30 de ago de 2010

Robert Crumb, Dylan, Sterling Morrison, Agepê, Charles Bronson, Mauro, PVC, Pessoa, Cee-Lo, Arcade Fire, Jay-Z, Rita Lee, Axl, VW, Drums, Libertines

LIBERTINES: Como é bom ver esses doidos juntos novamente, né??



*****

Os americanos do The Drums estrearam um novo videoclipe. Segundo a banda, o vídeo de "Down by the water" é uma homenagem às girl groups dos anos 1950 e 60. Achei o clipe melhor do que a música.



*****

No último sábado, o Vampire Weekend se apresentou em Vancouver, e tocou "I'm going down", de Bruce Springsteen. Achei o vídeo abaixo, que tá meio tosco, mas tá valendo.



*****

#prontofaley: Manchete do NME de hoje: "Axl declara guerra aos organizadores dos festivais de Reading e Leeds". Ah, Axl, faz o seguinte: vem tocar aqui no Brasil. Aqui você pode atrasar o seu show três horas, os organizadores vão achar legal (porque vão vender mais cerveja) e o público trouxa vai te aplaudir. Ainda que você não tenha mais voz, e tenha perdido dez anos para gravar uma porcaria de disco.

*****

A quem interessar possa, o novo videoclipe da Rita Lee. Mas cadê uma (uminha!!) música inédita, tia?



*****

#medo: Kanye West vai lançar um álbum em parceria com Jay-Z. O álbum terá cinco faixas e se chamará "Watch the throne". AInda não há data de lançamento.



*****

Quando a gente pensa que não tem mais nada pra se inventar em termos de videoclipe, vem o Arcade Fire (quem mais poderia ser?) com uma proposta bem bacana. Clique aqui, (atenção: tem que abrir no Google Chrome), escolha o seu endereço e veja no que dá. O clipe é interativo. Vale a pena!

*****

Para quem ainda não ouviu uma das melhores músicas desse ano...



*****

UM MOMENTO POÉTICO:

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma .
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."


(Fernando Pessoa)

*****

Continuando no futebol. Ou no jornalismo, sei lá. Hoje é aniversário do "google do futebol", Paulo Vinícius Coelho, ou PVC, comentarista da ESPN e colunista da Folha de S.Paulo. Ah, e eu gosto do PVC porque, além de ter um conhecimento enciclopédico do futebol, ele faz um jornalismo crítico, diferentemente do que acontece nas outras emissoras, que acham tudo o que acontece no mundo do futebol, bonito. Você imagina uma cena como essa abaixo acontecendo na Rede Globo? Por lá, eles só começaram a criticar a seleção quando o ex-técnico cortou os seus privilégios. Agora já voltaram a beijar os pezinhos do Ricardo Teixeira. E tudo ficou lindo de novo! E aproveito para recomendar aqui, mais uma vez, o livro "Os 100 melhores jogadores brasileiros de todos os tempos", de André Kfouri e do PVC.



Ah, e só pra responder pro animal do Felipe Melo: PVC é jornalista sim. E dos bons, hein!

*****

Haha... Um cara no twitter me disse que estou lotando um cemitério hoje... Então vou partir para o futebol para dizer quem nasceu nesse 30 de agosto. Tudo bem, ele também já morreu, mas, se vivo fosse, estaria fazendo 80 anos de idade. Estou falando de Mauro Ramos de Oliveira, capitão da seleção brasileira na Copa de 1962, no Chile. Além da seleção, o zagueirão Mauro também fez história no São Paulo e no Santos. Pena que não é tão lembrado hoje em dia. Pelo menos da forma que merecia. Aqui eu faço a minha parte.



*****

Isso aqui hoje tá um samba do afrodescendente doido mesmo... Começa com Crumb, vai pra Dylan, passa pelo Velvet Undergroud e termina no Agepê. Não, não terminou no Agepê, não. Porque agora eu quero falar um pouco de cinema. E vou lembrar aqui de Charles Bronson, companhia número um das noites de domingo, junto com o Steven Segal. Hoje faz sete anos que Bronson morreu, vítima de uma pneumonia. Olha, tem algumas coisas que acontecem na nossa vida e que guardamos com muito orgulho. E vou dizer uma aqui pra vocês: um dia, eu devia ter uns dez anos de idade, fui assistir a uma peça na Broadway, em Nova York. Não me lembro o nome da peça. Mas me lembro quem estava sentado ao meu lado: Charles Bronson. Pronto. Morram de inveja.



*****


(Antônio Gilson Porfírio, ou Agepê - 10/08/42 / 30/08/95)

*****

Eu também quero lembrar de um cara que morreu fraz exatos 15 anos hoje. Sterling Morrison foi um dos fundadores do Velvet Underground. E tudo o que diz respeito ao Velvet Underground eu vou citar aqui no blog, sempre que possível. Por um simples motivo: o álbum "Velvet Underground and Nico" influenciou tudo de bom que surgiu no rock logo depois. Como disse o produtor Brian Eno, poucos compraram o disco, mas quem o fez, formou uma banda. Decerto, Talking Heads, Television, Iggy Pop, David Bowie, Depeche Mode, Joy Division, Sonic Youth, Nirvana, Nine Inch Nails e vários outros compraram o disco que tinha a reluzente banana em sua capa. E o mais importante: Sterling Morrison tocou guitarra nesse álbum. Daí a lembrança!



*****

Bom, por aqui, o dia começou com o gênio Robert Crumb (abaixo), que completou bem vividos 67 anos. E agora vou falar de outro gênio. Hoje faz 45 anos que Bob Dylan colocava nas lojas o hipermegaultra álbum "Highway 61 revisited", o seu sexto trabalho de estúdio. Obviamente, a melhor forma de conhecer a obra-prima é colocá-la no CD-player (ou no toca-discos, o que ainda é mais gostoso), mas o livro "Like a rolling stone", de Greil Marcus, ainda que um pouco gorduroso, também pode ser uma ótima pedida para sentir o clima das gravações. E para quem ainda não sabe, segue aí o repertório do álbum: "Like a rolling stone", "Tombstone blues", "It takes a lot to laugh, it takes a train to cry", "From a Buick 6", "Ballad of a thin man", "Queen Jane approximately", "Highway 61 revisited", "Just like Tom Thumb's blues" e "Desolation row". E aí? "How does it feeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeell"??



*****