31 de mai de 2010

Nina Hagen, Falcão, Clint Eastwood, Brooke Shields, Nanini, MIA, Liam, #4, U2, Rock in Rio Lisboa, Korn

A quem interessar possa, segue abaixo, quentinho, o novo videoclipe do Korn, "Oildale (Leave me alone)". A faixa será o primeiro single de "Korn III: Remember who you are", que sai na segunda semana de julho, lá fora.



*****

Para saber tudo o que aconteceu no Rock in Rio Lisboa nos dois últimos finais de semana.

*****

Estava vendo no site http://www.hot100brasil.com/ a lista dos álbuns mais vendidos do país nessa última semana. É assustador. A que ponto os consumidores de discos, em um país com música tão boa, chegaram. Sente só o drama: 1) "Emoções sertanejas" (Roberto Carlos & Amigos); 2) "Duetos" (Ivete Sangalo); 3) "Manuscrito" (Sandy); 4) "My worlds" (Justin Bieber); 5) "Double Face" (Zezé Di Camargo & Luciano); 6) "Tudo tem um porquê" (Guilherme & Santiago). Na sétima posição, aparece o Gorillaz e seu "Plastic beach". Ser artista no Brasil (e ter que competir) com tudo isso que aparece nas primeiras posíções é coisa para gente muito corajosa.

*****

A turnê norte-americana foi toda cancelada, mas o DVD/BD "U2360° at the Rose Bowl" sai mesmo no dia 03/06 - aqui no Brasil, a previsão de chegada às lojas é para o dia 08/06. Para esquentar, o U2 liberou "City of blinding lights", que mostra toda a megalomania da turnê. O vídeo pode ser visto aqui.

*****

Não sei se vocês repararam, mas toda semana a imprensa gringa anuncia a formação de um "supergrupo". Chickenfoot, Them Crooked Vultures, Hail!, Tired Pony... São bandas bacanas, é verdade. Mas hoje, lendo o jornal "O Globo", eu vi o primeiro "supergrupo" de verdade. O nome dele é #4, e saca só a sua formação: Liminha (baixo), Jaques Morelenbaum (violoncelo), Marcos Suzano (percussão) e Toninho Horta (guitarra). E aí? Tem comparação? O conjunto está gravando um CD (intitulado "Japa") ao vivo no estúdio Nas Nuvens, no Jardim Botânico, para um selo japonês - alô Biscoito Fino, que tal lançar esse CD aqui no Brasil? Tem uma matéria bem bacana sobre esse supergurpo na capa do "Segundo Caderno" de hoje. Vale a pena dar uma conferida.

*****

DEU NO NEW YORK TIMES: Um perfil curtinho e bem bacana de Liam Gallagher. Aproveita e treina o ingrêis.

*****

E a música nova da MIA, hein? Depois de publicar o telefone da tal jornalista em seu twitter, a cantora decidiu ser mais direta na letra de "I'm a singer": "Why the hell would a journalist be thick as shit". Vai brigar com a classe??



*****

Agora eu quero falar um pouquinho do meu ator brasileiro predileto. Quando eu era moleque, confesso que me amarrava em novela. Até hoje ainda vejo, mas sempre rapidamente na hora do jantar. Televisão hoje em dia, só para ver jogo de futebol, "Linha de passe" ou "Pontapé inicial", tudo na ESPN Brasil. Mas tem um outro programa que eu não perco: "A grande família". Gosto desse programa porque ele reúne, na minha opinião, o melhor time de atores da televisão brasileira. Pedro Cardoso, Marieta Severo, Lúcio Mauro Filho... e Marco Nanini! E hoje, ele completa 62 anos de idade! Nanini ainda trabalhou em duas das novelas mais divertidas que já vi: "Um sonho a mais" (1985) e "Brega e chique" (1987). Também ri bastante com ele na saudosa "TV Pirata". E isso sem contar com a peça "O mistério de Irma Vap", que foi fantástica. Seria sensacional se ele e Ney Latorraca voltassem para fazer mais uma, uminha, apresentação dessa peça.



*****

E quem também vai comer um pedaço de bolo hoje é uma das figuras mais lindas do cinema. Brooke Shields faz 45 anos, embora não aparente ter mais que 25. Tudo bem... Em 2000, ela foi indicada ao Framboesa de Ouro de pior atriz do século (tadinha!). Mas isso deve ser só intriga da oposição. Vale lembrar também que ela chegou a ter alguma coisa com Michael Jackson, tendo, inclusive, o acompanhado à premiação do Grammy em 1984. Os filmes mais famosos estrelados pela atriz foram "A lagoa azul" (quem é que nunca viu esse filme na Sessão da Tarde?) e "Amor sem fim".



*****

E vamos partir para o cinema, porque hoje tem muita gente boa fazendo aniversário. Para começar, vamos dar os parabéns ao grande Clint Eastwood, que faz 80 anos. Cineasta, ator, diretor, produtor e o diabo a quatro, Eastwood participou de filmes como "Dirty Harry", "Bird" (filme sensacional sobre Charlie Parker), "Os imperdoáveis", "Sobre meninos e lobos", "Menina de ouro" e "Gran Torino", apenas para citar alguns que me vêm a cabeça. Clint Eastwood foi indicado oito vezes ao Oscar, faturando os prêmios de melhor diretor e de melhor filme por "Os imperdoáveis" e "Menina de ouro". Uma curiosidade é que Eastwood é um dos quatro diretores que conseguiu ganhar dois Oscars de melhor direção - os outros foram Miloš Forman, Steven Spielberg e Oliver Stone. E quem homenageia o cineasta aqui é o... Gorillaz! Claro!



*****

E o que tem pra hoje, hein? Dia 31 de maio! Sabia que hoje é dia do comissário de voo? Parabéns a essas criaturas tão corajosas. E hoje também comemoramos o aniversário de Marcelo Falcão. Vou dizer logo na real que O Rappa está bem longe de ser a minha banda predileta. Mas algumas coisas são muito boas nesse grupo carioca. E, certamente, uma delas, é o vocal do Falcão. Acho que a sua voz e seu estilo de cantar são perfeitos para as letras da banda. Marcelo Falcão completa 37 anos.



*****

Bom dia, pessoal! Como foi o fim de semana? Por aqui, tudo tranquilo. Pô, dormi muito ontem. Agora posso ficar essa semana madrugando. Hahaha... Olha só: desde que o genial Glauco morreu, a Folha de S.Paulo está publicando as suas melhores tiras, em ordem cronológica. Ontem, saiu uma do dia 19 de janeiro de 1985, época de Rock in Rio. E olha que foda a tirinha (para ver melhor, basta clicar em cima):

30 de mai de 2010

Resenhando: AC/DC, Rolling Stones, Chet Baker, Ney Matogrosso, Pearl Jam

“Iron Man 2” – AC/DC
É sempre um prazer ver um álbum do AC/DC no topo da parada inglesa e norte-americana. Ainda que seja um álbum de regravações. “Iron Man 2” traz 15 faixas originais da banda australiana. Não se trata de uma coletânea. Lógico que há sucessos, como “Back in black”, “Thuderstruck”, “T.N.T.”, “Highway to hell” e “Let there be rock”. Mas também há canções nem tão conhecidas, como “Cold hearted man”, “Have a drink on me”, “The razors edge” e “War machine”, sendo que esta é do último trabalho do AC/DC, “Black ice” (2008). Um álbum desse tipo, em um período em que você consegue baixar qualquer coisa da internet em poucos segundos, pode não fazer muito sentido. Mas os fãs da banda, que (ainda) consomem discos, gostaram. E não tem como. A capa e o encarte são caprichados e dá vontade de assistir ao filme só por causa das músicas. Agora, vamos esperar um DVD/BD da turnê “Black ice”, que passou por São Paulo no final do ano passado.

