10 de nov de 2010

Miriam Makeba, Grateful Dead, Queen, Manacéia, Beady Eye, Kanye West, Guns n' Roses, Jack White, Jónsi, Buffalo Sprigfield, David Bowie

Para terminar o post com uma má notícia, a esposa de David Bowie, Iman, disse que o seu marido não deve retornar aos palcos tão cedo - ou nunca mais. Sem lançar discos ou se apresentar há seis anos, Bowie, atualmente, está ocupado com os afazeres domésticos. Foi o que Iman disse ao site Contact Music. "Ele que vai decidir quando retorna. Eu não vou forçá-lo a nada, porque eu o amo muito e quero que ele fique mais em casa. Ele tem vários outros projetos. Pinta, faz esculturas e é pai de uma menina de dez anos de idade. Então eu acho que a sua vida já está lotada", disse. Abaixo, a última apresentação de David Bowie, em Nova York, em 2004.



*****

No mês passado, Neil Young se reuniu com os companheiros Richie Furay e Stephen Stills para uma apresentação do Buffalo Springfield, no Bridge School Benefit, 42 anos após o término da banda. E parece que eles gostaram da ideia. O Los Angeles Times adiantou hoje que há fortes rumores no sentido de que o Buffalo Springfield pode vir a realizar uma turnê em breve. A Rolling Stone norte-americana repercutiu a nota do LA Times, o que é um bom sinal. Aguardemos.

*****

Chega às lojas no dia 29 de novembro o pacote com CD e DVD "Go live", de Jónsi. O DVD traz uma apresentação do último álbum solo do líder do Sigur Rós, em Londres, com entrevistas. Já o CD foi gravado entre a Bélgica e a Inglaterra. As faixas do DVD são as seguintes: "Hengilás", "Icicle sleeves", "Kolniður", "Tornado", "Sinking friendships", "Go do", "Boy lilikoi", "New piano song", "Around us", "Volume pedal song" e "Grow till tall". O CD terá três músicas a mais: "Stars in still water", "Saint naive" e "Animal arithmetic". Um pequeno trailer do DVD pode ser visto logo abaixo:



*****

Sensacional o dueto de Jack White com Conan O'Brien em "Twenty flight rock", clássico de Eddie Cochran...



*****

Boa notícia para os fãs do Guns n' Roses. O guitarrista DJ Ashba revelou que a banda deve iniciar em breve os trabalhos para o sucessor de "Chinese Democracy" (2008). "Estamos com muitas ideias novas, e elas são muito boas. Axl está cheio de coisas boas e estou muito animado com tudo isso", disse. DJ Ashba ainda afirmou que o álbum pode sair em breve. "Não vai demorar muito. Eu prometo." Axl Rose levou cerca de 16 anos para ser produzido.

*****

"Daqui 30 anos, quando os integrantes do Coldplay forem senhores de idade, as pessoas vão olhar para trás e dizer: 'esses caras eram mais talentosos que os Beatles'." (Kanye West, em entrevista ao The Sun)

*****

Então, como eu escrevi aqui ontem, o Beady Eye, finalmente, apresentou a sua primeira música. Ela se chama "Bring the light", e tem uma coisa meio rockabilly. Achei interessante, mas ainda acho que faltou a mão mágica de Noel Gallagher. De qualquer forma, suspeito que Liam Gallagher está indo por um bom caminho.



*****

O mundo do samba hoje tem que homenagear um de seus maiores mestres. Há 15 anos, Manacéia partia dessa pra melhor. Integrante da Velha Guarda da Portela, ele compôs diversos sambas-enredo para a azul-e-branco de Madureira. Gravado e regravado por Beth Carvalho, Paulinho da Viola e Cristina Buarque, Manacéia compôs um dos maiores clássicos da história do samba: "Quantas lágrimas".



*****

Mais uma vez o Queen está presente aqui no blog. E não é por menos: hoje faz 32 anos que a banda de Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon soltou um de seus álbuns mais importantes, "Jazz". Foi o sétimo álbum da banda, lançado logo após os petardos "A night at the opera" (1975), "A day at the races" (76) e "News of the world" (77). Responsa grande, né? Mas, como de costume, o Queen não decepcionou não. E ainda causou polêmica. No encarte do LP vinha um poster com uma foto cheia de mulheres peladas em cima de bicicletas, tal qual o videoclipe de "Bycicle race". E o álbum ainda tinha "Fat bottomed girls", "Let me entertain you", "Dreamers ball", "Don't stop me now"... Discaço, não?



*****

Vamos falar de álbuns, então? Sim. E quero começar por um dos discos ao vivo mais importantes de todos os tempos: "Live/Dead", do Grateful Dead. Lançado no dia 10 de novembro de 1969, o álbum foi o primeiro gravado ao vivo de uma banda que tinha nos shows a sua maior força. Durante as suas apresentações, a banda de Jerry Garcia promovia os famosos "acid tests", quando os fãs se enchiam de LSD e ficavam viajando na música para abrir as portas da consciência. "Live/Dead" retrata exatamente essas viagens, nas suas sete faixas, durante 75 minutos. Olha só as músicas que fazem parte desse grande álbum: "Dark star", "St. Stephen", "The eleven", "Turn on your love light", "Death don't have no mercy", "Feedback" e "And we bid you goodnight".



*****

Bom dia, sol! Como estamos, hein? Não, a gente não voltou à Copa do Mundo... Hehehe... No final de julho, eu não aguentava mais ouvir "Pata pata", com a Miriam Makeba. Acho que não tinha dia que a ESPN não tocava essa música, pelo menos, umas cinco vezes. Deu no saco. Mandei até e-mail para o José Trajano variar, mas ele nem deu bola. Hoje eu comecei o post com "Pata pata" para lembrar os dois anos da morte de Miriam Makeba, a "Mama África", a principal cantora da África do Sul, país que sofreu tanto na luta pelos direitos humanos e que não deve ficar esquecido após a festa dessa última Copa do Mundo.

*****