pesado do que o anterior”, disse Morello à Rolling Stone. O álbum terá as participações especiais de Serj Tankian e de Shooter Jennings.

As canções de “The Fabled City” foram compostas durante um período conturbado de Morello, que perdeu, nesse meio tempo, um tio e uma tia. “Esse disco é uma busca da esperança através da música”, afirmou o guitarrista. Letras políticas também são uma constante no novo trabalho. “Midnight In The City Of Destruction”, por exemplo, fala sobre o furacão Katrina. “Eu perdi meu avô, dois vizinhos e um amigo”, canta Morello.

ALICIA KEYS E JACK WHITE GRAVAM TEMA DE JAMES BOND

Parece que depois de tamanha especulação em cima de tantos nomes (Duffy, Amy Winehouse, Duran Duran, Leona Lewis), agora está confirmado que a cantora Alicia Keys e o guitarrista Jack White vão gravar a música principal do próximo filme do espião 007, “Quantum Of Solace”.

Há alguns meses, Alicia Keys falou sobre o seu desejo de trabalhar com o líder do Raconteurs e do White Stripes. Mas ninguém esperava que essa colaboração seria logo para a trilha-sonora do filme de James Bond. O nome da canção gravada pelo dois é “Another Way to Die”. A faixa foi escrita e produzida por Jack White, que também tocou bateria na gravação. Esta será a primeira vez na história que um filme de James Bond terá um dueto.

Ainda não há previsão de lançamento do álbum com a trilha-sonora de “Quantum Of Solace”. Com “Another Way To Die”, Alicia e Jack se juntam a um time de artistas como Shirley Bassey, Carly Simon, Paul McCartney e A-HA, que também já gravaram canções para filmes do espião mais famoso do mundo.

DUFFY DEFENDE DOWNLOAD ILEGAL

Indo de encontro ao recente acordo feito entre o governo britânico, a indústria da música e os provedores de Internet, que se comprometeram a mandar cartas de advertência para as pessoas que baixarem arquivos de música ilegalmente pela Internet, a cantora que mais vendeu CDs nesse ano disse que sente confortável com o fato de pessoas ouvirem as suas músicas gratuitamente.

Em entrevista à revista Uncut, a cantora galesa disse que o download ilegal é o que faz com que o consumidor compre mais discos no futuro. “Bem, o negócio pode ir por dois caminhos diferentes. Há prós e contras para tudo. Algumas pessoas acham que o download ilegal é errado, mas eu penso que a bola é redonda, sabe? Eu entendo que há mais pontos positivos porque dá acesso às pessoas, e qual o prejuízo nisso?”.

“Alguém me perguntou um dia desses o que eu pensava acerca do download ilegal e eu pensei: ‘Sabe o que eu acho? Eu não me importo’, porque acho que a maioria das pessoas que fazem isso são crianças, e quando elas ficarem mais velhas, provavelmente vão comprar mais discos. A música faz parte da vida de todos”, completou Duffy.

BOB DYLAN LANÇA NOVO ÁLBUM DE RARIDADES EM OUTUBRO

O oitavo título da “Bootleg Series” se chamará “Tell Tale Signs”, e tem previsão de chegar às lojas no dia 07 de outubro. O novo volume trará gravações inéditas e versões alternativas de canções lançadas por Dylan nas últimas duas décadas. A maioria das faixas do álbum são sobras de estúdio das sessões de gravação dos discos “Time Out Of Mind”, “Love And Theft” e “Modern Times”. Gravações ao vivo completarão o pacote.

Durante um período limitado, o site oficial do compositor norte-americano oferecerá o download gratuito de “Dreamin’ Of You”, uma sobra das sessões de gravação de “Time Out Of Mind”.

“Tell Tale Signs” estará disponível em duas diferentes versões: CD duplo e vinil quádruplo. Ambas conterão 27 faixas e um livro com 60 páginas. Haverá ainda uma edição de luxo, que terá um CD bônus com mais 12 faixas raras e um livro de fotos com 150 páginas.

Eis as faixas do super-lançamento:
CD1:
1) “Mississippi” - (Unreleased, Time Out Of Mind)
2) “Most of the Time” - (Alternate version, Oh Mercy)
3) “Dignity” - (Piano demo, Oh Mercy)
4) “Someday Baby” - (Alternate version, Modern Times)
5) “Red River Shore” - (Unreleased, Time Out Of Mind)
6) “Tell ‘Ole Bill” - (Alternate version, North Country Soundtrack)
7) “Born in Time” - (Unreleased, Oh Mercy)
8) “Can’t Wait” - (Alternate version, Time Out Of Mind)
9) “Everything is Broken” - (Alternate version, Oh Mercy)
10) “Dreamin’ of You” - (Unreleased, Time Out Of Mind)
11) “Huck’s Tune” - (Lucky You soundtrack)
12) “Marching to the City” - (Unreleased, Time Out Of Mind)
13) “High Water (For Charley Patton)” - (Live, Niagara, 2003)


