14 de jul de 2010

La Marseillaise, Woody Guthrie, Rush, Muse, Ozzy Osborne, Robbie Williams, Gang Of Four, Best Coast, Kid Cudi, VW, Avi Buffalo

Na semana retrasada, conheci uma banda nova que achei muito legal. O seu nome é Avi Buffalo, e o seu álbum de estreia (que leva o mesmo nome da banda da Califórnia) saiu em maio. O primeiro single é "What's in it for?", uma música bem leve, com algum eco do The Byrds na guitarra e um vocal com uma atmosfera da Califórnia dos anos 60. Veja aí o que você acha.



*****

Best Coast, Kid Cudi e Rostam Batmanglij (Vampire Weekend) se juntaram para gravar a música "All summer" e o resultado ficou, ao menos, divertido.



*****

O Gang Of Four anunciou que o seu novo álbum, "Content", será lançado no dia 04 de outubro. O sétimo álbum de estúdio da banda (que também terá lançamento em vinil) será precedido pelo single "Who am I?", no dia 13 de setembro. As faixas de "Content" são essas aqui: "She said 'You made a thing of me'", "You don't have to be mad", "Who am I?", "I can't forget your lonely face", "You'll never pay for the farm", "I party all the time", "A fruit fly in the beehive", "It was never going to turn out too good", "Do as I say", "I can see from far away" e "Second life".

*****

Essa aí é a capa da coletânea de Robbie Williams, "In and out of consciousness: The greatest hits 1990-2010", que sairá em outubro. Como já havia sido especulado, o CD duplo trará músicas da carreira solo de Williams, bem como de sua antiga (e certamente) futura banda, Take That. As duas inéditas, "Shame" e "Heart and I", foram escritas por Williams e Gary Barlow (seu colega de Take That). As faixas de "In and out of consciousness: The greatest hits 1990-2010" são as seguintes: "Shame", "Heart and I", "You know me", "Bodies", "Morning sun", "She's Madonna", "Lovelight", "Rudebox", "Sin sin sin", "Advertising space", "Make me pure", "Tripping", "Misunderstood", "Radio", "Sexed up", "Something beautiful", "Come undone", "Feel", "Mr Bojangles", "I will talk and Hollywood will listen", "Somethin' Stupid", "The road to Mandalay", "Eternity", "Let love be your energy", "Supreme", "Kids", "Rock DJ", "It's only us", "She's the one", "Strong", "No regrets", "Millennium", "Let me entertain you", "Angels", "South of the border", "Lazy days", "Old before I die", "Freedom" e "Everything Changes".

*****

Ozzy Osbourne lançou nessa semana um EP virtual (vendido na loja da iTunes) com seis faixas gravadas ao vivo. "iTunes festival London 2010" foi gravado no Roundhouse, em Londres, e conta com as seguintes músicas: "Let me hear you scream", "Mr. Crowley", "I don't know", "Suicide solution", "I don't want to change the world" e "War pigs".

*****

"Temos que divulgar nossas músicas de formas diferentes. Às vezes temos de agarrar qualquer oportunidade para chegar lá, e até mesmo vender a alma." (Chris Wolstenholme, baixista do Muse, à BBC, explicando o motivo de ter gravado uma música para a trilha sonora da saga "Crepúsculo")

*****

Os ingressos para os shows do Rush no Brasil já estão em pré-venda para clientes Diners, Citibank e Credicard. Mais informações aqui.

*****

E já que estamos falando de "liberdade", um dos compositores norte-americanos que melhor cantou tal tema nasceu exatamente no dia 14 de julho de 1912. Estou falando de Woody Guthrie, cujo violão trazia escrito a seguinte frase: "This machine kills fascists". E era capaz de matar mesmo. Alguns usam metralhadoras. Woody usava apenas o seu violão. E as suas músicas, especialmente "This land is your land", são ouvidas até hoje em escolas dos Estados Unidos. Como um hino. Muito mais poderoso que um tiro, diga-se. Woddy Guthrie morreu em 1967, mas deixou gente como Bob Dylan, Joan Baez e Pete Seeger para levar adiante o seu legado.



*****

Boa tarde, pessoal! Tudo bom? Que dia horrível (ou "orível", como escrevia um amigo meu no primário), hein? Vontade de ficar o dia todo na cama. Mas não dá. Tenho que colocar as coisas em dia. Já disse que viajo na sexta, né? Esse blog vai ficar meio soltou por uns 20 dias, mas depois volta o normal. E, olha, a França, que eu saiba, não ganhou nenhuma competição esportiva recentemente não. Eu comecei o post de hoje com a Marseillaise porque foi no dia 14 de julho de 1795 (exatos seis anos após a Queda da Bastilha) que esse canto de guerra composto pelo oficial Claude Joseph Rouget de Lisle, em 1792, foi instituído como o hino oficial da França. Não à toa, o dia 14 de julho é o Dia Universal da Liberdade, em homenagem exatamente ao evento de 1789. Com relação à Marseillaise, tive um professor muito querido na faculdade de Direito, o professor Celso Albuquerque Mello (uma das maiores, senão a maior, autoridades em Direito Internacional Público do país) que foi enterrado ao som do hino da França. Foi um de seus últimos pedidos. Em tempo: considero a Marseillaise o hino mais bonito de todos. No início dessa Copa, postei no twitter que a única coisa boa que a França havia levado para a África do Sul tinha sido o hino. Muita gente chiou. Mas, um mês depois, posso dizer que tinha razão.

*****