*****

“Exile on main st.” – Rolling Stones
Ficar falando de um clássico é chover no molhado. O que dizer de “Exile on main st.”, obra-prima dos Rolling Stones, 38 anos após o seu lançamento? As faixas falam por si: “Tumbling dice”, “Rocks off”, “Sweet Virginia”, “Happy”, “All down the line”... Nesse trabalho, Jagger, Richards e companhia conseguiram fazer a fusão perfeita do rock com o blues, o country e o soul. Não chega a ser um álbum com grandes sucessos. Mas, certamente, é o trabalho mais rico da carreira da banda inglesa. Gravado na Riviera Francesa (a banda tinha “fugido” do Reino Unido para não ter que pagar os escorchantes impostos), o estúdio foi palco de muita confusão entre os integrantes da banda. Tudo isso muito bem contado no livro “Uma temporada no inferno com os Rolling Stones”, de Robert Greenfield. Mick Taylor comentou sobre o álbum: “Acho que era só um bando de músicos chapados amontoados em um porão, tentando fazer um disco”. E que disco! A edição lançada agora traz um CD bônus com dez sobras de estúdio, incluindo takes alternativos de “Loving cup” e “Soul survivor”, além de inéditas como a maravilhosa “Plundered my soul” e “Dancing in the light”. Tomara que tenha mais coisa guardada. Lá fora, a edição ainda vem com um DVD com 30 minutos de cenas de bastidores. Pena que o DVD não tenha saído aqui no Brasil, o que não chega a ser surpreendente.

*****

“Candy” – Chet Baker
Investindo no catálogo de jazz, a Biscoito Fino colocou nas lojas o DVD “Candy”, que traz o registro de uma apresentação de Chet Baker em junho de 1985 – quatro meses depois, Chet viria ao Brasil para a primeira edição do finado Free Jazz Festival. A apresentação que consta no DVD foi gravado em Lidingö, na Suécia, dentro da biblioteca da gravadora Sonet. Ou seja, não se trata de um show no sentido estrito da palavra. Meio acabadão, Chet Baker toca o seu trompete e sussurra algumas letras daquele seu jeito todo próprio, sentado em um confortável sofá. Entre algumas músicas, há entrevistas, o que corta um pouco o clima, mas nada que um controle remoto não dê jeito. Acompanhado por Michel Graillier (piano) e Jean-Louis Rassinfosse (baixo), Chet Baker relembra standards como “Love for sale” (Cole Porter) e “My romance” (Richard Rogers / Lorenz Hart), além de temas de outros mestres do jazz como “Nardis” (Miles Davis) e “Tempus fugue-it” (Bud Powell). “Candy”, de fato, não traz Chet Baker em sua melhor forma. Mas o DVD serve para mostrar como um artista pode chegar ao fim com dignidade. Dignidade artística, frise-se.

*****

“Ensaio” – Ney Matogrosso
Ney Matogrosso é um dos artistas que mais lança DVD com registro de shows. No entanto, ainda falta um: “À flor da pele”, em parceria com o violonista Raphael Rabello. “Ensaio”, que chegou às lojas nessa semana, supre (um pouco) essa lacuna. No vídeo, Ney é acompanhado pelo percussionista Don Chacal e pelo próprio Raphael Rabello. Seguindo a estrutura clássica do programa "Ensaio", Ney falou sobre a sua carreira (desde a sua chegada a Brasília), a sua relação com as drogas, homossexualismo (“amplia a percepção do mundo”), além de ter criticado a indústria fonográfica. Gravado em 1990, o programa ainda apresenta belas versões para músicas desde os tempos dos Secos & Molhados (“Sangue latino” e “Rosa de Hiroxima”), passando por sucessos gravados por Ney durante a sua carreira solo (“Balada do louco”, “Tic tac do meu coração” e “Vereda tropical”), até chegar às pérolas do cancioneiro brasileiro que Ney desfiara nos shows “O pescador de pérolas” e “À flor da pele”, que são os casos de “O mundo é um moinho” (a canção de Cartola ganhou uma interpretação magistral nesse DVD), “Da cor do pecado” (Bororó) e “Molambo” (Jayme Florence / Augusto Mesquita). E que venha agora o registro do show “Beijo bandido”, que acontecerá no Rio de Janeiro, no início do segundo semestre.

*****

“2009 bootlegs – Live” – Pearl Jam
Parece que o Pearl Jam e a Dave Matthews Band competem para ver quem lança mais CDs ao vivo. E o Pearl Jam agora deve ter passado a frente. No site oficial da banda norte-americana é possível comprar (MP3 ou os CDs físicos) as gravações de todos os shows da turnê do ano passado (e que continua agora em 2010). O diferencial desses álbuns é que eles trazem canções do último disco de estúdio do grupo, “Backspacer” (2009), como “The fixer”, “Johnny Guitar” e “Just breathe”. Lógico que também tem os grandes hits, como “Alive”, “Yellow ledbetter” e “Daughter”. O repertório de cada show é bem variado. E isso deixa o fã com várias dúvidas na hora de escolher o CD. Eu escolhi o de Christchurch, na Nova Zelândia, que foi o último de 2009 (no dia 29 de novembro). São quase duas horas e meia de música, com todas as faixas que eu citei acima. Destaco o início com a dobradinha “Given to fly” / “Get some”, além de “Jeremy”, sempre emocionante. Bacana como sempre também a já clássica versão para “Rockin’ in the free world”, de Neil Young.

*****

Abaixo, o iniciozinho do programa “Ensaio”, de Ney Matogrosso, que agora chega ao DVD.

29 de mai de 2010

Albéniz, Noel, Ira!, Liverpool, Gerrard, Daniel Azulay, Tom Morello, Capital Inicial, Gil, Kanye West, João Gilberto, Ney Matogrosso, Paul Auster

O livro dessa semana foi "Invisível", do Paul Auster. Sou fã dele já tem um tempinto. Gostei demais de "O livro das ilusões" e "A noite do oráculo", lançados na primeira metade dos 00. Quando comprei "Invísivel", nem esperava que fosse lê-lo tão rapidamente. A fila de livros estava grande. Mas como comprei antes de ir a um dentista que me deixou esperando 30 minutos, acabei iniciando a leitura na recepção do consultório. Como também acontece com os outros dois livros que citei de Auster, a leitura flui muito bem. O livro é escrito de forma simples e direta (sem pedantismo), e o enredo é intrigante. Ou seja, difícil parar de ler - embora eu tenha parado para ler "A humilhação", de Philip Roth, conforme os motivos que expliquei na semana passada. "Invisível" narra a história do estudante norte-americano Adam Walker e a sua conturbada relação com Rudolf Born, durante o ano de 1967, entre Nova York e Paris. O que me impressionou no livro é a quantidade de acontecimentos que se sucedem. A leitura flui e, lógico, fica difícil fechar o livro para dormir. A relação de Adam Walker com a sua irmã também é outro ponto fantástico de "Invisível", assim como a maneira que ele foi escrito, dando a sensação de que o leitor está presenciando "ao vivo" a construção do livro. Arrisco afirmar que "Invisível" foi o melhor romance que li nesse ano.