CD 2:
1) “Mississippi” - (Unreleased version #2, Time Out Of Mind)
2) “32-20 Blues” - (Unreleased, World Gone Wrong)
3) “Series of Dreams” - (Unreleased, Oh Mercy)
4) “God Knows” - (Unreleased, Oh Mercy)
5) “Can’t Escape From You” - (Unreleased, December 2005)
6) “Dignity” - (Unreleased, Oh Mercy)
7) “Ring Them Bells” - (Live at the Supper Club, 1993)
8) “Cocaine Blues” - (Live, Vienna, Virginia, 1997)
9) “Ain’t Talkin’” - (Alternate version, Modern Times)
10) “The Girl On The Greenbriar Shore” - (Live, 1992)
11) “Lonesome Day Blues” - (Live, Sunrise, Florida, 2002)
12) “Miss the Mississippi” - (Unreleased, 1992)
13) “The Lonesome River” - (Clinch Mountain Country)
14) “‘Cross The Green Mountain” - (Gods And Generals Soundtrack)


CD 3 (somente na edição especial):
1) “Duncan And Brady” - (Unreleased, 1992)
2) “Cold Irons Bound” - (Live, Bonnaroo, June 2004)
3) “Mississippi” - (Unreleased version #3, Time Out Of Mind)
4) “Most Of The Time” - (Alternate version #2, Oh Mercy)
5) “Ring Them Bells” - (Alternate version, Oh Mercy)
6) “Things Have Changed” - (Live, Portland, Oregon, 2000)
7) “Red River Shore” - (Unreleased version #2, Time Out Of Mind)
8) “Born In Time” - (Unreleased version #2, Oh Mercy)
9) “Tryin’ To Get To Heaven” - (Live, London, England, 2000)
10) “Marchin’ To The City” - (Unreleased version #2, Time Out Of Mind)
11) “Can’t Wait” - (Alternate version #2, Time Out Of Mind)
12) “Mary And The Soldier” - (Unreleased, World Gone Wrong)

TURNÊ DO AC/DC COMEÇA EM OUTUBRO

A Creative Artists Agency, que empresaria a banda australiana, informou que a turnê mundial do AC/DC terá início em outubro, mesmo mês em que será lançado “Black Ice”. Segundo Rob Light, um dos sócios da agência, a turnê terá a duração de 18 meses. Ainda não foi divulgado por quais continentes passará a turnê mundial.

Provavelmente no mês que vem será lançado o novo single da banda, “Runaway Train”. Já o disco, “Black Ice”, produzido por Brendan O’Brien, sairá em outubro e, nos Estados Unidos, será vendido exclusivamente nas lojas Wal-Mart, de acordo com Rob Light.

O último álbum de estúdio do AC/DC foi “Stiff Upper Lip”, lançado oito anos atrás.

THE KILLERS AGENDAM NOVO ÁLBUM PARA NOVEMBRO

O terceiro álbum do The Killers, ainda sem título, será lançado em novembro, de acordo com a gravadora da banda, Island. No momento, o grupo está dando os retoques finais no sucessor de “Sam’s Town” (2006), em seu próprio estúdio em Las Vegas – cidade-natal da banda.

O álbum está sendo produzido por Stuart Price, o mesmo que fez um remix de “Mr. Brightside” (do primeiro disco da banda), que acabou virando uma febre nas pistas de dança dos Estados Unidos e da Europa. Price também foi o responsável por “Confessions On a Dance Floor”, disco lançado por Madonna em 2005.

A banda fará hoje um show no Highline Ballroom, em Nova York, exclusivamente para membros de seu fã-clube. Tudo indica que algumas canções do novo álbum farão parte do roteiro. No mês que vem, o The Killers participa dos festivais de Reading e Leeds, na Inglaterra, entre os dias 22 e 24.

METALLICA ANUNCIA SHOW DE LANÇAMENTO DE NOVO DISCO

Para comemorar o lançamento de seu novo trabalho, “Death Magnetic”, o Metallica anunciou que fará dois shows exclusivos para fãs, em Berlim (dia 12 de setembro) e em Londres (dia 15 de setembro). Os locais das apresentações ainda não foram anunciados. Apenas membros do fã-clube da banda e pessoas cadastradas no site ‘Mission: Metallica’ poderão adquirir os ingressos.

O comunicado no site oficial do grupo diz o seguinte:
“Nós mencionamos que temos um álbum a ser lançado em setembro? Talvez algumas vezes... Então, para comemorar, nós pensamos que seria legal estarmos juntos de alguns amigos mais próximos em duas de nossas cidades favoritas. No dia 12 de setembro, em Berlim, Alemanha, e no dia 15 em Londres, Inglaterra, nós estaremos fazendo um evento abençoando a nossa próxima adição ao catálogo do Metallica. Haverá uma banda tocando ao vivo (que seria a gente!) e os ingressos estarão disponíveis para os membros do Met Club e do Mission: Metallica.”

JACK BRUCE PLANEJA NOVA REUNIÃO DO CREAM

O baixista de uma das bandas mais importantes de todos os tempos disse que vai se encontrar com Eric Clapton e Ginger Baker, no dia 03 de outubro, quando o baterista Baker receberá o prêmio concedido pela fabricante de pratos de bateria Zildjian, no Royal Albert Hall, Londres.

Sobre uma eventual apresentação da banda nesse dia, Jack Bruce foi direto: “Eu sou apenas o baixista da banda, não posso ter certeza de nada. Eu sei que seria uma boa chance de tocarmos nesse evento. Mas não quero ser exagerado e dizer que realmente vai acontecer”.

A última reunião da banda aconteceu em 2005. Na ocasião, o Cream realizou uma série de concertos em Londres e Nova York. Em entrevista à Billboard, Bruce disse que gostaria de fazer mais shows. “Eu gostei muito. Foi emocionante. Quero mais uma dose disso!”, afirmou.

Dois fatores podem atrapalhar os planos de Bruce: Baker vive na África do Sul e não tem planos de retornar a Londres, e Eric Clapton tem a sua estável carreira solo e outros projetos, como uma futura reunião de outra antiga banda sua, o Blind Faith.

Outros bateristas, como Mitch Mitchell (Jimi Hendrix Experience), Jason Bonham (filho do lendário John Bonham, do Led Zeppelin) e Ronnie Vannucci, do The Killers, também serão homenageados pela Zildjian durante o evento.

28 de jul de 2008

RÁPIDAS – AMY WINEHOUSE, DAVID BYRNE, BRIAN ENO, WHITNEY HOUSTON, LEONI

Amy Winehouse recebeu uma proposta de 2 milhões de dólares para fazer um show para o príncipe Azim de Brunei, uma das pessoas mais ricas do mundo. Winehouse ainda não deu resposta à oferta. A cantora inglesa já fez, nesse ano, um show privado na festa da namorada do milionário russo Roman Abramovich.

+++++

David Byrne e Brian Eno colocaram no ar um site sobre o álbum que ambos estão gravando em conjunto. O disco se chamará “Everything That Happens Will Happen Today” e será lançado em agosto. Conforme Byrne disse em um vídeo no site, ele escreveu as letras e Eno compôs as músicas do trabalho. O álbum será disponibilizado gratuitamente na Internet logo após o lançamento de sua versão física em CD.
+++++

A primeira música de Whitney Houston desde 2003 vazou na Internet durante o fim de semana. Ela se chama “Like I Never Left” e tem a participação especial de Akon. Na letra da canção, Whitney canta uma frase que dá mais esperanças aos seus fãs: “Yes, your girl is coming back”. A cantora deve lançar o seu álbum de inéditas até o final desse ano. Apesar de a música ser constantemente carregada no Youtube, o site está retirando todos os seus vídeos por ordem da cantora.

+++++

O cantor Leoni, ex-Kid Abelha e fundador dos Heróis da Resistência vai colocar uma música de graça por mês em seu site oficial. A primeira canção, que já está disponível, se chama “Dá Pra Rir e Dá Pra Chorar”. Leoni ainda não sabe se haverá lançamento de todas essas músicas em um CD físico, no futuro. Abaixo, o videoclipe da canção. Quem quiser baixar a música, deverá entrar no site oficial do cantor.

COLDPLAY E JAY-Z SÃO OS DESTAQUE DE PEMBERTON FESTIVAL

A banda inglesa e o rapper norte-americano encerraram ontem o festival de Pemberton, em British Columbia, Canadá, que, mais do que pela música, ficou marcado pelo caos nos transportes.

Coldplay e Jay-Z foram os grandes headliners do evento, que está em sua primeira edição. Apesar dos bons shows, o público reprovou vários aspectos do festival, como a falta de estacionamento, a forte poeira na área de acampamento e o trânsito caótico.

Um espectador disse ao Canadian Press que “parecia que os organizadores tinham perdido totalmente o controle da situação”. Ainda não se sabe se o festival vai acontecer no ano que vem, mas há fortes boatos que sim.

+++++

Em seu show, Jay-Z fez uma espécie de “greatest hits” ao vivo, incluindo os sucessos “99 Problems” e “Numb”. Já o Coldplay optou por fazer um show no mesmo estilo de sua atual turnê, com várias canções do novo álbum, “Viva La Vida Or Death And All His Friends”, misturadas a alguns sucessos.

Durante a canção “Fix You”, Chris Martin alterou a letra e fez uma referência aos problemas de transporte no festival: “Quando o tráfego para o festival se move a passos de caracol”.

Além do Coldplay e do Jay-Z, Pemberton contou com shows de Death Cab For Cutie, Tom Petty and the Heartbreaker e Nine Inch Nails.

Abaixo, um vídeo amador com a canção “Numb”, que fez parte do bis do show de Jay-Z.

HEAVEN & HELL JÁ TRABALHA EM NOVO DISCO

A banda Heaven & Hell, espécie de reencarnação do Black Sabbath, já escreveu seis ou sete músicas para o seu próximo álbum. Em entrevista à Billboard, Tony Iommi disse que está escrevendo algumas músicas, juntamente com Ronnie James Dio e Geezer Butler, em Los Angeles. O guitarrista disse estar “muito satisfeito” e que o trabalho é “muito bom e muito poderoso”.

