4 de out de 2008

CD: “CHAPTER 9” (ED MOTTA) – QUANDO FICAR EM CIMA DO MURO É A MELHOR SOLUÇÃO

Ed Motta é um cara que sempre surpreende. E talvez isso faça dele, um dos nossos grandes artistas. Após o estrondoso sucesso de seus “manuais práticos” lançados em 1997 e 2000, Ed Motta entrou em estúdio para gravar “Dwitza” (2002), um álbum jazzístico, que poucos entenderam. No ano seguinte, Ed Motta retornou às suas origens de Conexão Japeri e lançou o (um pouco mais) popular “Poptical”, com o hit ‘arrasa quarterão’ “Tem Espaço Na Van”, além da pérola pop “Que Bom Voltar”. Quando todo mundo pensava que as viagens experimentais de Ed Motta haviam terminado, ele aparece com “Aystelum” (2005), um disco intricado começando pelo seu título.

E depois de “Aystelum” viria o quê? Ed retornaria ao pop ou permaneceria na sua onda jazzística? Nem um nem outro. Em “Chapter 9”, nono disco de canções inéditas de sua carreira, Ed Motta misturou tudo o que faz de melhor, do jazz ao pop, passando por outros diversos estilos musicais. E para dizer que não há nada de surpreendente no álbum, um simples detalhe: todas as canções são cantadas em inglês. E outro detalhe que não surpreende tanto: Ed Motta toca todos os instrumentos ouvidos no disco.

Das 10 faixas de “Chapter 9”, nove foram letradas por Robert Gallagher. Apenas “The Man From The Oldest Building” foi canetada por Claudio Botelho, com quem Ed Motta já havia composto o musical “7”, atualmente em cartaz no Rio de Janeiro. Talvez por esse motivo, a primeira faixa do CD tenha uma sonoridade, digamos, sombria, enigmática, bem ao estilo do bom musical.

As outras canções transitam por diferentes estilos musicais, como o rock cheio de guitarras “Twisted Blue”, a funky “The Runaways”, a jazzística “St. Christopher’s Last Stand”, o pop-folk-rock “Tommy Boy’s Big Mistake”, a soul-reggae “The Sky Is Falling”, e por aí vai. Ou seja, Ed para quem gosta de “Manuel” ou Ed para quem gosta de “Um Dom Pra Salvador”. Mas tudo com um certo ar retrô que, diga-se de passagem, vem permeando os últimos trabalhos do compositor.

“You’re Supposed To…”é um bom exemplo. Com um arranjo dance-soul-retrô, Ed Motta evoca um estilo Michael Jackson misturado com Earth, Wind & Fire e Stevie Wonder, que desce muito bem. Outras faixas que se destacam em “Chapter 9” são “Georgie And The Dragons” e “Ikarus On The Stairs”, as duas últimas, com uma sonoridade mais lenta. Dessa forma, Ed Motta consegue mostrar toda a sua potência vocal, em um canto claro e direto, sem maiores floreios, como os vocalizes tão presentes em “Dwitza” e em “Aystelum”.

Para quem gosta de Ed Motta, “Chapter 9” é uma grata surpresa e um ótimo disco. Apesar das letras em inglês, o fã vai se acostumar rapidinho, até mesmo porque, musicalmente, Ed Motta nunca esteve tão apurado. Mas caso você não seja fã de Ed Motta, não será “Chapter 9” que vai mudar a sua cabeça.

Abaixo, um vídeo da canção “You’re Supposed To...”, gravada no programa Raul Gil.

Cotação: ****

Nenhum comentário: