9 de set de 2008

CD E DVD: “LOS HERMANOS NA FUNDIÇÃO PROGRESSO – 09 DE JUNHO DE 2007” (LOS HERMANOS) – PRESENTE DE NATAL ANTECIPADO PARA OS FÃS

Uma das principais características da banda Los Hermanos é ser diferente – seja lá qual for o sentido dessa palavra. Quando explodiu com um hit radiofônico certeiro (“Anna Júlia”), mudou o seu estilo, com músicas e letras mais adultas. Após lançar o brilhante “Ventura”, com uma sonoridade mais encorpada, deu um passo para trás (ou para frente, de acordo com o gosto de cada um) com o difícil “4”. Quando estava no auge do sucesso, anunciou, através de um simples comunicado, que estava entrando em recesso por tempo indeterminado. E, agora, no mesmo mês em que Marcelo Camelo está lançando o seu primeiro disco solo, e Rodrigo Amarante encontra-se fora do país gravando um álbum, a banda coloca no mercado um CD e DVD com o show de despedida que aconteceu no ano passado.

“Los Hermanos Na Fundição Progresso – 09 de julho de 2007” é um verdadeiro presente para os fãs da banda. O DVD traz o último show do conjunto (já considerado histórico pelos seus fãs) na íntegra. São nada menos do que 26 canções que percorrem toda a obra da banda, e mais cinco tiradas do show realizado na noite anterior na mesma casa de shows da Lapa. Mais de duas horas para ninguém botar defeito.

Mas, lógico que sempre vai ter fã para reclamar porque “Fingir Na Hora Rir”, “Samba a Dois”, “Primavera”, “Horizonte Distante”, “O Pouco Que Sobrou”, entre outras, ficaram de fora. Mas fato é que Marcelo Camelo, Rodrigo Amarante, Bruno Medina e Rodrigo Barba fizeram um verdadeiro ‘tour de force’ em sua derradeira apresentação, privilegiando todos os quatro álbuns de estúdio lançados anteriormente, inclusive (e especialmente) o primeiro, que andava meio esquecido – renegado? – pela banda.

Assim, mesmo que o fã reclame a ausência de alguma canção, com certeza vai se deliciar com sucessos como “O Vento”, “O Vencedor”, “Sentimental”, “Casa Pré-Fabricada”, “Cara Estranho”, “A Flor”, “Todo Carnaval Tem seu Fim” e “Pierrot” (os pedidos no show valeram a pena...). Até mesmo (a essa sim renegada) “Anna Júlia” teve espaço no roteiro (e, pelo visto os fãs e a banda adoraram relembrá-la).

O grupo também aproveitou para tocar algumas canções que deviam estar empoeiradas em sua memória (mas não na dos fãs, como pode ser ouvido no DVD), como “Tenha Dó”, “Lágrimas Sofridas”, “Azedume” e “Descoberta” (todas – veja só! – do primeiro disco). E aquelas que não fizeram tanto sucesso, mas sempre são devidamente berradas nos shows dos barbudos, também estão presentes no repertório, como “Conversa de Botas Batidas”, “Deixa o Verão” e “De Onde Vem a Calma”.

Muito se falou que o vídeo deixou um abismo entre o que realmente aconteceu naquele show e o que pode ser visto no DVD. Todos temos certeza que é impossível passar para o vídeo toda a emoção de um show (especialmente um de despedida, durante o qual, fãs e banda estavam à flor da pele). Assim, não há do que reclamar de uma suposta falta de interação entre o grupo e seu público. Os primeiros segundos do DVD já mostram uma cena – que seria surpreendente se não fosse um show dos Hermanos – capaz de emocionar até a quem não gosta da banda: os integrantes entrando no palco e a platéia berrando o nome do grupo por mais de um minuto. E isso sem contar com a participação do público, que simplesmente encobre as vozes de Camelo e de Amarante, em canções como “O Vencedor”, “Anna Júlia” e “Sentimental”.

Vendo essas cenas, impossível não traçar um paralelo entre os Los Hermanos e a Legião Urbana. Ambas foram, cada um de seu jeito, o retrato de uma geração (perdoem-me o clichê horrível, mas é verdade). Somente a saudosa banda de Renato Russo pode ser comparada aos Hermanos. E esse show na Fundição Progresso é a maior prova disso. Desde o fim da Legião Urbana, não existia um grupo musical que preenchesse a sua lacuna e despertasse tanta paixão em seus fãs, que fazem dos shows das bandas, rituais praticamente religiosos.

Ainda bem que os barbudos presentearam seus fãs com um desses rituais em DVD. E nele está a maior prova de que não é necessário encher o palco de telões ou importar uma iluminação de primeiro mundo. A simplicidade basta. Mais ou menos como nos célebres shows da Legião Urbana... Seria apenas uma coincidência?

Pequeno parêntese sobre a Legião Urbana: É uma pena que os últimos shows de Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá no Metropolitan do Rio de Janeiro (atual Citibank Hall), devidamente filmados, estejam apodrecendo em algum lugar. Naqueles antológicos shows, a Legião Urbana fez, mais ou menos, o que os Hermanos fizeram na Fundição: duas horas de sucessos enfileirados em um dos espetáculos mais emocionantes da história do Rock Brasil. Quem não tiver conferido ainda, pelo menos existe o CD duplo “Como É Que Se Diz Eu Te Amo” para comprovar isso. Fecha parêntese.

Já com relação ao CD dos Hermanos, infelizmente, não se pode dizer a mesma coisa do DVD. Foi uma pena a banda ter cortado metade do show, reduzindo-o a apenas 14 faixas em 57 minutos de duração, como uma colcha de retalhos. Se os Hermanos tivessem optado por colocar nas lojas um CD duplo, com um preço reduzido, trazendo a íntegra do show (como a Legião fez), certamente o fã teria motivo para gastar o seu dinheiro.

Abaixo, a canção de abertura do show, “Dois Barcos”, extraída do DVD. (Se isso não for interação entre banda e público, por favor, me expliquem o que é.)

Cotação: DVD: ****1/2
CD: ***


2 comentários:

Nívea Maria disse...

A despeito do que muitos andam comentando sobre a qualidade das imagens, acho que o registro artesanal desse último show tem uma conotação especial... Não estava lá, mas assistindo, é como se estivesse...Dá um tom de realidade. Los Hermanos e Legião existiram, não foi um sonho!

Parabéns pela postagem.

Anônimo disse...

gostei do post, me indicaram!
sobre o show no rio da legião, tem como você pegar na internet cara!
eu tenho gravado e é muito massa, a band passou uma veze e depois gravei, qualidade impar!