“Já temos seis ou sete novas canções. E quando terminarmos de fazer a turnê, vamos tirar umas férias para escrever o restante”, disse Iommi.

O Black Sabbath lançou na semana passada uma caixa de cinco CDs intitulada “The Rules Of Hell” (foto acima), que engloba a fase em que Dio era vocalista da banda.

Apesar do lançamento, Tony Iommi disse que a formação nunca irá excursionar com o nome de Black Sabbath.

RUSH DEVE LANÇAR NOVO DVD EM NOVEMBRO

O tão aguardado DVD da banda canadense deve ser lançado no dia 03 de novembro, segundo o confiável site Rushisaband.com, editado por fãs do Rush.

O DVD trará a íntegra dos shows gravados em Roterdã nos dias 16 e 17 de outubro do ano passado, e que já deram origem ao CD duplo ao vivo “Snakes & Arrows Live”. O site informa que a banda está prestes a finalizar o DVD, com a inclusão de apresentações inéditas.

Segundo o mesmo site, o Rush filmou o show que aconteceu na noite da 3ª feira da semana passada em Atlanta para incluir as canções que ficaram de fora do show da Holanda, no DVD.

O Rush encerrou a sua turnê na semana passada e vai tirar algumas semanas de férias, antes de finalizar o vídeo.

GEORGE MICHAEL PODE REUNIR WHAM! PARA SHOWS EM LONDRES

A imprensa britânica tem anunciado que o cantor George Michael pode voltar a se reunir com Andrew Ridgeley para reeditar o Whan! nos dois últimos shows de sua turnê, no mês que vem em Londres.

Segundo o cantor, os dois shows no Earls Court serão os últimos de sua carreira. Michael prometeu uma série de surpresas nas apresentações, batizadas de “The Final Two”.

Uma pessoa próxima de Michael disse ao Sun que, apesar de o cantor não ter anunciado nada, é muito possível que haja a reunião com Ridgeley em uma ou duas músicas.

Os dois shows serão filmados para posterior edição em DVD.

A última vez que houve a reunião dos dois integrantes do Whan! foi no Rock In Rio II, de 1991. Abaixo, um vídeo de “I’m Your Man”, durante essa histórica apresentação.

ENCONTRO DE GERAÇÕES NA TURNÊ DE MAROON 5 E COUNTING CROWS

Na noite da última 6ª feira, em Virginia Beach, as bandas Maroon 5 e Counting Crows deram início a uma turnê conjunta. Segundo a Rolling Stone, o fato mais curioso era a mistura de crianças fãs do Maroon 5 e seus respectivos pais com camisas do Counting Crows, banda que fez grande sucesso na década de 90.

O primeiro grupo a pisar no palco foi o Maroon 5, que mostrou todos os seus hits, como “Harder to Breathe” e “This Love”, em um roteiro com 16 canções. Além dos sucessos, a banda incluiu algumas versões de canções de outros artistas, como “”If You Want Me To Stay”, do Sly And The Family Stone, e “Wicked Game”, de Chris Isaak.

Em seguida, foi a vez de os Counting Crows misturarem baladas como “A Long December” e “Colorblind” a hits do pop dos anos 90, como “Mr. Jones” e “Hanginaround”. O show teve apenas 11 canções, com direito a uma no bis: “Holiday in Spain”.

O set list do show do Maroon 5 foi o seguinte:
1) “Harder to Breathe”
2) “If I Never See Your Face Again”
3) “Makes Me Wonder”
4) “Tangled”
5) “The Sun”
6) “Can’t Stop”
7) “Won’t Go Home Without You”
8) “Shiver”
9) “Kiwi”
10) “Wake Up Call”
11) “Nothing Lasts Forever”
12) “Sunday Morning”
13) “Little of Your Time”
14) “Back at your Door”
15) “She Will Be Loved”
16) “This Love”

E o do Counting Crows segue abaixo:
1) “Le ballet d’Or”
2) “Have You Seen Me Lately?”
3) “Hanging Tree”
4) “Mr. Jones”
5) “Colorblind”
6) “Cowboys”
7) “Good Time”
8) “Round Here
9) “St. Robinson in His Cadillac Dream”
10) “A Long December”
11) “Hanginaround”
12) “Holiday in Spain”

Abaixo, um vídeo amador com o registro de “A Long December”, durante o show dos Counting Crows em Virginia Beach.

SNOOP DOGG VAI CANTAR EM BOLLYWOOD



Parece que apenas o enorme sucesso do rapper norte-americano em seu país de origem não é o bastante. De olho no imenso mercado indiano, Snoop Dogg participará da trilha-sonora de um filme rodado na Índia, cujo título é “Singh Is King”. O rapper será o primeiro artista norte-americano a participar de um filme de Bollywood.

No papel principal do longa está Akshay Kumar, considerado a maior estrela do cinema indiano. Cenas dos bastidores do filme (acima), com direito a Snoop Dogg com um turbante na cabeça, já vazaram pela Internet.