*****

UMA MÚSICA PRO FINAL DE SEMANA: "Pro dia nascer feliz", com Ney Matogrosso. O áudio está um pouco ruim, mas vale a pena porque foi gravado no Rock in Rio de 1985.



*****

O CARA PODE: João Gilberto ganhou perfil no site Spinner!

*****

Acho Kanye West mais mala do que legal. Mas, a quem interessar possa, segue abaixo a sua nova música, "Power", com participação especial do cantor Dwele. Vale pela citação de "21st century schizoid man", do King Crimson.



*****

Uma entrevista bacana de Gilberto Gil ao Estado de S. Paulo.

*****

Essa imagem acima é do novo álbum do Capital Inicial, "Das Kapital", que chega às lojas no início de junho. O disco contém 11 faixas, que já podem ser ouvidas no site oficial da banda. O Capital já se adequou aos novos tempos.

*****

E também amanhã, o guitarrista Tom Morello sopra 46 velinhas. Não vou falar dele não. Prefiro que vocês vejam o vídeo abaixo. Pode ser?



*****

Do futebol para a televisão. De um ídolo atual para um ídolo de infância. Quando eu era bem moleque, não perdia o programa do Daniel Azulay, especialmente o quadro do “Pincel mágico”, em que ele ia revelando um desenho, aos poucos, através de um pincel. Daniel Azulay completa 63 anos hoje. E aqui vai o nosso abraço para ele. Um abraço com gosto de infância.



*****

E continuando no Liverpool, amanhã, dia 30 de maio, quem faz aniversário é o ídolo maior de sua torcida: Steven Gerrard. O craque nasceu em Whiston, no ano de 1980, e as duas únicas camisas que vestiu foram as do Liverpool e da seleção inglesa. Ou seja, ídolo à moda antiga, tipo um Leandro para os flamenguistas. Eu nem curto muito a seleção da Inglaterra. Não acho a torcida simpática (vide post abaixo). Mas que esse time é um dos que merece levantar a taça Copa do Mundo, não tenho dúvidas. Terry, Rooney, Lampard (outro gênio), Gerrard... Viu como tem coisa bem melhor para torcer do que a seleção do Dunga?



*****

Partindo para o futebol, que tem tudo a ver com o fim de semana. Também no dia 29 de maio de 1985, aconteceu um dos capítulos mais tristes da história do futebol. Durante o jogo entre Liverpool e Juventus (exatamente os dois times para os quais torço fora do Brasil), na final da Copa dos Campeões da Europa, uma briga entre hooligans e italianos deixou 38 mortos no estádio Heysel, em Bruxelas, na Bélgica. Triste. Mas é bom que seja relembrado, para que as pessoas aprendam e não repitam.



*****

E agora vamos recorrer mais uma vez ao blog de Paulo Marchetti, para relembrar o álbum “Mudança de comportamento”, que marcou a esteia do Ira! no mercado de discos. O disco foi lançado no dia 29 de maio de 1985. Bom, sinceramente, acho o “Vivendo e não aprendendo” (1988) bem superior (inclusive tem um texto meu sobre ele, bem detalhado, aqui), mas o “Mudança de comportamento” tem a minha música predileta do Ira, “Núcleo base”.

*****

E agora partindo do clássico para o rock, vamos falar de Noel Gallagher. O ex-guitarrista do Oasis – um dos mais talentosos de sua geração – faz 43 anos hoje. Os fãs do Oasis ainda não se conformaram – e eu sou um deles – mas todos esperamos que Noel consiga reeditar o sucesso de sua antiga banda na carreira solo. Liam Gallagher já anunciou o nome de seu novo conjunto (Beady Eye). Agora, resta saber quando é que Noel vai falar algo de concreto sobre os seus próximos passos. A minha torcida é que ele entre no Beady Eye (que conta com quatro ex-integrantes do Oasis) e, aí sim, o Oasis estaria de volta.



*****

E vamos começar por onde nesse dia 29 de maio? Fácil! Hoje comemoramos os 150 anos de Isaac Albéniz, compositor e pianista espanhol. A sua obra mais conhecida é a “Iberia” (uma suíte com 12 movimentos), que já foi interpretada por dezenas de pianistas. Existe um filme, “Albéniz”, produzido na Argentina em 1947, que conta a vida dele. Vai ser difícil, mas vou tentar encontrar.



*****

E ae pessoal! Mais um sábado, graças a Deus, hein? E como foi a noite ontem? Aliás, sabia que hoje comemoramos o dia da Queda de Constantinopla? Hein?

28 de mai de 2010

T-Bone Walker, Cyro Monteiro, John Fogerty, Gaspa, Klaxons, HTDA, Vampire Weekend, Scissor Sisters, Santana, Aerosmith, Tulipa, Alice Cooper, M.I.A.

"917.834.XXXX. Me liguem se vocês quiserem falar sobre a verdade da reportagem no 'NYT', eu vou atender ligações o dia todo." (M.I.A., em seu twitter, dando o telefone de uma jornalista que fez uma matéria esculhambando com a cantora)

*****

Alice Cooper entrou em estúdio para regravar cinco sucessos, que agora podem ser adquiridos através do site oficial do cantor. "Alice vs Alice" é o nome do projeto, que foi lançado apenas virtualmente. O download das cinco faixas custa US$ 4,99. Já a canção "Elected" pode ser baixada gratuitamente aqui. A relação de faixas de "Alice vs Alice" é a seguinte: "Schools out", "I'm eighteen", "No more Mr Nice Guy", "Welcome to my nightmare" e "Elected".

*****

Mais uma do Vampire Weekend hoje. Abaixo, você pode ouvir a nova música da banda, "Jonathan Low", que fará parte da trilha sonora de "Eclipse". De um modo geral, achei a música abaixo do nível da banda.



*****

Esse vídeo da Tulipa Ruiz foi indicação de um amigo meu. Gostei da voz, gostei do arranjo. Tomara que ela chegue ao grande público. Melhor do que muita cantora que faz sucesso por aí...



*****

Quer saber como foi o show do Aerosmith, ontem, em Porto Alegre? Aqui.

*****

O guitarrista Santana está preparando um álbum só com clássicos do rock. Como de costume, a lista de convidados é extensa. Saca só os nomes (e as faixas) confirmadas até agora: Nas ("Back in black", do AC/DC), Chris Cornell ("Whole lotta love", do Led Zeppelin), Joe Cocker ("Little wing", de Jimi Hendrix) e Ray Manzarek ("Riders on the storm", do The Doors). Andei meio desiludido com os últimos álbuns do Santana, mas esse até que me animou.

*****

Todo mundo sabe (pelo menos quem lê esse blog) que os Scissor Sisters passaram por problemas durante a produção de seu novo álbum. Um disco praticamente inteiro chegou até mesmo a ser gravado, mas descartado posteriormente. E quem resolveu esse problema? Neil Tennant, dos Pet Shop Boys. Pelo menos foi o que disse Jake Shears. Enquanto descansava em Berlim, ele encontrou o pet shop boy (que mora na cidade alemã durante alguns meses do ano), que sugeriu o nome de Stuart Price (produtor de trabalhos de Madonna, New Order e Seal) para trabalhar com os Scissor. "Neil disse: 'Por que você não liga para o Stuart e vê o que acontece.". Stuart Price é o produtor de "Night work", que chega às lojas no final de junho.

