13 de ago de 2008

DVD: “MULTISHOW AO VIVO” (CAPITAL INICIAL) – SEM NADA A DEVER AOS GRINGOS

“Todos esses últimos dez anos do Capital Inicial foram planejados”, disse o empresário da banda, Haroldo Tzirulnik, no making of do DVD “Multishow Ao Vivo”, que chegou às lojas poucas semanas após o lançamento do CD homônimo. É uma simples frase, mas que chega a ser emblemática para quem acompanhou a carreira da banda de Dinho Ouro Preto e companhia desde o seu retorno, em 1998.

Isto porque, diferentemente da maioria das bandas brasileiras, o Capital Inicial esperou muito tempo para lançar o seu primeiro trabalho ao vivo – sem contar o “Acústico MTV”. Nesse intervalo, a banda poderia já ter posto nas lojas uns dois álbuns ao vivo que venderiam que nem água. Mas não. Com muito acerto, o Capital lançou diversos discos de estúdio antes de fazer o seu ao vivo. E que ao vivo!

“Multishow Ao Vivo” provavelmente é o maior show que uma banda brasileira já fez na história. Foram quatro dias para construir o megalômano palco, que tinha até direito a algumas passarelas e um palco menor no meio da platéia, no melhor estilo Rolling Stones. Além disso, a banda chamou Dave Hill, um dos melhores designers de iluminação do mundo.

O resultado de tudo isso pode ser visto nos quase 90 minutos do DVD. Em Brasília, mas precisamente na Esplanada dos Ministérios, em frente a um público de quase um milhão de pessoas, o Capital Inicial realizou um show digno de qualquer banda estrangeira que venha ao Brasil. Muita luz, efeitos pirotécnicos, bonecos infláveis gigantes, som de primeira, tudo isso misturado a um repertório explosivo, com todos os grandes sucessos da banda, fazem de “Multishow Ao Vivo” um grande DVD.

O DVD, ao contrário do CD lançado antes, traz o roteiro completo do espetáculo. Ou seja, as canções mais conhecidas que a banda compôs na década de 80, como “Fátima”, “Música Urbana” e “Veraneio Vascaína”, dessa vez, estão presentes. No making of, Dinho Ouro Preto disse: “A gente não estava interessado em viver do nosso passado”. Certamente o presente do indicativo seria um tempo verbal mais adequado do que o pretérito imperfeito para essa frase. Isso porque, apesar da inclusão desses maiores sucessos dos 80, as concessões foram pouquíssimas, e a banda perdeu assim a oportunidade de mostrar pérolas como “Psicopata” e “Autoridades” para pessoas que nem eram nascidas na época que foram lançadas. (Aliás, Dinho perdeu uma ótima oportunidade de cantar “Autoridades” na frente do Congresso Nacional...)

De certa forma, não deixa de ser louvável o Capital priorizar suas novas canções, o que prova que a banda não estacionou no tempo como alguns colegas de sua geração. Assim, o público pôde se deliciar e cantar bem alto músicas mais recentes como “À Sua Maneira”, “Quatro Vezes Você”, “Não Olhe Pra Trás” e “Como Devia Estar”.

Além das músicas dos anos 80, o DVD traz de diferente do CD as canções “Geração Coca-Cola”, “Por Enquanto” (dois hinos na voz de Renato Russo) e a fraca “A Vida É Minha (Eu Faço o Que Eu Quiser)”, que faz parte do último álbum de estúdio da banda, “Eu Nunca Disse Adeus”.

Além do show, o DVD apresenta generosos extras, entre os quais se destaca o making of, que mostra toda a engenharia do show, desde a sua concepção até o abraço final dos integrantes da banda no camarim (ou seja, um making of de verdade). Nele, é possível notar a importância de Brasília para a banda, e porque esse show tinha que ser gravado lá. Várias entrevistas com a banda, diretores, roadies e amigos como Alvin L., Philippe Seabra (da Plebe Rude) e Carmen Manfredini (mãe de Renato Russo), completam o recheio do extra.

Goste-se ou não, o “Multishow Ao Vivo” do Capital Inicial é um exemplo de como um show de uma banda brasileira pode ser produzido, sem ficar nada a dever aos grupos estrangeiros.

Abaixo, o vídeo da canção “Algum Dia”, primeiro single do CD/DVD “Multishow Ao Vivo”.

Cotação: ****

Um comentário:

Alexandre disse...

cara, vc vai me desculpar, mas não concordo com vc no ponto que vc falou sobre a música a vida é minha...

na verdade acho que vc não deve ter visto o dvd ainda, mas ela no dvd ficou 10 x melhor que a de estúdio... essa música já era boa de estudio e ficou ainda melhor no dvd.. ela foi tocada 2x no show (eu estava presente)...

quanto ao fato deles não terem tocado autoridades no show, eu discordo novamente de você.. Pra Mim que pais é esse já passa a mensagem de revolta com a situação política do brasil e incluir AUTORIDADES no repertório pra mim seria chover no molhado...

mas no mais, tá perfeito a resenha...

abraço!!!!