NINE INCH NAILS ESTRÉIA NOVA TURNÊ

No último sábado, após um aquecimento no festival de Pemberton na noite anterior, o Nine Inch Nails estreou a sua nova turnê na cidade de Seattle. Durante esse show, o vocalista Trent Reznor disse duas vezes que aquele era o primeiro show oficial da turnê.

Em um espetáculo com duas horas de duração, Robin Finck, Josh Friese, Trent Reznor, Alessandro Cortini e Justin Meldal-Johnsen apresentaram velhos sucessos da banda, assim como novas canções do álbum “The Slip”, no repertório de 28 músicas.

O momento mais curioso do show foi o set acústico com quatro faixas do álbum instrumental “Ghosts”, com direito a Reznor tocando vibrafone. Os efeitos de luz durante o espetáculo também chamaram a atenção do público.

Após o fechamento oficial do concerto, com “Head Like a Hole”, o NIN retornou ao palco para um bis com meia hora de duração. “Hurt” levou muitos fãs às lágrimas.

O roteiro completo do show foi o seguinte:
1) “999,999”
2) “1,000,000”
3) “Letting You”
4) “Discipline”
5) “March of the Pigs”
6) “Head Down”
7) “The Frail”
8) “Closer”
9) “Gave Up”
10) “The Warning”
11) “The Great Destroyer”
12) “Ghosts 1”
13) “Ghosts 25”
14) “Ghosts 19”
15) “Ghosts/Piggy”
16) “Wish”
17) “Terrible Lie”
18) “Survivalism”
19) “The Big Come Down”
20) “Ghosts 31”
21) “Only”
22) “The Hand That Feeds”
23) “Head Like a Hole”
24) “Echoplex”
25) “The Beginning of the End”
26) “The Good Soldiers”
27) “Hurt”
28) “In This Twilight”

Abaixo, um vídeo de “Closer” durante a apresentação do NIN no festival de Pemberton.

VÍDEO DOS SEX PISTOLS É O MAIS REQUISITADO DE TODOS OS TEMPOS



A clássica aparição da banda punk inglesa no programa de televisão “Today” (acima), de Bill Grundy, é o vídeo mais solicitado, de acordo com uma pesquisa realizada por profissionais da área. O programa foi ao ar de dezembro de 1976, um ano antes do lançamento do primeiro álbum da banda, “Never Mind the Bollocks, Here’s the Sex Pistols”. A pesquisa foi organizada pela Freemantle Media, que controla os catálogos das emissoras de televisão.

Um fato curioso é que não estava programada a aparição dos Sex Pistols no programa. A banda original que participaria seria o Queen, sua colega de gravadora, que cancelou a apresentação no último minuto.

Durante o programa, o apresentador Bill Grundy, que estava aparentemente embriagado, flertou com a cantora Siouxsie Sioux, e, em seguida, o guitarrista dos Pistols, Steve Jones, o reprimiu:
Jones: “Você é um sujo irritante. Seu homem velho e sujo.”
Grundy: “Tudo bem, chefe. Continue. Você tem mais cinco segundos. Diga algo ultrajante.”
Jones: “Seu bastardo sujo.”
Grundy: “Continue. De novo.”
Jones: “Seu tarado sujo.”
Grundy: “Que rapaz esperto.”
Jones: “Que coisa podre.”

KINGS OF LEON DISPONIBILIZAM INÉDITA PARA DOWNLOAD E MÚSICAS DE BAIXISTA DOS STROKES VAZAM

“Crawl”, nova canção do Kings Of Leon foi disponibilizada no site oficial da banda para download. A música já havia sido apresentada pela banda em alguns festivais durante esse verão europeu, mas a versão em estúdio é inédita. O fã poderá baixar a canção gratuitamente. http://www.kingsofleon.com/

A música, que estará disponível por tempo limitado, fará parte do próximo álbum do grupo, “Only By The Night”, com previsão de lançamento para o dia 23 de setembro.

+++++

E, também hoje, vazaram duas canções da nova banda do baixista do The Strokes, Nickel Eye. As duas músicas do grupo liderado por Nikolai Fraiture se chamam “Dying Star” e “Brandy Of The Damned”, e provavelmente foram ripadas do programa de rádio do produtor Mark Ronson. Em ambas as faixas, Fraiture é o vocalista.

Segundo consta na página que a banda mantém no site Myspace, o álbum “The Time Of The Assassins” chegará em breve às lojas.

Abaixo, a música “Dying Star”.

DVD COM SHOW DE DESPEDIDA DA BANDA LOS HERMANOS SAI EM 29 DE AGOSTO



“Los Hermanos Ao Vivo na Fundição Progresso – 09 de junho de 2007” será o título do CD e do DVD com o registro do último show da banda carioca. Os produtos chegarão às lojas no dia 29 de agosto. Na véspera, às 22h15, o canal por assinatura Multishow transmite um compacto com os melhores momentos do DVD, no programa “Multishow Registro”.

O CD, produzido pela própria banda, terá 14 músicas do show. Já o DVD, dirigido por Nilson Primitivo, contém a íntegra do show do dia 09, além de cinco canções gravadas no dia 08 de junho.