*****

Quer conhecer as seis guitarras mais feias de todos os tempos? Aqui.

*****

E que tal o videoclipe de "Holidays", do Vampire Weekend, hein? Bacaníssimo!



*****

GENTE BOA: Trent Reznor, do How To Destroy Angels, vai liberar gratuitamente o EP de sua banda, para download, em seu site oficial. As seis faixas do EP que leva o mesmo nome da banda são as seguintes: "The space in between", "Parasite", "Fur-lined", "BBB", "The believers" (que já pode ser ouvida no site) e "A drowning". O EP estará disponível a partir de segunda-feira, dia 01º/06.

*****

A banda Klaxons iniciou na quarta-feira uma rápida turnê por pequenas casas de show na Inglaterra. No repertório, seis canções inéditas, que farão parte do próximo álbum do grupo: "Flashover" (cujo single já foi lançado oficialmente), "Same space", "Valley of the calm trees", "Twin flames", "Echoes", "Astronomical" e "Future memories". Ainda não encontrei nada no YouTube. :(

*****

Hoje também gostaria de homenagear o baixista Ricardo Gaspa, que completa 52 anos hoje. Gaspa tocou no Ira!, que é uma das minhas bandas prediletas do Rock Brasil. E acho que ela faz muita falta. Ainda não ouvi o trabalho novo do Nasi, mas sei que tem uma participação do Gaspa.



*****

No dia 28 de maio de 1945 nascia John Fogerty, fundador e líder daquela que foi uma das maiores bandas de rock dos Estados Unidos, o Creedence Clearwater Revival. Além de ser um dos maiores guitarristas de todos os tempos, Fogerty compôs alguns dos clássicos de sua banda, como "The working man", "Born on the bayou", "Proud Mary", "Green river" e "Bad moon rising". Eu já tirei a poeira da coleção do Creedence aqui, porque hoje o rock n' roll vai comer!



*****

E hoje também comemoramos o aniversário de outro monstro sagrado. Só que da música brasileira. Cyro Monteiro nasceu a 28 de maio de 1913, no Rio de Janeiro. O sambista, tão aclamado pelo poeta Vinícius de Moraes, colocou a sua voz em pérolas do nosso cancioneiro, como "Beija-me", "Escurinho", "Falsa baiana", "Oh, seu Oscar!", "Rugas", "Se acaso você chegasse", entre outras. Pena que hoje ele seja tão pouco lembrado. Inclusive, foi uma dificuldade tremenda encontrar um vídeo de Cyro Monteiro no YouTube. Povo sem memória o nosso.



*****

O que temos pra hoje, hein? Vamos começar muito bem, celebrando um centenário. Em 28 de maio de 1910, nascia, no Texas, T-Bone Walker, um dos monstros sagrados da história do blues. Dentre as principais composições de T-Bone estão "Call it stormy monday", "T-Bone shuffle" e "Call me when you need me". Um dos grandes influenciados pela música de T-Bone foi B.B. King. Ele sempre diz isso. E só esse detalhe já é o suficiente para avaliarmos a importância de T-Bone Walker.



*****

Opa! Bom dia pessoal! Como está? Nossa, ontem foi o dia do encontro da faculdade de Direito. Vou te dizer: que ressaca. A gente sente que a idade está chegando nesses dias... Antes, tive o grande prazer de conhecer o jornalista Daniel Achedjian, um belga apaixonado por música brasileira, e que mantém um blg fantástico: http://daniel-achedjian.blogspot.com/.

27 de mai de 2010

Paganini, Bridgewater, Paul, Sex Pistols, Flu, Amy, Arcade Fire, Smashing Pumpkins, Ozzy, Foals, Faces

"Noel Gallagher, Kelly Jones, do Stereophonics, Chris Robinson, do Black Crowes... Muita gente pediu: "por favor, me deixe cantar com vocês'."(Ron Wood, guitarrista fanfarrão dos Faces, dizendo à BBB, quem teria se convidado para participar do show de reunião da banda, em agosto)

*****

Que tal o single novo dos Foals, "Miami"? Achei muito legal...



*****

Genial essa forma do Ozzy Osbourne divulgar o seu novo álbum, "Scream".



*****

A banda Smashing Pumpkins deu início ao projeto de lançar uma série de EPs virtuais que, no futuro, formarão um box. "Teargarden by kaleidyscope 1: Songs for a sailor" já está disponível para download. Eu curti as músicas. "A song for a son" é uma balada interessante, ao passo que "Widow wake my mind" nos traz de volta o SP roqueiro.



*****

E hoje o Arcade Fire resolveu liberar tudo de uma vez. A linda capa do novo disco (logo aí acima) foi divulgada. O lançamento de "The suburbs" acontecerá no dia 02 de agosto. E duas faixas foram lançadas hoje também. A primeira é "Month of may", um rockinho esperto, meio punk, meio-sei-lá... Bem diferente daquela coisa épica e sensacional do álbum de estreia. O álbum foi co-produzido pela banda e por Markus Dravs.



A outra faixa é "The suburbs" (que também será o título do álbum). Eu gostei mais dessa do que da primeira. "The suburbs" me trouxe uma vibração mais folk, estilo Califórnia-anos-60... Pelo jeito, esse novo álbum do Arcade Fire será bem diversificado. Não sei se isso é bom ou ruim, mas já estou ansioso.



*****

NOTÍCIA VELHA: O pai de Amy Winehouse disse que deve sair disco novo da filhota no Natal. Já ouvimos isso nos dois anteriores...

*****

E, atenção, tricolores de plantão que ontem derrotaram o meu Mengão. Hoje faz 26 anos que o Fluminense conquistou o seu primeiro (e único) campeonato brasileiro. A final foi contra o Vasco da Gama, no dia 27 de maio de 1984. O jogo terminou empatado em 0x0, mas como o Fluminense havia ganhado a primeira partida por 1x0, o título acabou ficando nas Laranjeiras. Até esse flamenguista aqui vai ter que reconhecer que o tricolor carioca tinha um timaço em 1984. Sente só a escalação da final: Paulo Víctor, Aldo, Duílio, Ricardo Gomes e Branco; Jandir, Delei e Assis; Romerito, Washington e Tato. O técnico era o bom e velho Carlos Alberto Parreira.



*****

Consultando meus alfarrábios aqui, me deparei com algo interessante. Uma música histórica que foi lançada no dia 27 de maio de 1977. São 33 anos de história. Tipo, não são 35 e nem 40. Mas acho que esse é o tipo de música que deve ser lembrado todo ano. Sabe qual é? Segura aí!



*****

E hoje faz 35 anos que esse discaço acima foi lançado. "Venus and Mars", o quarto álbum do Wings (banda formada por Paul McCartney após a dissolução dos Beatles), é um daqueles que eu tinha em vinilzão e ouvia direto. Ou seja, foi fundamental para a minha formação. O álbum nem é daqueles que está cheio de sucessos. Pelo contrário, acho que não tem nenhum grande hit. Mas, nossa, que delícia a abertura com a faixa título e "Rock show". Ou então "Listen to what the man said" ou a viajante "Spirits of ancient Egypt", com participação de Denny Laine. Fundamental! Já estou ouvindo novamente. Só troquei o velho vinil pelo iTunes. Infelizmente.