O repertório do show do dia 09 de junho foi o seguinte:
01) “Dois Barcos”
02) “Primeiro Andar”
03) “O Vento”
04) “Além Do Que Se Vê”
05) “Morena”
06) “Retrato Pra Iaiá”
07) “Condicional”
08) “Tenha Dó”
09) “Adeus Você”
10) “Último Romance”
11) “O Vencedor”
12) “Um Par”
13) “Sentimental”
14) “Lágrimas Sofridas”
15) “Conversa de Botas Batidas”
16) “Casa Pré-Fabricada”
17) “Paquetá”
18) “Deixa o Verão”
19) “Cara Estranho”
20) “A Flor”
21) “Tá Bom”
22) “Anna Júlia”
23) “Quem Sabe”
24) “Todo Carnaval Tem Seu Fim”
25) “Pierrot”


Já no dia 08, os Los Hermanos apresentaram sete canções diferentes do roteiro do dia seguinte: “Onze Dias”, “Fez-se Mar”, “Descoberta”, “Sétimo Andar”, “A Outra”, “Cadê Teu Suín?”, “De Onde Vem Calma”. Provavelmente cinco dessas sete canções farão parte dos extras do DVD.

NIGHTWISH LANÇA COLETÂNEA DE RARIDADES

Para comemorar o início de sua turnê pelos Estados Unidos no final do mês que vem, o Nightwish vai lançar uma coletânea de raridades. “The Sound Of Nightwish Reborn” sairá apenas em formato digital e terá nove faixas.

A compilação terá 70 minutos de duração e, dentre as suas faixas, lados B e versões demo de algumas canções de seu último álbum, “Dark Passion Play”.

“The Sound Of Nightwish Reborn” estará disponível no dia 01º de setembro no site oficial do Nightwish. http://www.nightwish.com/en/news/

As faixas serão as seguintes:
1) “Eva” (pre- Anette Olzon Demo Version)
2) “Reach” (pre- Anette Olzon Demo Version)
3) “While Your Lips Are Still Red” (B-Side)
4) “The Escapist” (B-side)
5) “The Poet And The Pendulum” (pre-Anette Olzon Demo Version)
6) “Bye Bye Beautiful” (DJ Orkidea Remix)
7) “Meadows Of Heaven” (Orchestral Version)
8) “Amaranth” (Orchestral Version)
9) “The Escapist” (Instrumental Version)

SHOW DOS FOO FIGHTERS COM LED ZEPPELIN EM WEMBLEY GANHA VERSÃO EM DVD

O registro das recentes apresentações que a banda liderada por Dave Grohl realizou no estádio de Wembley vai sair em DVD no mês que vem. A segunda apresentação da banda no estádio tornou-se histórica pelo fato de ter contado com as participações especiais do guitarrista Jimmy Page e do baixista John Paul Jones, ambos do Led Zeppelin. Ao lado dos Foo Fighters, os dois mandaram dois clássicos do Led: “Ramble On” e “Rock n’ Roll”.

Além das duas músicas da banda britânica, “Foo Fighters: Live At Wembley Stadium” terá 16 sucessos do grupo de Dave Grohl.

Eis as faixas do DVD, que chegará às lojas da Europa no dia 23 de agosto:
1) “The Pretender”
2) “Times Like These”
3) “No Way Back”
4) “Cheer Up, Boys (Your Make Up Is Running)”
5) “Learn To Fly”
6) “Long Road To Ruin”
7) “Breakout”
8) “Stacked Actors”
9) “Skin And Bones”
10) “Marigold”
11) “My Hero”
12) “Cold Day In The Sun”
13) “Everlong”
14) “Monkey Wrench”
15) “All My Life”
16) “Rock And Roll”
17) “Ramble On”
18) “Best Of You”

27 de jul de 2008

CD: “RED ALBUM” (WEEZER) – UM GRANDE ÁLBUM (E COM UM HIT PARA AGRADAR A GRAVADORA)

Existem duas maneiras de se ouvir o novo álbum do Weezer, que apesar de levar o mesmo nome da banda, é mais conhecido como “Red Album”. A primeira maneira é escutá-lo comparando com a obra passada do Weezer. A segunda é fazer a mesma comparação, só que com os outros discos de rock que são costumeiramente lançados no mercado. Na primeira comparação, “Red Album” é apenas razoável. Já na segunda, o álbum se transforma em ótimo.

Com a sua capa vermelha (parecida com as dos anteriores “Blue Album” e “Green Album”), os integrantes do Weezer mais parecem os do U2 quando da turnê “Popmart”, devidamente fantasiados de barman, professor, cowboy e motociclista.

A capa, de certa maneira, reflete a ironia da banda pelo modo com que o disco foi gravado. No final de 2007, em um estúdio em Malibu, a banda se uniu ao produtor Rick Rubin e gravou diversas canções. O produtor artístico da gravadora escutou e, com os ouvidos voltados para o mercado, chegou à rápida conclusão de que não havia hits no álbum e que o mesmo era muito experimental. Solução? Chamou o produtor Jacknife Lee (responsável por “Accelerate”, do R.E.M.) e mandou a banda de volta a um estúdio em Santa Monica. Logo após, saíram com um hit estrondoso – com os habituais três minutos de duração, no melhor estilo “Buddy Holly”, de seu primeiro CD. E como não é bobo nem nada, o compositor e vocalista Rivers Cuomo mandou o recado logo no refrão de “Pork And Beans”: “Everyone likes to dance a happy song / With a cratchy chorus and beat so they can sing along / Timbaland knows the way to reach the top of the chart / Maybe if I work with him I can perfect the art”. Mais irônico, impossível…

Mas os fãs não têm do que reclamar. Com ou sem hit, “Red Album” é um disco agradável de se ouvir. Principalmente até a sua quarta faixa. Além de “Pork And Beans” (que, aliás, gerou um videoclipe sensacional), “Troublemaker” é digna de estar presente em qualquer futura compilação de sucessos da banda. Com o seu rock ágil e uma letra inteligente (e longa), ela é uma das melhores do disco.

“The Greatest Man That Ever Lived (Variations On a Shaker Hymn)”, a segunda do álbum, mistura Queen, ópera, Prince e acaba se transformando na melhor faixa de todas. Apresentando vários estilos musicais diferentes, o rock épico que flerta com o gospel – cheio de piano, sirenes, e com Cuomo cantando em falsete –, ainda tem direito a um coro dos demais membros da banda. Sobre esta canção, o baixista Scott Shriner disse o seguinte: “É uma obra-prima que inclui dez diferentes estilos musicais em volta de um mesmo tema. É sensacional!”. Um fato curioso é que o ouvinte mais atento poderá notar, no momento do coro, uma certa semelhança entre esta canção e “Pink Triangle”, do álbum “Pinkerton”.

Na balada “Heart Songs”, o Weezer presta um tributo às suas principais influências (“Quiet Riot got me started with the banging of my head / Iron Maiden, Judas Priest and Slayer taught me how to shred / I gotta admit, though, sometimes I would listen to the radio / Debbie Gibson, teel me that you think we’re all alone / Michael Jackson’s in the mirror, I gotta have faith if I wanna see clear”) e também conta sobre o início da banda (“Back in 1991 I wasn’t havin’ any fun / Until my roommate said ‘C’mon’ and put a brand new record on / … / I got together with my bros in some rehearsal studios / And then we played our first rock show and watched our fanbase start to grow”).

Pena que a partir da quinta faixa, as coisas comecem a desandar um pouco. Talvez o fato de o cantor e compositor Rivers Cuomo ter aberto mais espaço para os demais integrantes da banda (Scott Shriner, Brian Bell e Pat Wilson) tenha sido o motivo principal da falta de unidade do restante do álbum. A partir de “Everybody Get Dangerous” (a mais rockeira do CD), a banda formada no período pós-grunge se perde um pouco, apesar de alguns bons lampejos no decorrer de “Red Album”. “Dreamin’”, por exemplo, é um bom momento: um rock no melhor estilo dos primórdios do Weezer e que termina como uma cação de ninar. Cuomo a definiu (com um pouco do seu exagero costumeiro) como “uma faixa épica, com seis minutos de duração, uma verdadeira obra de arte sinfônica”. A última música, “The Angel And The One”, com elementos progressivos e uma bela harmonia, abrangendo uma grande variedade de ritmos e melodias, além de sua letra pedindo paz, faz aquele tipo ideal para finalizar o roteiro de um show.

Mas “Red Album” sai dos trilhos mesmo, quando os outros integrantes da banda começam a ter uma participação maior. A sombria “Cold Dark World” chega a ficar um pouco cansativa com os vocais de Shriner. Brian Bell, por sua vez, canta em “Thought I Knew”, assim como Wilson em “Automatic”. São outros dois momentos bastante fracos do disco.

A versão norte-americana do álbum contém quatro faixas inéditas. “Miss Sweeney”, com a sua espirituosa letra que fala de um relacionamento amoroso entre o chefe e sua secretária (“Hi, hello, Miss Sweeney? / Could you please come in my office for a second?”) é uma boa canção, assim como a acústica “Pig” – que facilmente estaria entre as melhores do álbum –, e a sua singela letra que fala da despedida de um... porquinho (“But now I’ve got to die / I’ve lived a good life, I’ve got no complaints / I’d like to thank Farmer Pete / ... / When I was a baby, I was so happy / I played with my friend in the mud”).

Cotação: ***1/2

Abaixo, a canção “The Greatest Man That Ever Lived (Variations On a Shaker Hymn)”.

26 de jul de 2008

CD E DVD: “REVOLUÇÃO!” (RPM) – UMA PARTE DA HISTÓRIA DO ROCK BRASIL

Adiada por mais de um ano, finalmente chegou às lojas a tão esperada caixa “Revolução!”, que comemora os 25 anos do surgimento do RPM, uma das bandas mais importantes do Rock Brasil. Isso porque, além de ter lançado o histórico “Rádio Pirata Ao Vivo”, que vendeu mais de 2,5 milhões de cópias e se transformou em um dos álbuns mais vendidos da história da indústria fonográfica brasileira, o RPM foi o maior exemplo da profissionalização que o rock brasileiro alcançou após o Rock in Rio.