*****

E quem faz 60 anos hoje é uma das grandes damas do jazz. Dee Dee Bridgewater nasceu a 27 de maio de 1950 e gravou dois álbuns que eu considero fudamentais: "Love and peace: A tribute to Horace Silver" (1995) e "Dear Ella" (1997). Por esse último, em homenagem a Ella Fitzgerald, Dee Dee faturou o Grammy de melhor vocal de jazz e melhor arranjo instrumental (na canção "Cotton tail"). Dee Dee Bridgewater já veio ao Brasil em algum Free Jazz da vida, mas não me lembro qual.



*****

Então vamos começar viajando ao ano de 1840. Sabe quem morreu no dia 27 de maio de 1840? Hein? O compositor italiano Niccolò Paganini. O nome pode até parecer estranho, mas algumas de suas composições são daquele tipo que a gente põe para rodar, e reconhece de cara, especialmente os seus "caprices" para violino (como os de número 13, 20 e 24) e os seus concertos para violino números 2 e 3. Ah, e claro, o "Moto perpetuo", que você pode conferir logo abaixo.



*****

Bom dia pessoal. Como está a vida, hein? Vamos logo, que hoje estou cheio de compromisso... Só duas curiosidades: hoje é o dia do profissional liberal e da Mata Atlântica!

26 de mai de 2010

Peggy Lee, Miles, Tornado, Sivuca, Lenny Kravitz, Kiss, The Jam, Mark Ronson, U2, Gorillaz, Reznor, Vai, Flying Lotus, God Help The Girl, KoL, SRV

Agora a boa notícia para os fãs de Stevie Ray Vaughan. (Tem algum aí?) Sairá no dia 26 de julho a edição especial do classicozaço "Couldn't stand the weather". O lançamento fará parte das "comemorações" pelos 20 anos (já?) da morte do guitarrista. A edição especial consistirá do álbum original remasterizado, e mais 11 faixas extras, além de um CD bônus com um show gravado no Spectrum, em Montreal, no dia 17 de agosto de 1984, quando o álbum estava sendo lançado. As faixas extras são as seguintes: "Empty arms", "Come on (Pt. III)", "Look at little sister", "The sky is falling", "Hide away", "Give me back my wig", "Boot hill", "Wham!", "Close to you", "Little wing" e "Stang's swang". Já o repertório do show que comporá o segundo CD é esse aqui: "Testify", "Voodoo chile (Slight return)", "The things (that) I used to do", "Honey bee", "Couldn't stand the weather", "Cold shot", "Tin pan alley (aka Roughest place in town)", "Love struck baby", "Texas flood", "Stang's swang", "Lenny" e "Pride and joy". Já vou encomendar.

*****

Em estúdio desde o mês passado, os Kings of Leon deram mais umas dicas de como será o seu novo álbum, o sucessor do campeão de vendas "Only by the night" (2008). "É a primeira vez que gravamos em Nova York, e achamos que isso terá uma influência mais sombria no disco. Os trabalhos anteriores foram gravados em Nashville ou Los Angeles, que são mais solares", disse Caleb Followill à revista Spin. Entretanto, ele não descarta canções mais alegres. "Ele poderá ter faixas mais alegres, parecidas com as de 'Youth & young manhood'", completou. A banda já promete tocar músicas novas na turnê de verão nos Estados Unidos.

*****

Os fãs do Belle and Sebastian vão gostar dessa. Stuart Murdoch lançou um novo single de seu projeto paralelo God Help the Girl. A canção se chama "Baby you're blind", e conta com os vocais de Linnea Jönsson, do Those Dancing Days. Achei a música bem engraçadinha.




*****

Achei bem, hum, interessante a nova música do Flying Lotus, "Heave(n)". E você?



*****

Já tem mais ou menos uma semana que Steve Vai lançou o single virtual "Moon and I". Mas confesso que só ouvi hoje. E, tipo, é bem Steve Vai...



*****

Já conhecem a nova música de Trent Reznor? Ela foi composta para o filme "Tetsuo: The Bullet Man", do diretor Shinya Tsukamoto, é uma das coisas mais doidas que ouvi nos últimos meses.



*****

Com tantas bandas voltando por aí, essa aqui não podia faltar.

*****

E a música nova do Mark Ronson, hein? É, né? "Bang, bang, bang"...



*****

THE JAM IS BACK: Paul Weller no mesmo palco que Bruce Foxton, 28 anos depois... Aconteceu ontem, em Londres. *_*



*****

Eu gosto do Kiss porque os seus integrantes têm culhões suficientes para colocar o seguinte nome na sua nova turnê: "The hottest show on earth". Eles acreditam nisso. Os seus fãs também. Precisa de mais alguma coisa?

*****

E sabe quem completa 46 anos hoje? Lenny Kravitz. Sempre tive minhas restrições com a sua música. Considero muito bons os dois primeiros álbuns do cara, "Let love rule" (1989) e "Mama said" (1991), mas depois ele ficou chato pra caramba, pelo menos na minha opinião. Ficou se repetindo tanto, mas tanto, que não consigo nem mais escutar os seus dois primeiros trabalhos. Mas hoje eu prometo que vou tentar. E vou começar por essa música aqui...



*****

Quem nasceu no mesmo dia que Tony Tornado foi o grande Severino de Oliveira, ou, simplesmente, Sivuca. Nascido no município paraibano de Itabaiana, Sivuca, com a sua sanfona, compôs de tudo um pouco: frevo, forró, baião, choro, jazz, e por aí vai. E se você for fã dos Mutantes, deve saber que "Adeus, Maria Fulô" é uma composição do grande Sivuca em parceria com Humberto Teixeira. Além de "Adeus, Maria Fulô", Sivuca compôs a trilha sonora de um dos meus filmes prediletos - eu tinha até o discão - "Os Trapalhões na Serra Pelada". Então vamos relembrar Sivuca?



*****

Olha, quando eu vi isso na minha agenda, achei que fosse até sacanagem. Acredita que o Tony Tornado completa 80 anos hoje? Para mim, ele não tinha mais de 50... Hehehe... Tony Tornado é daqueles que some de vez em quando. E quando ele some, a gente vê o quanto ele faz falta. Pena que Tornado tenha gravado somente dois álbuns em sua curta carreira de cantor (entre 1971 e 1972). Na televisão, ele participou de novelas e minisséries como "Gente fina", "Vamp", "Agosto" (fez um Gregório Fortunato inesquecível), "Roque Santeiro", entre outras. No cinema, os seus principais trabalhos foram "Pixote, a lei do mais fraco" (1980) e "Quilombo" (1984).



*****

E no dia 26 de maio de 1926 nasceu o grande Miles Davis. E o que dizer desse jazzista em cinco linhas? Talvez o mais importante de Miles Davis é que ele transitou por todas as variantes do jazz, do bebop ao fusion, passando pelo cool jazz, pelo free jazz e pelo jazz modal. Citar os seus principais álbuns também é algo complicado. Só sei que, para hoje, já separei os seguintes: "Bitches Brew" (1969 - o box de 4 CDs com as sessões de gravação), o vinil de "A kind of blue" (1959 - tudo bem, esse é óbvio demais), "Miles smiles" (1966 - amo a interpretação para "Footprints" que tem nesse álbum) e "The complete concert" (1964 - o meu primeiro CD de Miles Davis, no qual o trompetista era acompanhado por Wayne Shorter, Herbie Hancock, Ron Carter e Tony Williams). Que tal?



*****

E vamo que vamo. Dia 26 de maio. Sabe o que tem pra hoje? Hein? Noventa anos de Peggy Lee. A cantora e atriz norte-americana, que nasceu no dia 26 de maio de 1920, serviu de inspiração para muita gente, como Dusty Springfield, Frank Sinatra e Ella Fitzgerald. Os seus principais trabalhos como atriz foram no remake do filme "O cantor de jazz", de 1952, e em "Pete Kelly's Blues" (1955), pelo qual foi indicada ao Oscar de melhor atriz.



*****

Opa! Bom dia, gente! Tudo bom? Tempo doido, né? Deixa eu te dizer: hoje aqui em casa todo mundo madrugou. O cachorro, ansioso para viajar, latiu a noite toda. Mas acontece que, tipo, ele não viajou. Agora está uivando no meio da sala. Dá pra entender?

25 de mai de 2010

Klaus Meine, Weller, Lauryn, Kid Abelha, Passarella, ZZ Top, Beady Eye, Faces, Strokes, Spector, Klaxons, Green Day, Stones, Led, LCD, Paul, Mogwai

Acima está a capa do CD/DVD ao vivo do Mogwai. O filme presente no DVD se chamará "Burning", e foi dirigido por Vincent Moon e Nathanaël Le Scouarnec. Já o CD trará um show da banda pela primeira vez. O lançamento está previsto para o dia 24 de agosto. Quer ver um trechinho de "Burning"?



*****

No dia 02 de junho, Paul McCartney será homenageado por Obama, na Casa Branca. Vários artistas prestarão um tributo ao ex-Beatle em um show. Olha a lista: Jack White, Elvis Costello, Dave Grohl, Stevie Wonder e Emmylou Harris. Na ocasião, Paul McCartney receberá o Library of Congress Gershwin Prize de Música Popular. Ainda bem que Obama tem bom gosto musical. Melhor do que o do Bush, que chamou Alexandre Pires.

*****

Linda a homenagem do LCD Soundsystem à cidade de Nova York. Aconteceu anteontem, num show em... Nova York!



*****

Led Zeppelin substituindo o U2 em Glastonbury? No creo. Mas Jimmy Page dá esperanças...

*****

Uma história real dos Rolling Stones por um menino de oito anos de idade. Imperdível! E bom para afiar o ingrêis...

*****

Para os fãs de Green Day e de Rock Band...



*****

E a música nova dos Klaxons, hein? Eu achei legalzinha... O nome dela é "Flashover", e vai fazer parte do segundo álbum do grupo - ainda sem data de lançamento prevista -, que deve se chamar "Surfing the void".



*****

Eu já vi muita coisa doida acontecer no mundo da música. Mas isso aqui é inédito. Será que construíram um estúdio na prisão??

*****

Al Pacino no papel de Frank Sinatra? Robert De Niro fazendo Dean Martin? Putz, sensacional!

*****

Taí a foto que muito fã dos Strokes queria ver. Ela foi postada por Julian Casablancas, através do twitter. Os Strokes vão participar dos festivais da ilha de Wight (dia 12 de junho) e de RockNess (dia 13), ambos na GRã-Bretanha. Mais datas devem ser anunciadas em breve.

*****

SIMPLY RED FACES: A banda The Faces anunciou que vai se reunir para um show, sem o seu vocalista original Rod Stewart. Em seu lugar foi convocado Mick Hucknall, do Simply Red. A apresentação acontecerá no festival Vintage at Goodwood, que acontecerá entre os dias 13 e 15 de agosto. Glen Matlock (Sex Pistols) substituirá o falecido baixista Ronnie Lane. Da formação original, subirão ao palco Ron Wood, Kenney Jones e Ian McLagan.

*****

BEADY EYE: Já ouviu falar nessa banda? Eu só a conheci hoje de manhã. Eu e o mundo todo. Beady Eye é o nome da nova banda de Liam Gallagher. O ex-vocalista do Oasis se juntou aos ex-colegas de banda Gem Archer, Andy Bell e Chris Sharrock, além de Jeff Wootom, que toca com o Gorillaz. No momento, eles estão gravando o álbum de estreia, com produção de Steve Lillywhite. A previsão é que o primeiro single seja lançado até outubro.

*****

DICAS: *Recebi, via twitter, a dica de um blog bem bacana, produzido por alunos da FACHA, sobre Noel Rosa. A quem interessar, o endereço é esse aqui: http://feiticodonoel.blogspot.com/.

* O jornalista Leonardo Guedes, do site do Sidney Rezende, também fez um texto muito bom sobre o álbum (clássico!!) "Eu quero é botar meu bloco na rua", de Sérgio Sampaio. Recomendo a leitura.

* E para saber como foi o show do ZZ Top em São Paulo, o grande Jamari França explica tudinho em seu blog.

*****

Hoje também é aniversário de uma das nossas musas. Maria Fernanda Cândido, dona dos olhos mais lindos da televisão brasileira, faz 36 anos hoje. A atriz participou de novelas e minisséries como "Terra nostra", "Aquarela do Brasil", "Esperança", "Um só coração", "Como uma onda", "Paraíso tropical", "Capitu", "Dalva e Herivelto", além dos filmes "Dom" e "Sal de prata".



*****

Agora vamos falar um pouco de futebol, mas especificamente da seleção argentina, a minha favorita para essa Copa, como vocês já sabem. Hoje, Daniel Passarella, que foi capitão da seleção naquele título roubado de 1978, comemora 57 anos. Ótimo jogador e polêmico - como todo bom jogador argentino - Passarella atuou como zagueiro no River Plate, na Fiorentina e na Internazionale de Milão. Mas o melhor capítulo de sua história foi mesmo na seleção argentina. Como jogador, frise-se, porque como técnico, não conseguiu nada de muito especial. Assim como a sua curta passagem pelo Corinthians, como treinador, em 2005, também foi um fiasco.



*****

E como bem lembra o blog de Paulo Marchetti, hoje faz 26 anos que o Kid Abelha (que ainda era Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens) lançou o seu álbum de estreia, "Seu espião". Saca só os sucessos desse disco: "Seu espião", "Nada tanto assim", "Alice (Não escreva aquela carta de amor)", "Fixação", "Como eu quero", "Porque não eu?", "Pintura íntima"... Podem falar mal do Kid Abelha, mas me responda quantas bandas lançaram um álbum de estreia com tantos hits assim? Poucas, pouquíssimas...

*****

Hoje também é dia de Lauryn Hill comemorar. A cantora norte-americana faz 35 anos. Depois do sucesso no Fugees, especialmente com a ótima versão para "Killing me softly", Hill seguiu carreira solo, e gravou dois discos bem honestos: "The miseducation of Lauryn Hill" (1998) e "MTV Unplugged" (2000). Pena que esteja meio sumida...



*****

Quem faz 52 anos hoje é o ex-líder do The Jam, Paul Weller. Acho que Weller é um daqueles caras que sabe conduzir a carreira de uma maneira muito legal. Faz o som do seu jeito, nunca se curvou a nada, e seus álbuns conseguem ser sempre melhores dos que os anteriores. "22 dreams", por exemplo, lançado em 2008 é fantástico; e "Wake up the nation" (2010) consegue ser superior. Por essas e outras que até mesmo o arrogante Noel Gallagher baba o ovo do Paul Weller.