Em abril de 85, o RPM colocou nas lojas o álbum “Revoluções Por Minuto”, com pelo menos cinco clássicos – “Rádio Pirata”, “Olhar 43”, “Louras Geladas”, “A Cruz e a Espada” e a faixa-título – que entraram instantaneamente para a história do BRock. Com tantos sucessos na bagagem, a banda liderada por Paulo Ricardo saiu em uma turnê que seguia os padrões do show business internacional. Com direção de Ney Matogrosso, muito raio-laser, gelo seco e um sistema de som de primeiro mundo, o RPM realizou uma turnê vitoriosa, arrecadando muito dinheiro. Para se ter uma idéia da proporção que o negócio atingiu, a banda chegou a lotar, por dois finais de semana seguidos, o ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.

O grupo era mais do que um fenômeno nacional e acabou fazendo uma coisa que hoje é muito comum, mas àquela época, não era: a gravação de um disco ao vivo. “Rádio Pirata Ao Vivo”, registrado durante uma apresentação da banda no Palácio de Convenções do Anhembi, em São Paulo, fez imenso sucesso. Apesar de conter praticamente o mesmo repertório do disco anterior de estúdio, o RPM conseguiu emplacar uma versão de “London, London” (de Caetano Veloso) que se transformou em febre nacional. Mesmo quem já tinha o álbum de estúdio, se viu obrigado a comprar o ao vivo. O bom momento econômico que o Brasil atravessava naquele período – o estelionato eleitoral de José Sarney com a edição do Plano Cruzado – também ajudou bastante na venda do disco.

Só que o sucesso do álbum ao vivo foi tanto que a banda precisava gravar algo realmente magistral em seguida para não decepcionar o seu público. Se não chega a ser magistral, o disco “Os Quatro Coiotes” é um ótimo trabalho. Através dele, a banda liderada por Paulo Ricardo mostrou o seu lado mais adulto, com grandes canções como “Partners” (regravada mais tarde por Cássia Eller) e “Sete Mares”. Mas não era exatamente o que os seus fãs esperavam. Faltava um novo “Olhar 43”, uma nova “Rádio Pirata”, e o seu público, formado em sua maioria por adolescentes mais interessadas no ombro de Paulo Ricardo, não entendeu a nova mensagem da banda. Assim, o RPM acabou não conseguindo suportar a falta do sucesso que, à primeira vista, parecia ter chegado muito rápido. E isso misturado a muitas drogas e ao dinheiro que começava a rarear, foi a fórmula explosiva para a separação da banda.

Quem quiser comprar a caixa “Revolução”, terá essa história completa em quatro CDs e um DVD. Com exceção do álbum ao vivo que a banda lançou em 2002, tudo o que o RPM fez, está lá: os discos “Revolução Por Minuto”, “Rádio Pirata Ao Vivo”, “Quatro Coiotes” e mais um de raridades, com muitas versões remix dos sucessos (e que tocavam bastante nas rádios) e outros petiscos como as duas raras faixas que o RPM gravou em um raro compacto com Milton Nascimento (“Feito Nós” e “Homo Sapiens”).

Mas o ponto alto do box acaba sendo o vídeo com o registro de uma das apresentações da banda no Anhembi. A síntese do RPM está nos 70 minutos desse vídeo. Mais do que um bom show, “Rádio Pirata” – perdoem-me o clichê – é o retrato de uma época. Qualquer pessoa que queira entender a história da Música Popular Brasileira nos anos 80 deve assistir a esse vídeo.

Pena que as imagens não tenham passado por nenhum trabalho de restauração. Ou seja, o DVD nada mais é do que uma cópia de um antigo VHS, com todas as suas falhas de imagem que 22 anos são capazes de proporcionar. O show dá para ser visto perfeitamente, mas é uma pena que a banda e os produtores da caixa não tenham tomado esse cuidado. (A minha velha fita VHS desse show está mais bem conservada do que a que foi digitalizada para o DVD...) Pelo menos o som foi remasterizado e está bem nítido.

Completando a caixa, imagens da banda no programa do Chacrinha e três músicas gravadas no extinto programa Mixto Quente da Rede Globo, no verão de 1986. E para fechar com chave de ouro, um extra muito especial: a íntegra do programa Globo Repórter (com reportagens de Pedro Bial) que a mesma Rede Globo exibiu no auge do sucesso da banda. Ter um Globo Repórter exibindo um programa exclusivamente sobre o grupo é o maior sinal do nível de popularidade que o mesmo alcançou entre 1985 e 1986.

E essa é a história de um dos maiores fenômenos da música brasileira. Para quem viveu a época, “Revolução!” é uma grande viagem no tempo. Quem não viveu, agora tem a oportunidade de testemunhar que não foram só os Mamonas Assassinas que fizeram tanto sucesso assim.

Segue abaixo um vídeo de “Olhar 43”, presente no DVD “Rádio Pirata Ao Vivo”.

Cotação: ****