*****

Mas então vamos ver o que aconteceu de interessante no dia 25 de maio, que é o dia nacional da adoção. Em 1948, nasceu o vocalista do Scorpions, Klaus Meine. O último álbum de sua banda (que parece que é o último de verdade) foi uma decepção. Mas até que essa banda já fez algumas coisinhas bacanas, principalmente nos anos 80.



*****

Opa! Bom dia pessoal. Cheguei um pouco tarde, mas cheguei. Acho que foi o dia fria... Hehe... E que movimentação, hein? Turnê do U2 cancelada, Paul Gray (baixista do Slipknot) encontrado morto... Eu hein... Sai pra lá, bruxa!

24 de mai de 2010

Dylan, Guy Fletcher, Duke, Braveheart, Stones, Supertramp, Cribs, Dio, Caetano, Massive Attack, Pearl Jam, Lynyrd Skynyrd

Para esquentar o lançamento de seu novo CD/DVD "Live at Freedom Hall", o Lynyrd Skynyrd liberou a faixa ao vivo de "Gimme three steps" na internet. O lançamento do CD/DVD acontece no dia 21 de junho.



*****

Achei duca esse vídeo do show do Pearl Jam no Madison Square Garden, na última sexta-feira. No segundo bis da noite, Eddie Vedder chamou Ben Bridwell (vocalista do Band of Horses, que abriu o show) para cantar com ele a clássica "Hunger strike", do Temple of the Dog, banda pré-Pearl Jam, que durou apenas um disco e que tinha entre seus integrantes Eddie Vedder, Jeff Ament, Stone Gossard, Matt Cameron e Mike McCready.



*****

E que tal o novo videoclipe do Massive Attack, hein? Eu achei interessante...



*****

A quarta caixa da coleção "Quarenta anos Caetanos" chega às lojas na primeira semana de junho. Esse último box cobre os álbuns de Caetano Veloso lançados entre 1995 ("Fina estampa - Ao vivo") e 2007 ("Cê - Multishow ao vivo"). Além dos 11 CDs lançados por Caetano nesse período, o box vai trazer um CD-bônus de "raridades", mas que nem são tão raras assim - a maioria foi retirada de álbuns de outros aristas, dos quais Caetano participou, ou de trilhas de filme. As faixas do álbum de "raridades" "Que de-Lindo" são as seguintes: "A luz da Tieta" (com Gal Costa); "Vestido de prata" (com Margareth Menezes); "Machado de Xangô"; "Faixa de cetim"; "Céu de Santo Amaro"; "Merica, Merica" (com Jaques Morelembaum e orquestra); "Pedra de responsa" (com Alcione); "Vá morar com o diabo" (com Riachão); "O calhambeque"; "Maluco beleza"; "Meus telefonemas" (com Negra Li); "Lua de São Jorge" (com Olodum); Que de-lindo" ("It´s lovely"); "Cheek to cheek" (com Cauby Peixoto); "Boa palavra" (com Maria Odette); "O fundo" (com João Donato); "O canto de dona Sinhá" (com Maria Bethânia); "Você não me ensinou a te esquecer"; "Ó pai, Ó" (com Jauperi); e "Margarida perfumada" (com Timbalada).

*****

BEM-VINDO AO SÉCULO XVIII: Parece que o enterro de Ronnie James Dio não será nem um pouco tranquilo. Veja só: a seita religiosa norte-americana Westboro Baptist Church está preparando uma manifestação durante os rituais fúnebres de Dio, que acontecerão em Forest Lawn, no próximo dia 30. Sabe o porquê? Os simpatizantes da seita querem protestar por conta daquele chifre que Dio fazia com o dedos. A seita acusa Dio de adoração ao diabo, incitação à violência e ódio a Deus. O site da tal seita, já conhecida nos Estados Unidos pelo ódio aos homossexuais está hospedado no endereço www.godhatesfags.com. Bem direto... Tem maluco pra tudo.

*****

A boa de hoje é que o The Cribs já está em estúdio gravando o seu novo álbum. Novidades? Pela primeira vez, eles estão usando teclados (pilotados por Ryan Jarman). Taí, estou curioso para ouvir isso. E também para ouvir a guitarra de Johnny Marr, que deve estar mais à vontade agora na banda.

*****

PRA QUÊ?: Sabia que o Supertramp voltou? Eles até agendaram uma turnê, a "70-10", que passará por 11 países da Europa. São 40 anos de malice... ops, história. A volta foi idealizada pelo fundador do conjunto, Rick Davies, que se apresentará juntamente com John Anthony Helliwell, Bob Siebenberg, Jesse Siebenberg, Cliff Hugo, Carl Verheyen e Lee Thornburg. Roger Hodgson está fora.

*****

E no mesmo dia em que comemoramos os 42 anos de "Jumpin' Jack Flash", os Rolling Stones alcançam o topo da parada britânica com um álbum lançado originalmente em... 1972! A versão expandida de "Exile on main st.", que chegou às lojas na semana passada (e que será resenhada aqui no próximo sábado) deu ao grupo o primeiro topo da parada britânica de discos desde 1994 - ano de lançamento de "Voodoo lounge". Impressionante como a indústria do disco se alimenta mesmo dos clássicos e suas "edições especiais" (hoje sai a de "Disintegration", do The Cure). Até mesmo porque são os consumidores mais velhos que ainda gastam dinheiro com CD. Qualquer moleque de 4 anos de idade não teria muita dificuldade em baixar a discografia completa dos Stones...

E só para continuar no mesmo tema, o porta-voz dos Rolling Stones desmentiu a informação do site australiano "Undercover", no sentido de que o baterista Charlie Watts estivesse deixando a banda. Segundo o Undercover, Watts não tocaria mais ao vivo com a banda, limitando-se apenas à gravação de álbuns. Espero que isso não seja verdade. Não teria a mínima graça assistir a um show dos Stones sem aquele cara atrás da bateria.

*****

Hoje também faz 15 anos que um dos filmes mais famosos de Mel Gibson estreou. "Braveheart" (ou "Coração valente") apresenta a história de William Wallace, guerreiro escocês que luta contra o domínio do rei inglês Eduardo I. Pelo menos quando tinha os meus 14 anos de idade, eu curti o filme. Mas tenho que revê-lo para formar uma opinião. Tenho dúvidas se hoje vou curtir tanto...



*****

E sabe qual música completa 42 anos hoje? "Jumpin' Jack Flash", dos Rolling Stones. O single foi lançado no Reino Unido a 24 de maio de 1968. Vamos relembrar?



*****

Hoje vamos também relembrar Duke Ellington. No dia 24 de maio de 1974, o grande maestro, pianista e compositor partia para o andar de cima. Eu não me esqueço do dia em que conheci de verdade a obra de Duke. Era um sábado de manhã, uns 40 graus, calor desgraçdo. Estava de bebobeira pela Gávea, dei um pulo na Tracks e perguntei ao dono da loja o que ele me recomendaria (dentro do jazz) para ouvir naquele sábado de manhã. Saí da loja com "Live at Newport". Ouvindo o CD em casa, entendi perfeitamente a recomendação. Nada poderia combinar mais perfeitamente com um sábado de sol do que o som da big band de Ellington.



*****

Ah, hoje também é aniversário de um tecladista que eu gosto muito. Pelo nome, pouca gente deve conhecer: Guy Fletcher. Mas se você colocar para tocar o vídeo abaixo, reconhecerá logo o teclado da introdução de "Walk of life". Fletcher foi tecladista do Dire Straits desde 1984, quando a banda gravou "Brothers in arms". Junto com a banda, ele também gravou "On every street" (1991). Atualmente, ele acompanha Mark Knopfler em sua carreira solo. Guy Fletcher completa 50 anos hoje.



*****

E vamos começar por onde hoje? Pelo aniversário de um dos nossos mestres. Bob Dylan nasceu a 24 de maio de 1941, e hoje completa 69 anos (pois é, o tempo passa até para ele...). Na minha opinião, o mais impressionante em Bob Dylan é que, em uma fase de sua carreira em que tinha tudo para estar caído, ele está produzindo discos excelentes. A "trilogia" "Time out of mind" (1997), "Love and theft" (2001) e "Modern times" (2006) é simplesmente, sensacional. "Together through life" (2009) é um disco menor, mas, mesmo assim, digno. As apresentações que Dylan fez no Brasil em 2008 foram memoráveis. Assisti aos dois shows em São Paulo e ao do Rio de Janeiro, e o mais bacana é que eles foram bem diferentes entre si. Eram umas cinco canções em comum, e o resto era meio que surpresa. Quando ele cantou "My back pages" no Rio, tive que me beliscar... "Like a rolling stone" também foi outro grande momento. Ainda bem que ele cantou esse clássico nas três apresentações.



*****

Bom dia, pessoal! Mais uma semana começando, hein? Greve de ônibus, trânsito ruim... Pelo menos, o sol está brilhando nesse dia do telegrafista...

23 de mai de 2010

Resenhando: Keane, Knebworth, Guns n’ Roses, Martinho da Vila, Hole

“Night train” – Keane
Confesso que quando o Keane lançou “Perfect symmetry”, em 2008, fiquei surpreso. O Keane não era das minhas bandas prediletas. Imitação por imitação, ficava com o Coldplay, que, por sua vez, imita outras bandas que imitam outras, e por aí vai, afinal nada se cria, tudo se copia, mesmo. Nada contra a banda seguir o estilo da moda, mas achei bem interessante a guinada do Keane para algo mais dançante em seu álbum de 2008. E o que é que “Night train”, novo álbum (na verdade, um EP com oito faixas) poderia apresentar de bom? Infelizmente, muito pouco. “Night train” é um passo para trás na carreira do Keane. Esqueça canções bacanas como “Lovers are losing” ou “Spiralling”. Em “Night train”, você vai ouvir uma vinheta sem graça (“House lights”), rap – sim!!! rap!!! – em “Stop for a minute” e “Looking back” (ambas com a participação do canadense K’Naan) e uma balada sem inspiração como “My shadow”. Para não dizer que nada se salva, “Back in time” e “Your love” ainda trazem um eco do bom Keane, assim como “Clear skies”, uma canção pop honesta, mas, nada mais do que isso. Tomara que “Night train” tenha sido apenas um pequeno desvio de rota.

*****

“Live at Knebworth” – Vários
Eu devia ter uns 11 anos de idade, quando ganhei o LP duplo “Live at Knebworth”, comprado no Carrefour pela minha mãe. Naquele tempo, em que eu nem sonhava em baixar o que quisesse na internet, um disco com sucessos de Dire Straits, Robert Plant, Eric Clapton, Elton John, Paul McCartney, Pink Floyd e Genesis era tudo o que mais queria. Ouvi o disco até gastar. Gastar mesmo. O LP trazia os melhores momentos do festival anual que acontecia em Knebworth. A edição registrada no álbum tinha acontecido em 1990, e foi especial porque juntou a maior parte dos artistas que já havia faturado o prêmio Silver Clef. Esse mesmo show que tinha saído em LP ganhou, mais tarde, edição em VHS e, ainda mais tarde, em DVD. Mas agora chegou às lojas o CD duplo. Lógico que o DVD é mais vantajoso. Mas o CD tem um valor especial para esse carinha que escreve essas mal traçadas. Durante anos e anos, ele ouviu esse disco imaginando como foram esses shows. E talvez eles tenham sido mais legais na cabeça dele do que no DVD. Por isso, ele ainda com o CD.

*****

“In New York – Live at the Ritz 1988” – Guns n’ Roses
Esse show também tem um valor sentimental para mim. Eu me lembro que, às vésperas do Rock in Rio II (em 1991), quando a MTV brasileira ainda engatinhava, essa apresentação do Guns n’ Roses em Nova York passava umas cinco vezes por dia. Era Axl Rose, Slash & Cia. em sua melhor forma, logo após o lançamento do animalesco “Appetite for destruction”. O DVD mostra uma banda em seu auge, no ano de 1988, com toda a fome de palco do mundo – bem diferente do Sr. Axl de hoje. O repertório é paulada atrás de paulada: “It’s so easy”, “Mr. Brownstone”, “Welcome to the jungle”, “Paradise city” e “Knockin’ on heaven’s door”, que, mais tarde, seria definitivamente gravada pela banda no álbum “Use your illusion II” (1991). Pena que a imagem do DVD não seja lá essas coisas. Tomara que o Guns n’ Roses, um dia, ainda lance esse show de forma oficial. Merece. E é bem melhor do que qualquer um que Axl Rose e sua nova banda fizeram nos últimos 15 anos.

*****

“Poeta da cidade – Martinho canta Noel” – Martinho da Vila
Martinho da Vila, Rildo Hora, Elifas Andreato, Mart’nália, músicos como Beto Cazes, Cristóvão Bastos, e canções de... Noel Rosa. Tinha como dar errado? Claro que não. “Poeta da Cidade – Martinho canta Noel” já é um dos melhores álbuns da rica discografia de Martinho da Vila. O maior mérito do trabalho foi não ter caído na obviedade de escolher os maiores sucessos de Noel Rosa para o repertório. Lógico que “Último desejo” (com a voz um pouco empostada demais de Maira Freitas), “Fita amarela” (com ótima intervenção de Aline Calixto) e “Três apitos” (com a dispensável participação de Patricia Hora) fazem parte do álbum. Por outro lado, podemos relembrar (ou conhecer) pérolas não muito conhecidas de Noel, como “Seja breve” (talvez a melhor faixa do álbum), “Minha viola” (brejeira com a participação de Mart’nália, que também colocou voz em “Rapaz folgado”) e “Cidade mulher”, faixa perfeita para o encerramento de um álbum quase perfeito.

*****

“Nobody’s daughter” – Hole
Tem umas bandas que acabam e quase ninguém sente falta. O melhor mesmo seria que elas ficassem enterradas para sempre. Mas algumas insistem. E o Hole é uma delas. Liderada por Courtney Love, viúva de Kurt Cobain, a banda não apresenta absolutamente nada de novo em “Nobody’s daughter”, primeiro álbum do Hole desde 1998. Tivesse Courtney se preocupado mais em compor coisas interessantes nesses 12 anos de hiato, o álbum poderia ser melhor. Mas não. Ocupada em fazer cagadas com a imagem de seu falecido marido, ela continua apresentando canções que mais parecem sobras do último álbum do Hole. Caso tivesse sido lançado dez anos atrás, “Nobody’s daughter” poderia ainda ter alguma relevância, mas, hoje, quase nada se salva nesse álbum, como a faixa-título e “For once in my life”, que ainda trazem algo –ainda que pouco – de novo. E o pior é que, no fundo, no fundo, a própria Courtney Love desse saber disso.

*****

Em seguida, o videoclipe de “Clear skies”, faixa do álbum “Night train”, do Keane.